conecte-se conosco


Agricultura

Mais Leite Saudável supera a marca de 60 mil produtores

Publicado

Desde o início do Mais Leite Saudável, em outubro de 2015, 63.706 produtores já foram beneficiados pelo programa. Em média, entre 10 mil e 15 mil novos produtores ingressam anualmente e cerca de 25 mil a 30 mil são atendidos por ano com assistência técnica, educação sanitária ou melhoramento genético.

Entre os estados com mais produtores alcançados estão o Rio Grande do Sul (18.230), Minas Gerais (18.222), Santa Catarina (11.666), Paraná (4.734) e Mato Grosso (3.360).

Quase R$ 240 milhões foram investidos em projetos de fomento, gerando aos laticínios participantes R$ 4,5 bilhões em créditos presumidos, disponibilizados em forma de compensação de impostos ou monetização.

Os benefícios incluem aumento da rentabilidade, da produtividade e competitividade, de boas práticas agropecuárias, incentivo à certificação de propriedades livres de tuberculose e brucelose, melhoramento genético de rebanhos, da qualidade do leite (contagem de células somáticas e bacterianas) e microbiológica, além da redução da mortalidade de bezerras.

Produtores, laticínios, técnicos de campo e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento promovem o fomento para pequenos e médios produtores de leite, com impacto positivo no desenvolvimento de 2.068 municípios em mais de 20 estados.

Veja Também  Encontro preparou declaração que será discutida na reunião de ministros da Agricultura do Brics

Com mais de 600 projetos aprovados, dos quais 385 em vigência, o programa não está restrito apenas a estabelecimentos sob Inspeção Federal. De 440 laticínios participantes, 76,4% estão sob inspeção Federal (SIF) e 23,6% sob inspeção estadual ou municipal (SIM ou SIE).

O Mais Leite Saudável não se restringe à bovinocultura de leite, podendo contemplar projetos para bubalinocultura e caprino e ovinocultura.

Cerca de metade dos projetos em execução são de assistência técnica e gerencial. Outras ações estão distribuídas na Melhoria da Qualidade do Leite (38,7%), Melhoramento Genético (6,8%), Implementação de Manejo Sanitário, incluindo controle de brucelose e tuberculose (3%), e redução da taxa de mortalidade de bezerras 0,5%.

O Programa Mais Leite Saudável passou a ser estratégico do Mapa, com meta de 150 mil produtores a serem atendidos até 2035. A Coordenação de Boas Práticas e Bem-Estar Animal (CBPA), da Secretaria de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação, responsável pela gestão do programa, trabalha para viabilizar essa meta, apostando haver muito espaço para crescimento.

Uma das ferramentas para sua expansão é o Plano de Qualificação de Fornecedores de Leite (PQFL), instituído pela Instrução Normativa 77, de novembro do ano passado. A coordenação (CBPA) tem realizado seminários em todas as regiões brasileiras para divulgação do plano e do programa.

Veja Também  Brics precisa enfrentar tendências ao protecionismo, afirma Tereza Cristina

Qualificação de Fornecedores de Leite

A implementação do Plano de Qualificação de Fornecedores de Leite (PQFL) é obrigatória aos laticínios. A ferramenta funciona como controle e aproximação da sua relação com os produtores, visando maior segurança para o consumidor e maior desenvolvimento da atividade.

“A obrigatoriedade de possuir um plano de qualificação amplia a assistência técnica a produtores, por parte dos laticínios, o que resulta em melhoria da produtividade, da qualidade e, consequentemente, da competitividade na cadeia leiteira nacional”, observa o coordenador de Boas Práticas e Bem-Estar Animal da Secretaria de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação, Rodrigo Dantas.

A Coordenação de Boas Práticas e Bem-Estar Animal (CBPA), responsável por coordenar o acompanhamento da execução das ações dos planos de qualificação em todo país, publicou em maio, o Guia Orientativo para Elaboração do Plano de Qualificação de Fornecedores de Leite.

Para saber mais sobre o Programa Mais Leite Saudável 

Projetos de fomento coordenados pela CBPA

Guia orientativo do PQFL

 

Mais informações à imprensa:Coordenação-geral de Comunicação Social
[email protected]

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook

Agricultura

Mapacast explica como vai funcionar o Selo Arte

Publicado

A Lei do Selo Arte, que permite a venda interestadual de produtos alimentícios artesanais, como queijos, mel, pescados e embutidos, foi regulamentada pelo governo. A certificação é um sonho antigo de produtores artesanais, que vão poder acessar mais mercados e aumentar sua renda.

Neste novo episódio do Mapacast, o diretor do departamento de Desenvolvimento das Cadeias Produtivas do Ministério da Agricultura, Orlando Melo de Castro, explica como vai funcionar o selo e quais as vantagens para produtores e consumidores. 

“Antes, não havia uma regulamentação que previa o comércio fora do estado. Tendo o selo arte, ele poderá comercializar em todo o território nacional. Isso é um ganho para o produtor e para o consumidor, que vai comprar um produto sabidamente fiscalizado, que tem controles na legislação, tanto na questão da produção do leite como no processo de fabricação. Isso é uma garantia e uma segurança para o consumidor, que vai encontrar esses produtos em diferentes praças do país”, diz Castro.

 Clique aqui para ouvir o 6º episódio do Mapacast

 Mais informações à imprensa:
Coordenação-geral de Comunicação Social
[email protected]

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Veja Também  Delegação do Brics visita banco genético da Embrapa, o maior da América Latina
Continue lendo

Agricultura

Encontro preparou declaração que será discutida na reunião de ministros da Agricultura do Brics

Publicado

“A reunião foi muito bem sucedida, conseguimos fechar o texto da declaração, e o encontro transcorreu em clima de conciliação”. A avaliação é do secretário de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SCRI/Mapa), embaixador Orlando Leite Ribeiro, após dois dias reunido com representantes de delegações do Brics, bloco econômico formado pelo Brasil, Índia, China, Rússia e África do Sul.

“O texto da declaração, que trata de diversos temas do nosso interesse”, explica o secretário, “inclui a inovação, o princípio científico – que é a oposição do princípio da precaução. São vários assuntos que conseguimos colocar no texto e conciliar com os demais países. Nós conseguimos fechar um documento prévio que agrada a todos os membros do grupo”. A proposta de texto contém 27 parágrafos e será discutida na 9ª reunião de Ministros de Agricultura do Brics, que será realizada em Bonito (MS), em setembro, com o tema ”Promoção da Inovação e Ações para o Desenvolvimento de Novas Soluções para Sistemas de Produção de Alimentos”.

“A minha expectativa é que o encontro em setembro sirva para que dedique um pouco mais de tempo a questões bilaterais”. Ele explicou que os países reunidos têm realidades muito heterogêneas, mas que dá um caminho para maior aproximação entre esses países na área da agricultura e termos uma agenda comum. “Lembrando que temos nações que são exportadoras de alimentos, como é o caso do Brasil. Temos países importadores de alimentos, caso da África do Sul, e temos países que são os dois como é o caso da China, um dos maiores exportadores e também um dos maiores importadores de alimentos”.

Veja Também  Delegação do Brics visita banco genético da Embrapa, o maior da América Latina

“Todos os produtos tratados são extremamente relevantes: o acesso dos lácteos brasileiros à Rússia, questões envolvendo frutas para Índia. No caso da China, é uma agenda enorme que vai de frutas a proteínas animais e, com a África do Sul, temos a questão das carnes de aves”, exemplificou o secretário.

Após a discussão do texto, os representantes mantiveram encontros bilaterais. Estiveram presentes ao encontro, o diretor do Serviço Veterinário da China, LI Jinxiang; o secretário do Ministério da Agricultura da Índia, Shri Sanjay Agarwal; o embaixador da África, JN Mashimbye; e o diretor adjunto do Ministério da Agricultura da Rússia, Ilia Geraschenko.

Mais informações à Imprensa:Coordenação-geral de Comunicação Social
Inez De Podestà
[email protected]

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana