conecte-se conosco


Turismo

7 segredos que os pilotos de avião não compartilham com os passageiros

Publicado

Você sabia que não são todas as informações que os pilotos de avião e suas tripulações compartilham com os passageiros? Pois é! O iG Turismo
já revelou alguns  segredos que eles escondem
e, agora, lista sete outras informações que acabam passando despercebidas pela maioria dos viajantes.


Pilotos de avião
shutterstock
Segredos que os pilotos de avião não costumam compartilhar com os passageiros

Leia também: Piloto cita atitude que os passageiros jamais devem ter durante o voo

Segredos dos pilotos de avião #1: Buzinas

Os aviões
possuem buzinas. Essa é uma das informações que os pilotos de avião
acabam não compartilhando com os passageiros. De acordo com o site norte-americano KLM
, “a buzina é, principalmente, um meio de comunicação, mas a própria aeronave também pode emitir um sinal para avisar os engenheiros quando um sistema se rompe ou quando há fogo”.

O site ainda completa: “Na verdade, a buzina não funciona quando a aeronave está em voo, porque o sistema de sinalização está desligado”.

Segredos dos pilotos de avião #2: Pedais

Os aviões não são apenas operados através dos botões e alavancas. Eles são guiados por dois pedais, de acordo com um piloto da British Airways
.  “Quando estamos no solo e decolamos, controlamos com nossos pés – dois pedais para esquerda e direita”, conta a pilota Helen Geering ao  The Sun
.

Segredos dos pilotos de avião #3: Botões nos braços dos assentos

O apoio para os braços ao lado do corredor pode parecer um objeto imóvel, mas se os passageiros procurarem embaixo, em direção à parte de trás, encontrarão um botão.

Veja Também  Os 10 destinos mais em conta para quem pretende viajar em julho

Uma vez pressionado, o botão permite mover o apoio para os braços para que fique nivelado com a parte de trás do assento para ganhar milímetros extras de largura da cadeira. Também torna muito mais fácil levantar do assento quando a mesa da bandeja está abaixada.

Segredos dos pilotos de avião #4: Travas de emergência

No caso de uma emergência, a  tripulação
tem acesso a uma trava que concede acesso a um banheiro que esteja ocupado. Esse trinco é, geralmente, escondido atrás da sinalização de “Proibido fumar”, existente nas aeronaves.


Avião
FreePik
Pilotos de avião e suas tripulações escondem segredos

Leia também: Celular pode fazer um avião cair? Veja 8 mitos e verdades sobre viagem de avião

Segredos dos pilotos de avião #5: Quartos

Alguma vez você já se perguntou para onde a tripulação vai quando se afasta dos passageiros? A maioria das aeronaves é projetada com compartimentos para que os assistentes durmam e façam uma pausa.

Muitos são controlados por temperatura e a equipe pode até mesmo ajustar a iluminação caso um deles tenha o desejo de dormir enquanto outro pode ficar acordado e realizar alguma leitura.

Veja Também  Ilha em Angra dos Reis já pode ser sua. É só pagar R$ 15,3 mil por noite

Segredos dos pilotos de avião #6: Cinzeiros

Desde a proibição de fumar na maioria das companhias aéreas,  a existência de cinzeiros ainda é um mistério para a maioria dos passageiros. Entretanto, as regulamentações de saúde e segurança estipulam que deve haver um lugar seguro para se apagar um cigarro no meio do voo, para o caso de alguém acender um cigarro – mesmo que isso seja proibido.

Leia também: 6 comportamentos que você deve evitar se tem aerofobia, o medo de voar de avião

Segredos dos pilotos de avião #7: Ganchos

Outra informação que os pilotos de avião
 acabam não compartilhando são os ganchos destinados para o caso de haver uma fuga na água. No  caso de pouso na água, esses ganchos na asa são alças rudimentares que facilitam a fuga de quem estiver a bordo.

Fonte: IG Turismo
Comentários Facebook

Turismo

Veja o que fazer em Poços de Caldas em um roteiro de 3 dias pela cidade mineira

Publicado

O sul de Minas Gerais é um ótimo lugar para famílias do Sudeste (seja de São Paulo, Rio de Janeiro ou da própria MG) explorarem nas próximas férias. Se você está com um final de semana livre e cogita dar um pulo na região, que tal passar alguns dias em  Poços de Caldas , a “Campos de Jordão mineira”?

Vista panorâmica do Centro de Poços de Caldas
Andre de Godoy/iG Turismo
Quem procura o que fazer em Poços de Caldas para uma viagem curta pode se surpreender com as possibilidades de roteiro

Com clima ameno e águas termais “milagrosas”, há muito o que fazer em Poços de Caldas , principalmente para quem gosta de curtir um friozinho em família. Segundo Eduardo Martins, diretor do buscador de viagens Viajala, a boa gama de hotéis para crianças torna a cidade um refúgio ideal para quem tem filhos e, consequentemente, para as férias de julho.

Mas não pense que as atividades de turismo em Poços de Caldas se limitam a diversão nos hotéis. Para quem tem filhos mais velhos ou estiver indo a dois, ficar perto do centro da cidade é uma boa ideia.

Como uma boa parte dos atrativos fica próxima do centro, escolher um hotel nesta região da cidade permitirá que você explore essa joia do turismo em Minas Gerais a pé, sem precisar pegar o carro ou subir no ônibus.

Por outro lado, não espere muita calmaria se ficar na região central. Com cerca de 100 mil habitantes, Poços não trará aquele ar calmo ou interiorano que outras cidades mineiras, como Tiradentes , ou até mesmo paulistas, como  Águas de Lindóia , trariam.

Como chegar em Poços de Caldas

Terminal de ônibus em Poços de Caldas
shutterstock
Para chegar na cidade e descobrir o que fazer em Poços de Caldas, você precisará de paciência na estrada

Se você quiser passar o próximo final de semana ou feriado por lá, é uma boa, antes de saber o que fazer em Poços de Caldas, ver quais caminhos você precisa pegar para chegar lá.

Para quem sair de São Paulo, a viagem de carro dura cerca de quatro horas, e o percurso é de cerca de 270 km. Você pode chegar lá direto pela Rodovia dos Bandeirantes, ou pegar a Rodovia Adhemar Pereira de Barros, um caminho um pouco mais extenso.

No caso dos paulistanos, é uma boa ideia ir com bastante troco para pedágio. Além de serem vários ao longo do trajeto, o preço varia bastante – indo de R$ 3,80 até R$ 12,10.

Quem partir de Belo Horizonte terá uma viagem bem mais demorada. Com cerca de 450 km separando Poços da capital mineira, a viagem pela estrada dura por volta de 6h30. O trajeto mais rápido é pegar a BR-381.

Já para os cariocas, a jornada é ainda a mais longa. Para percorrer os quase 500 km entre a cidade do Rio de Janeiro e Poços de Caldas, serão necessárias quase oito horas de viagem pelo trajeto mais curto, que seria pegar a BR-116 e depois ir para a BR-459.

Veja Também  De topless, jovem compartilha ensaio em Chernobyl e gera revolta no Instagram

O que fazer em Poços de Caldas em três dias

Com as dúvidas sobre o trajeto a ser feito sanadas, é hora de ver o que fazer em Poços de Caldas numa viagem de três dias para não perder nenhuma das atrações. A sugestão de roteiro no infográfico acima começa na tarde do primeiro dia e termina na tarde do terceiro. Lembre-se também que o roteiro não abrange todas as atrações da cidade, apenas aquelas indispensáveis para uma viagem curta durante o final de semana ou um feriado.

O que fazer em Poços de Caldas: Dia 1

Arbustos e árvores no Parque José Affonso Junqueira
Reprodução/Flickr/Janss
O Parque José Affonso Junqueira é um marco do turismo em Poços de Caldas, e é um bom lugar para iniciar sua viagem

Saindo cedo de casa no primeiro dia, você ainda conseguirá chegar ao seu destino durante a tarde. Dar uma descansada depois de horas na estrada faz bem, mas não perca tempo e saia para conhecer Poços ao terminar o check-in e deixar as malas no quarto.

Hospedar-se num local próximo do centro da cidade facilitará sua vida, pois você poderá explorar as ruas a pé, sem ter de pegar transporte público ou voltar para trás do volante do seu carro.

A parte mais turística de Poços está nas imediações do Parque José Affonso Junqueira, então vale aproveitar e conhecer esta bela área verde. Um marco interessante que fica próximo dela é o Relógio Floral, cujos ponteiros marcam as horas num canteiro cuidadosamente decorado com flores.

Do outro lado da avenida fica uma praça onde antes operava o trem turístico que ia de Águas da Prata até Poços de Caldas, mas que está inativo desde o final do século 20. Mesmo assim, você pode visitar a estação e seus arredores, tendo um vislumbre da história local.

Após o anoitecer, explore as opções de bares e restaurantes do centro para jantar. Você vai encontrar de comida de rua até comida italiana, sem deixar de lado os restaurantes de pratos típicos de MG. Só não espere encontrar lojas abertas: a maioria dos estabelecimentos já terá fechado no final da tarde.

O que fazer em Poços de Caldas: Dia 2

Entrada da Basílica Nossa Senhora da Saúde, construída com tijolos e fundada em 1954
shutterstock
Um roteiro de turismo em Poços de Caldas não estaria completo sem uma visita à Basílica Nossa Senhora da Saúde

O segundo dia do roteiro será o único completo nesta viagem de três dias para Poços de Caldas. Então, se você quiser aproveitar ao máximo a cidade, é uma boa ideia deixar a preguiça de lado e sair pela cidade pela manhã e pela tarde.

Após o café da manhã, a dica é ir até a Fonte dos Macacos, numa praça próxima a alguns dos principais hotéis de Poços de Caldas. E o motivo para ir até lá de manhã não é só caminhar pela praça onde fica a fonte.

Durante as manhãs de domingo (caso este seja o seu segundo dia), das 7h às 13h, ocorre a Feira de Artesanato Fearpo. Nela, você encontrará artigos dos mais variados, que vão de brinquedos e decorações de madeira até camisetas, meias de lã e cachecóis.

Veja Também  O que fazer em Tiradentes? 5 passeios para curtir na próxima ida a Minas Gerais

Em seguida, antes do almoço, vá até a Praça Pedro Sanches, onde fica o Monumento Minas ao Brasil. A ideia é vislumbrar essa praça enquanto estiver sentado em um dos cafés que ficam nas proximidades, mas você também pode explorá-la mais de perto se quiser.

Já no roteiro da tarde, vale uma passada na Basílica Nossa Senhora da Saúde, uma simpática e marcante igreja de tijolos na Praça Monsenhor Rocha. Depois de ver mais de perto esse marco do turismo local, ande rumo ao Parque José Affonso Junqueira para visitar outra atração histórica: as Thermas Antonio Carlos.

Aproveite para fazer compras ao longo do caminho nas lojas que lotam as calçadas das ruas do centro da cidade. Assim você aproveitará melhor seu tempo e pode até descobrir mais o que fazer em Poços de Caldas. À noite, mais uma vez, você pode procurar um lugar para comer fora ou, se preferir, ficar no hotel e desfrutar do lazer com a família.

O que fazer em Poços de Caldas: Dia 3

Portal marcando o caminho da trilha para chegar ao Cristo Redentor de Poços de Caldas
shutterstock
Quer o que fazer em Poços de Caldas? Que tal iniciar seu último dia na cidade subindo a trilha até o Cristo Redentor?

O terceiro e último dia será o mais curto da viagem. Para abrir o roteiro, assista à alvorada do alto do Cristo Redentor, monumento de 30 metros de altura inaugurado em 1958 na Serra de São Domingos. Você pode chegar até ele via trilha, carro ou teleférico.

Se a ideia de ir de teleférico te soa uma boa, fique atento aos horários de funcionamento. De acordo com o Viajala.com.br, ele funciona de segunda, sexta e quinta das 14h às 17h, das 10h às 17h aos sábados e das 9h às 16h aos domingos e feriados. Para pegá-lo, é preciso pagar R$ 25; crianças, estudantes e idosos pagam R$ 12,50.

E se a vantagem de pegar o teleférico é sentir aquele friozinho na barriga de subir uma montanha pelo ar, a trilha do Cristo pode te oferecer experiências tão cativantes quanto. Por exemplo, no começo da trilha, fica a Fonte dos Amores, um ponto memorável do turismo em MG.

Segundo o Viajala.com.br, a escultura de mármore de dois jovens abraçados, concretizada pelas mãos do italiano Giulio Starace, foi inaugurada em 1929 e, desde então, se tornou um local preferido dos casais. Ela está aberta à visitação diariamente, das 8h às 17h30.

Para concluir os passeios matutinos, conheça o Mercado Municipal antes do almoço. Lá você encontrará de tudo: frutas, lembranças, cachaças exclusivas da região, cafés, organizadores de tempero e barracas de queijo.

Logo após o almoço, se você ainda estiver disposto e não se incomodar de ficar até um pouco mais tarde na cidade, pegue o carro e vá até a Cachoeira Véu das Noivas ou ao Zoo das Aves.

Como as duas atrações ficam no caminho de saída da cidade, você pode conhecê-las depois do check-out do hotel. O Zoo das Aves funciona de terça a domingo e nos sábados e feriados das 9h às 17h. A entrada custa R$ 25 para adultos; crianças entre 3 e 12 anos, estudantes e idosos acima de 60 anos pagam apenas R$ 15 para ver de perto cerca de 200 espécies diferentes no zooparque criado nos anos 40 pelo empresário Moacyr de Carvalho Dias.

Leia também: Conheça Belo Horizonte e Ouro Preto em uma só viagem por MG

Agora que você já sabe o que fazer em Poços de Caldas, é só reunir a família e partir.

Fonte: IG Turismo
Comentários Facebook
Continue lendo

Turismo

De topless, jovem compartilha ensaio em Chernobyl e gera revolta no Instagram

Publicado

Ninguém resiste a uma selfie ao viajar, e alguns fazem questão de ousar nos seus cliques, seja em  vagões de trem sem janelas ou em penhascos prestes a ceder . Mas a usuária “nz.nik” decidiu levar as coisas para outro nível ao postar no Instagram o resultado de um ensaio sensual feito supostamente em Pripyat, cidade vizinha à usina de Chernobyl.

Na esquerda, a jovem posa seminua em frente ao prédio; na direita, ela posa seminua sentada na janela de um prédio
Reprodução/Instagram/@nz.nik
A ideia de fazer um ensaio fotográfico em Chernobyl não colou com os usuários do Instagram, que ficaram indignados

Embora não tenha sido a única a fazer isso (uma busca rápida por  #pripyat no Instagram revela mais de 100 mil fotos, várias delas tiradas por turistas que visitaram a região), a jovem foi a que mais chamou a atenção dos usuários por fazer topless na cidade ucraniana evacuada logo após o desastre de 1986. Abaixo está o primeiro de três posts, cada um com duas fotos, do polêmico ensaio em Chernobyl :

Mas a ideia de postar fotos em Chernobyl não foi um sucesso estrondoso, como as curtidas poderiam sugerir. Dos mais de 8,7 mil comentários no primeiro post, inúmeros deles criticavam a falta de sensibilidade da jovem.

Veja Também  De topless, jovem compartilha ensaio em Chernobyl e gera revolta no Instagram

“É uma falta de respeito com todos os que deram suas vidas para que esta catástrofe não tivesse sido pior”, protestou um dos usuários que viu as fotos do Instagram dela.

Outro não poupou palavras para criticar a ideia da jovem, e perguntou se ela fazia ideia de que dezenas de milhares de pessoas morreram devido ao desastre nuclear nos anos 80. “É, de fato, muito assustador que em nosso tempo haja pessoas como você”, concluiu.

Por fim, um dos participantes dos comentários disse que não tinha “nenhum problema com as pessoas que desejam visitar locais de interesse histórico e tirar fotos como prova de terem ido neles”, mas reforçou que achou a foto publicada pela jovem um ato de desrespeito. 

Leia também: Já é possível visitar Chernobyl, mas é preciso respeitar uma série de regras

Um ensaio fotográfico, muitas infrações de segurança

Mas ela não desrespeitou apenas as pessoas que morreram na tragédia. Ao ficar seminua e encostar em objetos da Zona de Exclusão, ela quebrou as  regras de segurança  da Agência Estatal Ucraniana para Gerenciamento de Zonas de Exclusão.

Veja Também  Bienal das Bicicletas reúne algumas das  ciclovias mais incríveis do mundo

De acordo com as regras estabelecidas pelo órgão, é obrigatório o uso de roupas que cubram o corpo inteiro para poder entrar na área próxima à antiga usina nuclear. Além disso, é proibido se sentar ou deixar os pertences encostarem no chão, regra que ela infringiu.

Leia também: Passageira é barrada em voo por causa de traje “inapropriado”

“Mentira por todos os lados”

Criticada, a jovem usou o Instagram para se posicionar e criticar a atitude de pessoas que desejaram que ela “pegasse câncer, morresse por causa da radiação e desse à luz crianças com duas cabeças”. 

Ela ainda criticou a exposição na mídia, acusando-a de mentir e ajudar a acrescentar mais “comentários sujos”, e afirmou que ninguém pensou que ela poderia ter feito as fotos em um lugar e colocado a localização de outro. Ainda assim, ela não negou que fez um ensaio em Chernobyl e declarou que respeita a tragédia ocorrida em Pripyat, dando condolência àqueles que sofreram com o desastre nuclear.

Fonte: IG Turismo
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana