conecte-se conosco


''SALVE''

Vídeo mostra caminhonete de líder do Comando Vermelho entrando e saindo do presídio com celulares e drogas

Publicado

A caminhonete Ford Ranger (placa APW-6426), que foi usada para entregar um freezer “recheado” com 86 celulares, carregadores e fones de ouvido, Penitenciária Central do Estado (PCE), é de propriedade de um detento e um dos líderes da facção criminosa Comando Vermelho (CVMT), Luciano Mariano da Silva, conhecido como “Marreta”. A informação consta na decisão dos pedidos de prisão da Operação Assepsia, deflagrada pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), na terça-feira (18).

De acordo com a investigação policial, após a descoberta da propriedade do veículo, uma pessoa ligada a família de Marreta prestou depoimento na GCCO e contou que a caminhonete ficava sob os cuidados do sogro de Luciano.

“Após tomar conhecimento de como teria ocorrido a entrada do objeto da unidade, a Autoridade Policial logrou êxito em identificar o veículo utilizado para o transporte do freezer (Ranger – APW-6426) como sendo de propriedade de LUCIANO MARIANO DA SILVA, vulgo “Marreta”, outra liderança do COMANDO VERMELHO”, diz trecho da relatório da GCCO.

Veja Também  Quadrilha assalta casa de vereador e rouba R$ 7 mil de família em VG

O veículo, segundo as investigações, estava carregando um freezer em sua cabine. Após a entrada na unidade penitenciária, o refrigerador seria levado à sala do diretor e em seguida, seria reencaminhada à cela de outro líder da facção, Paulo César da Silva, conhecido como “Petróleo”. As informações constam no relatório da Polícia Civil.

Segundo imagens do circuito interno de segurança da PCE, o carro chega a unidade penitenciária às 13h49. Em seguida, o refrigerador é deixado no local e o motorista da caminhonete se retira do presídio, sem qualquer tipo de registro.

No entanto, uma agente penitenciária, que é chefe da equipe da guarda do presídio, questiona os colegas sobre o freezer que estava na guarda. Em seguida, ela é informada que o refrigerador é de responsabilidade do diretor do presídio, Revétrio Francisco da Costa, e seria destinado ao Petróleo.

No entanto, a servidora determinou, como parte do procedimento operacional padrão, que o objeto fosse submetido ao exame de scanner corporal antes de ser transportado para a sala do diretor. No entanto, durante o trabalho, teria notado uma “anormalidade” no objeto e por isso realizou a vistoria por cerca de quatro vezes.

Veja Também  Homem tem barriga cortada em formato de cruz

Depois da quarta tentativa, a agente encontrou os aparelhos telefônicos, carregadores e fones de ouvido.

Prisões

Além de Revétrio, foram presos pela Polícia Civil, o subdiretor Reginaldo Alves dos Santos e os policiais militares, Cleber de Souza Ferreira, o subtenente Ricardo de Souza Carvalhaes de Oliveira e o cabo Denizel Moreira dos Santos Júnior.

Eles são suspeitos de facilitares a entrada dos celulares no presídio. Os diretores encontram-se no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC). Enquanto que Cleber está no 3º Batalhão e as praças no Batalhão de Operação Especiais (Bope).

Fonte: HNT

Comentários Facebook

''Perdeu a cabeça"

‘Vítima de salve’ do CV aparece morto em lixão em Cuiabá; surrado e torturado

Publicado

FONTE: RAFAEL MEDEIROS | O BOM DA NOTÍCIA

Wysley de Oliveira Peixoto, 40 anos, foi espancado até a morte e desovado em uma área de lixão, na avenida Doutor Meirelles, região do assentamento 21 de Abril, em Cuiabá. O corpo encontrado por volta das 7h30 de quarta-feira (14), estava com as bermudas arriadas, tinha sinais de espancamentos crueis e tortura. Segundo a Polícia Civil, a vítima teria sido alvo de “salve” da facção criminosa Comando Vermelho.

O padrasto da vítima disse aos policiais que a morte de Wysley já tinha sido anunciada. O jovem era usuário de drogas e praticava furtos e roubos na região para sustentar o vício. Conta o padrasto, que Wysley foi alertado por membros da facção que se insistisse em continuar praticando crimes pequenos no bairro seria alvo de um corretivo.

A delegada Jannira Laranjeira, acompanharam perícia no local e não encontrou nenhum material que poderia ter provocado a morte. A suspeita é que a vítima tenha sido executada em outro ponto e os criminosos apenas “desovaram” o cadáver na área de lixão. O caso segue sendo investigado.

Comentários Facebook
Veja Também  Cadeia de Nova Mutum ampliará trabalho extramuros para 28 reeducandos
Continue lendo

''SALVE''

Homem chora após ser preso por incitar ataque contra policiais; áudio e vídeos

Publicado

 

Samuel de Souza Valdivino, 30 anos, foi preso, na tarde da última terça-feira (13), no bairro Vida Nova, em Lucas do Rio Verde (332 quilômetros de Cuiabá). Ele é acusado de incitar uma série de ataques contra agentes de segurança pública da cidade e foi pego, em flagrante, traficando drogas. Após ser preso, o homem chorou. A ação fez parte da ‘Operação Combate’ da Polícia Civil e Militar.

Segundo as informações do boletim de ocorrências, equipes das polícias Civil e Militar receberam denúncias, há um mês, apontado que o suspeito estava traficando drogas. Depois, as autoridades receberam um áudio enviado por Samuel, onde ele convoca integrando do Comando Vermelho (CV) para atentar contra a vida dos agentes de segurança pública.

“Tem que oprimir mesmo a polícia, socar bala nessa polícia. Família do grupo aí ó CV, aqui é Samuel de Lucas do Rio Verde. Tem que juntar os armamentos, tudo dois, passa nada”, disse no áudio, que foi encaminhado em um dos grupos da facção.

Veja Também  Capitão se pronuncia sobre suposta agressão a esposa

Os policiais então foram até a região da residência do suspeito e visualizaram Samuel vendendo drogas. Ele foi detido em flagrante, junto com dois usuários que estavam realizando a compra do entorpecente. Após uma busca, foram localizadas diversas porções.

Questionado sobre o áudio, Samuel confirmou que foi ele quem enviou. Ele já foi alvo de outras investigações e tem um vasto histórico criminal. Ele não permitiu que os policiais tivessem acesso a seu aparelho celular.

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana