conecte-se conosco


Economia

Bolsonaro ataca IBGE, diz que não é fácil ser patrão e se isenta por desemprego

Publicado


Jair Bolsonaro rindo
Marcos Corrêa/PR
Bolsonaro alfinetou IBGE, voltou a dizer que “ser patrão no Brasil não é fácil” e disse que não pode “obrigar ninguém a empregar”

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse nesta quinta-feira (16), em Dallas, nos Estados Unidos, que o desemprego no Brasil é muito maior do que o indicado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundos dados da pesquisa Pnad Contínua
, divulgados nesta quinta-feira, o desemprego cresceu em 13 estados brasileiros e no Distrito Federal no primeiro trimestre do ano, quando em todo o Brasil 13,4 millhões de pessoas buscavam uma vaga.

Leia também: “Crescimento de curto prazo é voo de galinha”, alerta presidente do BC

“Se fala em milhões de desempregados? Tem, até mais do que isso. O IBGE
tá errado, tem muito mais do que isso. Agora, em parte, essa população não tem como ter emprego porque o mundo evoluiu. Não estão habilitados a enfrentar um novo mercado de trabalho, a indústria 4G. como é que você vai empregar esse pessoal?”, questionou Bolsonaro. “Tenho pena, tenho. Faço o que for possível, mas não posso fazer milagre, não posso obrigar ninguém a empregar ninguém”, complementou o presidente.

Veja Também  PIB recua 0,9% no trimestre encerrado em abril, diz FGV

A pesquisa do IBGE, além de apontar alta da desocupação no País, também revelou que a dispensa de trabalhadores temporários no primeiro trimestre deste ano foi a maior em sete anos. Segundo a apuração, 5,2 milhões de brasileiros procuram emprego há mais de um ano.

Questionado sobre o desemprego
e a realidade do trabalho no Brasil, o presidente voltou a dizer que “não é fácil ser patrão
“, mas disse que também não é fácil ser empregado.

Leia também: Bolsonaro diz que repórter deveria ‘entrar de novo numa faculdade que preste’

“Eu digo para todo mundo: não é fácil a vida de ser patrão no Brasil. Tá empregado? Também não é fácil. O salário é muito para quem paga, é pouco para quem recebe. A garotada tá aí se formando, bota um papel na parede, em parte, digo, em parte, que não serve para nada. Até jornalista, a gente já teve contato no passado com uma colega de vocês jornalista que tem o português pior do que o meu. É assim que está sendo formada a nossa juventude no Brasil. Isso tem que mudar”, defendeu Bolsonaro
.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook

Economia

Governo deve fazer concessões a políticos na reforma da Previdência

Publicado

relator da previdência
Antonio Cruz/Agência Brasil
O relator da Previdência, Samuel Moreira (PSDB), estuda acabar com o Plano de Seguridade Social dos Congressistas

O relator da reforma da Previdência, deputado Samuel Moreira (PSDB), estuda acabar com o sistema de Previdência dos deputados e senadores (Plano de Seguridade Social dos Congressistas) e permitir a devolução dos valores contribuídos pelos políticos. Segundo a proposta, eles migrariam para o regime geral e, sendo assim, receberiam de volta o valor que excedesse o teto pago pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), hoje em R$ 5.839.

Leia também: Bolsonaro reconhece que Congresso vai alterar texto da reforma da Previdência

Outra possibilidade levantada por Moreira é tornar opcional a adesão à Previdência dos parlamentares, autorizando a permanência de quem quiser. Neste caso, porém, seria preciso cumprir a regra proposta na reforma, que exige idade mínima de 65 anos (homem) e 62 anos (mulher), com pedágio de 30% sobre o tempo de contribuição que falta para a aposentadoria (35 anos para eles e 30 anos para elas).

As alternativas têm o aval da equipe econômica do governo e estão sendo avaliadas porque as regras para aposentadoria de deputados e senadores previstas na reforma acabaram ficando mais duras do que as dos demais trabalhadores, que ganharam uma transição mais suave: idade mínima de 60 anos (homem) e 57 anos (mulher), com pedágio de 100% sobre o tempo que falta.

Segundo interlocutores, o impacto da  medida na economia projetada com a reforma é residual. O relatório de Moreira, que está em discussão na comissão especial da Câmara dos Deputados , prevê um ganho fiscal de R$ 913,4 bilhões em dez anos. O relator deverá incorporar em seu parecer as mudanças no regime dos parlamentares já na próxima semana, para quando é aguardado o início da votação do texto.

Veja Também  Inflação do aluguel é de 6,46% em 12 meses

Para o líder do DEM, deputado Elmar Nascimento, uma eventual flexibilização na regra de transição dos políticos seria prejudicial à aceitação da reforma da Previdência . “O desgaste não compensa”, disse. A melhor solução, segundo Nascimento, seria extinguir o regime atual ou torná-lo opcional, não afetando quem já está aposentado.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Corpus Christi: bancos fecham hoje, mas reabrem amanhã

Publicado

fila do banco
Rovena Rosa/Agência Brasil
Neste feriado, clientes poderão usar canais alternativos para pagar contas e fazer saques, depósitos e transferências

Os bancos não funcionam nesta quinta-feira (20), ponto facultativo em razão do dia de Corpus Christi. O atendimento bancário volta ao normal na sexta-feira (21), com agências abertas ao público das 11h às 16h.

Leia também: Você sabe o que é o Corpus Christi? Conheça a origem dessa tradição católica

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) informou que os clientes poderão usar canais alternativos para pagar contas e fazer saques, depósitos e transferências, como caixas eletrônicos e atendimento por telefone e internet.

As contas que vencem hoje poderão ser pagas, sem multa, na sexta-feira, próximo dia útil.

Segundo o diretor adjunto de Operações, Walter Tadeu de Faria, a população não ficará sem serviços bancários. “Caixas eletrônicos vão funcionar normalmente, para o fácil acesso do consumidor ”, comentou.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Veja Também  Relator da reforma descarta reincluir capitalização em seu parecer
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana