conecte-se conosco


Educação

Mostra Brasileira de Foguetes atrai 150 mil estudantes

Publicado

A Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG), que ocorre paralelamente à Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), ganhou mais 30 mil adeptos este ano. De acordo com o coordenador nacional da OBA, João Canalle, professor e astrônomo da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), a estimativa é que cerca de 150 mil estudantes participam da competição, mais que os 120 mil do ano passado.

A MOBFOG é uma olimpíada inteiramente experimental. Consiste em construir e lançar foguetes o mais distante possível, a partir de uma base de lançamento. Foguetes e bases de lançamentos podem ser construídos por alunos individualmente ou em equipes de até três componentes. Os últimos lançamentos previstos foram feitos até hoje. As escolas devem agora repassar os resultados para a organização da mostra.

O sucesso das competições tem estimulado municípios e estados a organizar disputas entre estudantes de suas redes de ensino. Os resultados são enviados para a competição nacional. Neste ano, segundo Canalle, o Maranhão promoveu torneio estadual pela primeira vez. Além do estado, fizeram competições Pernambuco, Alagoas, Ceará e Amapá.

“É uma forma de ensinar muita física e muita engenharia e aerodinâmica, matemática, movimento parabólico, de forma divertida. O aluno se empolga e faz por prazer. Uma vez que ele construiu um foguete, ele quer aperfeiçoar, para ir mais longe”, avalia o coordenador nacional da OBA.

Os estudantes com os melhores desempenhos nacionalmente serão convidados para representar as escolas na Jornada de Foguetes em Barra do Piraí (RJ). A jornada tem duração de quatro dias. Os estudantes assistem a palestras com engenheiros da Agência Espacial Brasileira (AEB), com profissionais do Instituto de Aeronáutica e Espaço e com universitários. “Eles terão uma visão ampla do que o Brasil faz em termos de foguetes”, diz Canalle. Ao final, os estudantes farão novos lançamentos.

Veja Também  Quem está fora do ensino superior tem até hoje para concorrer ao Fiesa

Neste ano, pela primeira vez, haverá uma turma formada por estudantes do 6º ao 9º ano do ensino fundamental. Até o ano passado, participaram apenas estudantes do ensino médio.

Olimpíada de Astronomia e Astronáutica

Nesta sexta-feira, cerca de 800 mil estudantes brasileiros do ensino fundamental e médio fizeram as provas da 22ª edição da OBA. Ao todo, quase 8,5 mil escolas foram cadastradas. O gabarito será divulgado amanhã (18).

Dividida em quatro níveis (três para alunos do fundamental e uma para o ensino médio), a Olimpíada é composta por uma prova com dez perguntas: sete de astronomia e três de astronáutica.

“Estamos felizes com essa etapa vencida. Agora, a bola está com os professores, que têm que corrigir as provas, digitar nomes e notas dos alunos. Depois, isso vem para nós classificarmos os estudantes”, explica Canalle. 

Os melhores classificados na OBA representam o país nas olimpíadas Internacional de Astronomia e Astrofísica e Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica.

A OBA é coordenada por uma comissão formada por membros da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e da AEB, e conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Universidade Paulista (Unip).

Veja Também  Termina hoje o prazo para solicitar atendimento especializado no Enade

Mais informações sobre as competições estão disponíveis no site da OBA.

Edição: Gilberto Costa
Fonte: EBC Educação
Comentários Facebook

Educação

Mais de 1,8 mil brasileiros fazem hoje o Encceja Exterior

Publicado

 Mais de 1,8 mil brasileiros que moram fora do país farão hoje (15) o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos residentes no exterior (Encceja Exterior). A prova será realizada em 18 cidades de 12 países: Bruxelas (Bélgica); Barcelona e Madri (Espanha); Boston, Houston, Nova Iorque e Miami (Estados Unidos); Paris (França); Caiena (Guiana Francesa); Amsterdã (Holanda); Roma (Itália); Nagoia, Hamamatsu e Tóquio (Japão); Lisboa (Portugal); Londres (Reino Unido), Genebra (Suíça) e Paramaribo (Suriname).

O Cartão de Confirmação da Inscrição está disponível na Página do Participante na internet. O cartão contém informações pessoais, número de inscrição e o endereço do local do exame, além dos recursos de acessibilidade, quando for o caso. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) recomenda que os inscritos no exame imprimam e levem o cartão para a prova.

O Encceja é um exame para jovens e adultos que não tiveram oportunidade de concluir os estudos na idade apropriada. Os interessados em tentar o certificado do ensino fundamental devem ter, no mínimo, 15 anos de idade completos na data da prova; para obter o certificado do ensino médio, a idade mínima exigida é de 18 anos.

Veja Também  Participantes do Enem poderão usar identidade vencida

O exame é composto por quatro provas objetivas, cada uma com 30 questões de múltipla escolha, e uma redação. Para a certificação do ensino fundamental, o participante é avaliado em ciências naturais; matemática; língua portuguesa, língua estrangeira moderna, artes, educação física e redação; e história e geografia.

Já para o ensino médio, as áreas avaliadas são ciências da natureza e suas tecnologias; matemática e suas tecnologias; linguagens e códigos e suas tecnologias e redação; e ciências humanas e suas tecnologias.

Certificação

Após a aprovação do candidato, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília e o Colégio Pedro II, do Rio de Janeiro, que firmaram Acordo de Cooperação Técnica junto ao Inep, ficam responsáveis pela emissão dos certificados.

Cabe ao Ministério das Relações Exteriores encaminhar os certificados e as declarações de proficiência às embaixadas e aos consulados de cada país, bem como avisar aos participantes que os documentos encontram disponíveis para retirada nas representações diplomáticas.   

Além da modalidade regular e do exame para residentes no exterior, o Inep também aplica o Encceja para Jovens e Adultos brasileiros residentes no exterior que cumprem Pena Privativa de Liberdade (Encceja Exterior PPL). Em 2019, as provas para esse público serão aplicadas somente em Tóquio, no Japão, de 16 a 27 de setembro.

Edição: Valéria Aguiar
Fonte: EBC Educação
Comentários Facebook
Continue lendo

Educação

Termina hoje o prazo para solicitar atendimento especializado no Enade

Publicado

Os estudantes concluintes dos cursos que serão avaliados no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) 2019 têm até hoje (13) para solicitar atendimento especializado, específico ou por nome social, caso necessário. O pedido deverá ser feito pelo próprio estudante, por meio do Sistema Enade.

O atendimento especializado destina-se a pessoas com baixa visão, cegueira, visão monocular, deficiência física, deficiência auditiva, surdez, deficiência intelectual (mental), surdocegueira, dislexia, déficit de atenção, autismo e discalculia.

O atendimento específico é oferecido a gestantes, lactantes, idosos ou pessoa com outra condição específica. Já o atendimento por nome social aplica-se às pessoas que se identificam e querem ser reconhecidas socialmente em consonância com a sua identidade de gênero.

Questionário do Estudante

Todos os estudantes formandos nos cursos avaliados devem responder ao Questionário do Estudante até 21 de novembro. O documento, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), faz parte do processo avaliativo e o preenchimento é obrigatório. O formando que não preencher o formulário ficará irregular junto ao Enade e, mesmo que cumpra todas as outras obrigações do exame, não conseguirá colar grau.

O Enade 2019 será aplicado no dia 24 de novembro. O exame é composto por uma prova para avaliação de desempenho dos estudantes e um Questionário do Estudante. No histórico escolar do estudante, ficará registrada a situação de regularidade em relação ao Enade.

Veja Também  Capes vai ofertar 3,1 mil novas bolsas de estudo até 2020

Neste ano, o Enade avaliará os cursos das áreas de ciências agrárias, ciências da saúde e áreas afins; engenharias e arquitetura e urbanismo; e os cursos superiores de tecnologia nas áreas de ambiente e saúde, produção alimentícia, recursos naturais, militar e de segurança.

Edição: Valéria Aguiar
Fonte: EBC Educação
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana