conecte-se conosco


Cidades

AMM recebe programa CNM Qualifica na próxima semana

Publicado

A Associação Mato-grossense dos Municípios – AMM recebe nos dias 22 e 23 de abril o programa CNM Qualifica, programa desenvolvido pela Confederação Nacional dos Municípios, em parceria com as entidades municipalistas estaduais. O projeto tem como objetivo capacitar os servidores municipais em áreas fundamentais para a gestão municipal.

Conforme ressaltou a coordenadora Institucional da AMM, Lieda Rezende Brito, o assunto escolhido para o seminário em Mato Grosso foi “Forma de implementar e melhor tratar os serviços municipais de meio ambiente”. “Nesta edição do CNM Qualifica, os servidores discutirão os fundamentos da atuação municipal na área ambiental, suporte legal e municipalização da gestão e fiscalização”, ressaltou.

O programa foi apresentado aos gestores municipais pelo presidente da CNM, Glademir Aroldi, durante a XXII Marcha a Brasília. Na ocasião, Aroldi ressaltou que os temas escolhidos para as capacitações também fazem parte de matérias que tramitam no Congresso Nacional.

As inscrições são gratuitas aos municípios filiados à CNM e devem ser realizadas no hotsite do programa.

Confira a programação completa do evento:

FORMA DE IMPLEMENTAR E MELHOR TRATAR OS SERVIÇOS MUNICIPAIS DE MEIO AMBIENTE

22 e 23 de abril

 

Veja Também  CNM realiza pesquisa sobre consórcios e saúde; questionário está disponível até dia 30

Horário

Tópico/ Atividade

08h00

Credenciamento

1º dia

08h30

Abertura

09h00

FUNDAMENTOS DA ATUAÇÃO MUNICIPAL NA ÁREA AMBIENTAL

Evolução Histórica

Conceitos

Classificação do Impacto Ambiental quanto:

1- Ser local, regional, estadual e nacional

2- Porte e potencial poluidor

10h45

Intervalo

11h

FUNDAMENTOS DA ATUAÇÃO MUNICIPAL NA ÁREA AMBIENTAL

Classificação do Impacto Ambiental quanto:

1- Fatores locacionais: ser local, regional, estadual e nacional

2- Fatores de porte e potencial poluidor

12h00

Intervalo Almoço

13h30

SUPORTE LEGAL QUANTO A ATUAÇÃO MUNICIPAL AMBIENTAL

I – Princípios Constitucionais Ambientais

II – Princípios Constitucionais Administrativos

15h30

Intervalo

16h00

SUPORTE LEGAL QUANTO A ATUAÇÃO MUNICIPAL AMBIENTAL

III- Princípios Constitucionais Ambientais

18h00

Encerramento

2º dia

9h

 Razões da Municipalização e suas vantagens

10h00

 Exemplos e como agir

10h30

Ações Administrativas visando a Implementação da Área Ambiental Municipal, como iniciar, Planos necessários e que envolvem os serviços municipais de meio ambiente e alternativas de arrecadação para área ambiental com CFEM, TCFA e TAXAS MUNICIPAIS de Licenciamento Ambiental para os Municípios

12h

Encerramento

Informações: (61) 2101-6655 ou [email protected]

 

Fonte: AMM
Comentários Facebook

Cidades

CNM realiza pesquisa sobre consórcios e saúde; questionário está disponível até dia 30

Publicado

Prefeitos, prefeitas e gestores de consórcios públicos intermunicipais podem contribuir com a Confederação Nacional de Municípios (CNM) para identificar as principais dificuldades no recebimento e no uso de recursos financeiros para a saúde, incluindo os de emendas parlamentares.

As áreas de Consórcios e Saúde da entidade estão realizando pesquisa com o objetivo de compreender o panorama atual e a importância das parcerias para oferta dos serviços, além de buscar soluções para otimização do repasse e da execução da verba. Para isso, o público alvo deve responder o questionário on-line até o domingo, dia 30 de junho. Um formulário é destinado ao prefeito e o outro ao representante do consórcio.

Com a pesquisa, a CNM pretende responder a algumas questões que afligem o gestor local atualmente: 1. Como os Consórcios Públicos operacionalizam atualmente os recursos financeiros na área da saúde?; 2. Como os Consórcios Públicos recebem e operacionalizam as emendas parlamentares vinculadas à área de saúde? e; 3. Há interesse de se estabelecer a transferência direta dos recursos financeiros das emendas parlamentares da saúde aos Consórcios Públicos?.

Com as informações, será possível definir novos pleitos orçamentários e métodos de repasses junto ao governo federal, assim como estruturar melhor a legislação que rege os consórcios. A CNM lembra que, segundo levantamento recente, entre os 275 consórcios finalitários, ou seja, que atuam em apenas uma área, 181 são de saúde. Além desses, outros 93 têm previsão estatutária para atuar no setor.

Acesse e participe: 
Pesquisa para Municípios Pesquisa para Consórcios

Fonte: AMM
Comentários Facebook
Veja Também  Discussão sobre reforma da Previdência deve ser encerrada amanhã
Continue lendo

Cidades

Julgamento do piso dos ACS e ACE está na pauta do STF desta sexta-feira

Publicado

Ação que aguarda julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o piso dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e de Combate às Endemias (ACE) foi pautado para esta semana. Está na agenda da sessão virtual de sexta-feira, 28 de junho, a Ação Direta Inconstitucionalidade (ADI) 6103, cuja requerente é a Confederação Nacional de Municípios (CNM). O relator é o ministro Alexandre de Moraes.

Além do impacto financeiro de mais de R$ 4,8 bilhões para os cofres municipais até 2021, a entidade lembra que o piso salarial nacional da categoria desconsidera as diferenças regionais do país e pode promover um efeito cascata para os demais servidores municipais. Aprovado pelo Congresso Nacional no segundo semestre do ano passado, ele passou a vigorar em janeiro de 2019 por meio da Lei 13.708/2018, com aumento de 52,86%.

Pelo peso nas contas públicas, a CNM alerta que há o risco de prejuízo ao atendimento à população, à expansão e à qualificação da Rede de Atenção à Saúde (RAS). Outra tendência confirmada pelos gestores locais é uma significativa redução do número de agentes por Equipe da Saúde Básica (ESF). Isso porque eles já relatam que buscarão mecanismos para reduzir o quadro e evitar ultrapassar o limite de despesas com pessoal determinado pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

As medidas, portanto, desrespeitam a autonomia municipal, desconsideram as realidades locais, violam dispositivos constitucionais que reservam ao Presidente da República a prerrogativa de “criar cargos, funções ou empregos públicos na administração direta e autárquica ou aumento de sua remuneração”, e criam despesa obrigatória sem nenhuma estimativa de impacto ou previsão orçamentária. Por isso, o pedido da CNM pelo reconhecimento da inconstitucionalidade.

Apesar de o ministro Alexandre de Moraes, em maio deste ano, ter julgado extinto o processo, a CNM peticionou um Agravo Regimental pedindo a reconsideração da decisão de forma a reconhecer a legitimidade ativa da CNM na matéria. Com isso, foi garantido o julgamento, agendado para esta semana.

Fonte: AMM
Comentários Facebook
Veja Também  Congresso marca para quarta-feira promulgação do orçamento impositivo para emendas de bancada
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana