conecte-se conosco


Nacional

Bolsonaro encontra general Ramos pela primeira vez após nomeação para ministério

Publicado

General Ramos com Bolsonaro
Reprodução/Twitter
Presidente Jair Bolsonaro ao lado do General Ramos, novo ministro da Secretaria de Governo


Em São Paulo para assistir à partida de abertura da Copa América na noite desta sexta-feira (14), o presidente Jair Bolsonaro se encontrou com o general Luiz Eduardo Ramos, o general Ramos, escolhido na quinta para substituir o ex-ministro da Secretaria de Governo, o também generalCarlos Alberto dos Santos Cruz.

Leia também: Bolsonaro diz que vai tentar reverter sentença sobre Adélio Bispo

 Em foto divulgada pela assessoria de Bolsonaro, ele aparece abraçado ao novo ministro, de quem é amigo desde a década de 1970. Os dois sorriem e o presidente faz sinal de positivo com a mão. General Ramos é comandante militar do Sudeste, que tem sede na cidade de São Paulo.

Leia também: Bolsonaro diz que deixa ministros ‘se enrolarem’ antes de dar ‘cartão vermelho’

A demissão de Santos Cruz foi atribuída por um auxiliar direto do presidente a uma “falta de alinhamento político-ideológico” e embates com outros integrantes do próprio governo. Em carta divulgada no início da noite de quinta, ele deixou claro que saiu do  governo “por decisão” de Bolsonaro . Ele fez agradecimentos e, no final, deseja ao presidente e familiares “saúde, felicidade e sucesso”.

Veja Também  Não há indícios de agressão em laudo de indígena Waiãpi, diz PF

Em café da manhã nesta sexta, o presidente admitiu que havia problemas e revelou ter oferecido ao general da reserva do Exército a oportunidade de ocupar outro cargo no Executivo. Ele informou que o ex-ministro não demonstrou interesse e confirmou general Ramos na função.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook

Nacional

Justiça nega habeas corpus para Abdelmassih voltar à prisão domiciliar

Publicado

source
Roger Abdelmassih arrow-options
Renato S. Cerqueira/Futura Press
Ex-médico especialista em reprodução humana, Roger Abdelmassih foi condenado por estuprar pacientes

Justiça paulista negou hoje (17) habeas corpus com pedido de liminar da defesa de Roger Abdelmassih . Na última terça-feira (13), ele teve suspensa a prisão domiciliar por suspeita de fraude nas declarações das condições de sua saúde . As declarações embasaram o pedido para que cumprisse pena domiciliar.

O pedido da advogada Larissa Sacco Abdelmassih, esposa do ex-médico, alega constrangimento ilegal por parte da juíza Andréa Brandão, que decidiu pelo recolhimento dele em hospital penitenciário por pelo menos 30 dias até realização de perícia judicial. O ex-médico cumpre pena pelo estupro de 56 pacientes entre 1995 e 2008. Abdelmassih foi condenado em 2010 a 278 anos de prisão. Desde 2017, ele cumpria prisão em casa.

O indeferimento da liminar foi emitido pelo desembargador Otávio de Almeida Toledo. “Muito embora tenham sido trazidas informações de que o paciente apresenta quadro clínico que demanda cuidados específicos, da análise cabível nesta sede, nenhum constrangimento flagrante foi constatado haja vista que foi determinada sua permanência em estabelecimento hospitalar”, diz o texto da decisão.

Veja Também  Mais de 100 casas vendidas por milícia são destruídas no Rio

Leia também: Réu pela morte de pastor, filho de Flordelis é transferido de presídio

Para a defesa, a internação até que haja perícia judicial se constitui em ilegalidade, pois estaria baseada em denúncia relatada em um livro escrito por um detento que, segundo a advogada, não conviveu com o ex-médico na prisão. Larissa Sacco Abdelmassih aponta ainda que a permanência de Abdelmassih em hospital penitenciário trará prejuízos a sua saúde, pois ele não deveria manter contato com portadores de doenças contagiosas ou mesmo permanecer em ambiente hospitalar, pois uma eventual infecção poderia levá-lo à morte.

A decisão da juíza Andréa Brandão, da 3ª Vara de Execuções Penais de São Paulo, determina que Abdelmassih “permaneça em ambiente controlado, recebendo seu arsenal terapêutico de forma regular e sob supervisão médica, até a realização da nova perícia judicial”. No texto, ela sustenta que denúncias apontaram indícios de que “o sentenciado fez uso de seus conhecimentos médicos para ingerir medicações que levara a complicações e descompensações intencionais a fim de alterar a conclusão da perícia judicial”.

Veja Também  Trump sugere a presidente chinês reunião para debater crise em Hong Kong

Leia também: Homem é preso por estuprar e engravidar filha de 15 anos

Relembre o caso

Roger Abdelmassih, especialista em reprodução humana, teve o registro cassado em 2009. O ex-médico foi condenado, em 2010, a 278 anos de prisão por 56 estupros cometidos contra pacientes, entre 1995 e 2008. Ele conseguiu habeas corpus concedido pelo então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes.

Em fevereiro de 2011, no entanto, o benefício foi cassado pelo STF. Abdelmassih estava foragido e seu nome constava da lista dos mais procurados pela polícia internacional, a Interpol. Em 2014, Roger Abdelmassih foi preso no Paraguai. No mesmo ano, o Tribunal de Justiça de São Paulo reduziu sua pena para 181 anos de prisão por 48 estupros de 37 de suas pacientes.

Depois de capturado, o ex-médico passou a cumprir pena no Presídio de Tremembé, em São Paulo. Em 2017, a Justiça de Taubaté concedeu a prisão domiciliar devido a problemas de saúde.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Bolsonaro sinaliza futura distância com Argentina se chapa de Kirchner vencer

Publicado

source
Bolsonaro falando no microfone arrow-options
Carolina Antunes/PR
Bolsonaro demitiu o secretário de Comunicação

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã deste sábado (17), durante cerimônia de graduação de cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), em Resende, que não deixará o Brasil se aproximar de “políticas outras que não deram certo em nenhum lugar do mundo”, ao se referir a Argentina. 

Ao lado dos presidentes do Supremo Tribunal Federal ( STF ), ministro Dias Toffoli, do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, Bolsonaro pediu a Deus que o país vizinho “saiba através do seu povo, como não retroceder”.

Leia também: “Vocês se merecem”, diz Jean Wyllys para Janaína Paschoal e Bolsonaro 

No discurso de encerramento da solenidade, Bolsonaro também disse, em seu pronunciamento de nove minutos, que outros países tentam ganhar “guerra da informação” sobre a Amazônia :

“Temos compromisso com esse pedaço de terra mais rico e sagrado do mundo. Não é a toa que outros países cada vez tentam ganhar a guerra da informação para que nós perdemos a soberania desta área”, afirma Bolsonaro 

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Veja Também  PSDB trata como certa filiação de Alexandre Frota, diz colunista
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana