conecte-se conosco


Internacional

Ex-presidente do Peru tenta se matar ao receber ordem de prisão

Publicado

O ex-presidente do Peru Alan García tentou se matar na manhã de hoje (17) quando ia ser detido pela polícia em sua casa no bairro de Miraflores, em Lima. Ele é acusado de corrupção em caso envolvendo a Odebrecht.

FAlan Garcia, Perú. 
REUTERS/Guadalupe Pardo/File Photo

O ex-presidente do Peru Alan García – Guadalupe Pardo/File Photo/Reuters

Seu estado de saúde é grave, segundo a imprensa local. García foi levado com urgência ao Hospital Casimiro Ulloa, na capital peruana.

*Com informações da Telam (Agência de Notícias da Argentina)

Edição: Graça Adjuto
Fonte: EBC
Comentários Facebook
Veja Também  Custo de vida aumenta insatisfação em Hong Kong, diz especialista

Internacional

Ministro da Fazenda da Argentina entrega cargo

Publicado

O ministro da Fazenda da Argentina, Nicolás Dujvone, renunciou ao cargo hoje (17), informou a agência nacional de notícias argentina Télam. Para ocupar a pasta, o presidente Mauricio Macri, chamou o ministro da Economia da Província de Buenos Aires, Hernán Lacunza. Dujovne, que ocupava o cargo desde janeiro de 2017, entregou uma carta de renúncia a Macri, em que disse “convencido de que, em virtude das circunstâncias, a gestão precisa de uma renovação significativa na área econômica”.

Em sua carta, Dujvone reconheceu erros na condução da economia argentina, mas disse que atuou para corrigi-los.  “Conseguimos conquistas na redução do déficit e dos gastos públicos, na redução de impostos distorcidos  nas províncias, na recuperação do federalismo. Também, sem dúvida, cometemos erros, que nunca hesitamos em reconhecer e fizemos o melhor que pudemos para corrigir”, afirmou.

A renúncia de Dujvone ocorre uma semana após o resultado das eleições primárias que desencadearam uma crise no governo. A chapa de Alberto Fernández e da ex-presidente Cristina Kirchner derrotou Macri e obteve uma significativa vantagem de mais de 15%, saindo favorita para as eleições presidenciais em outubro.

Veja Também  Trump diz que China está frente a "extrema forma de retaliação"

Após o resultado das eleições, Macri, anunciou um pacote com medidas econômicas para amenizar os impactos da crise econômica na Argentina. Entre as medidas está o pagamento de bônus salariais para todos os tipos de trabalhadores (servidores públicos, de empresas privadas e informais), aumentar o salário mínimo e permitir que pequenas e médias empresas possam renegociar suas dívidas tributárias em 10 anos. Anunciou ainda redução no imposto de renda dos aposentados e aumento de 40% no valor das bolsas dos estudantes. Macri ainda prometeu congelar o preço da gasolina por 90 dias, mas depois da péssima repercussão, voltou atrás.

O novo ministro da Fazenda, Hernán Lacunza, de 49 anos, é formado em economia. Antes de dirigir o Ministério da Economia de Buenos Aires, passou pelos cargos de diretor geral do Banco Central argentino e do Banco Municipal da Cidade de Buenos Aires.

 

*Com informações da Télam

Saiba mais

Veja Também  Maduro acusa ex-presidente colombiano de plano para assassiná-lo
Edição: Aécio Amado
Fonte: EBC
Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Professores protestam em Hong Kong

Publicado

Apesar da forte chuva, os professores de Hong Kong se reuniram hoje (17) no centro de negócios da região semiautônoma chinesa, numa marcha pacífica em solidariedade aos manifestantes que ocupam as ruas da cidade há mais de dois meses.

Organizada pelo Sindicato de Professores Profissionais de Hong Kong, os manifestantes marcharam até à residência da chefe do executivo local Carrie Lam. Lá, eles gritaram: “A polícia de Hong Kong conhece a lei e viola a lei.”

A manifestação foi autorizada pela polícia. Muitos dos professores levaram cartazes com os dizeres: “Protejam a próxima geração”.

De acordo com o sindicato, os professores concordam com as cinco reivindicações dos manifestantes: retirada definitiva da lei da extradição, a libertação dos manifestantes detidos, que as ações dos protestos não sejam identificadas como motins, realização de inquérito independente à violência policial e a demissão da chefe do executivo Carrie Lam.

Para amanhã (18) está programada uma grande manifestação que a polícia autorizou, mas proibiu a marcha de protesto, disse um porta-voz de um dos movimentos que organiza a iniciativa.

Veja Também  Custo de vida aumenta insatisfação em Hong Kong, diz especialista

Há mais de dois meses Hong Kong é palco de protestos maciços, marcados por violentos confrontos entre manifestantes e a polícia, que tem usado balas de borracha, spray de pimenta e gás lacrimogêneo.

Mais recentemente, o aeroporto de Hong Kong foi palco de manifestações, com as autoridades sendo obrigadas a cancelar centenas de voos no início desta semana, naquela que é uma das infraestruturas aeroportuárias mais movimentadas do mundo.

Nesta semana, o governo chinês enviou tanques para a cidade de Shenzhen, na fronteira com Hong Kong, onde realizaram exercícios militares.

No contexto do exercício, a mídia estatal chinesa aludiu à existência de “uma clara advertência aos desordeiros em Hong Kong”. Além disso, foi observado que as tarefas das tropas incluem intervenções em tumultos civis e ataques terroristas.

A transferência de Hong Kong e Macau para a República Popular da China, em 1997 e 1999, respetivamente, decorreu sob o princípio “um país, dois sistemas.”

Para as duas regiões administrativas especiais chinesas foi acordado um período de 50 anos com elevado grau de autonomia, em nível executivo, legislativo e judiciário, sendo o governo central chinês responsável pelas relações externas e defesa.

Veja Também  Itaipu: embaixadora acredita em entendimento entre Brasil e Paraguai

 

 

Edição: José Romildo
Fonte: EBC
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana