conecte-se conosco


Política Nacional

Filha de Queiroz repassou 80% do salário na Câmara para o pai, aponta Coaf

Publicado


Novo relatório do Coaf levanta suspeita que Fabrício Queiroz comandava esquema de
Reprodução/SBT
Novo relatório do Coaf levanta suspeita que Fabrício Queiroz comandava esquema de “rachadinha” no gabinete de Bolsonaro

Um novo relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) enviado ao Ministério Público do Rio (MP-RJ) mostra novas movimentações consideradas atípicas feitas por Nathalia Melo de Queiroz para o pai dela, Fabrício Queiroz, quando a jovem trabalhava no gabinete do então deputado federal Jair Bolsonaro.

Leia também: Queiroz diz que gerenciava salários dos funcionários de Flávio Bolsonaro

De acordo com o relatório, a jovem repassou 80% do salário que ganhou na Câmara para a conta do pai entre os meses de junho e novembro de 2018. Foram R$ 29,6 mil dos R$ 36,6 mil que recebidos. 

A Promotoria suspeita que Queiroz tenha comandado uma pratica conhecida como “rachadinha”, onde funcionários repassam uma parte de seus salários de volta para os parlamentares.

Em um depoimento por escrito ao Ministério Público do Rio de Janeiro no início de janeiro, Fabrício Queiroz  afirmou que recolhia parte dos salários dos funcionários do então deputado estadual para redistribuir para outras pessoas que também trabalhavam para Flávio, ainda que não estivessem formalmente vinculadas à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Queiroz chamou a função de “gerenciamento financeiro dos salários do gabinete”. 

Veja Também  Mourão faz piada sobre pedido de impeachment apresentado por Feliciano

De acordo com Queiroz, o objetivo era “ampliar a rede de colaboradores” de Flávio Bolsonaro para aproximar o deputado de sua base eleitoral. O ex-assessor afirmou ainda que Flávio não sabia da prática. O agora senador não se posicionou sobre as declarações.

“Por contar com elevado grau de autonomia no exercício de sua função, resultante de longeva confiança que nele depositava o deputado, o peticionante nunca reputou necessário expor a arquitetura interna do mecanismo que criou ao próprio deputado e ao chefe de gabinete”, diz o documento entregue ao MP-RJ.

Queiroz afirmou que não considerava a prática ilícita pois o dinheiro não era usado em benefício próprio ou de terceiros, e sim para “multiplicar e refinar os meios de escuta da população por um parlamentar”.

Entenda a ligação de Nathalia Queiroz com a família Bolsonaro


Filha de Fabrício Queiroz, Nathalia também teve movimentações bancárias atípicas, segundo o Coaf
Reprodução
Filha de Fabrício Queiroz, Nathalia também teve movimentações bancárias atípicas, segundo o Coaf



Ainda em 2007, aos 18 anos, Nathalia começou a atuar na vice-liderança do PP, então sigla de Flávio Bolsonaro, onde ficou até fevereiro de 2011. Já de agosto do mesmo ano até dezembro de 2016, ela esteve lotada no gabinete do deputado estadual e agora senador Flávio Bolsonaro.

Veja Também  Ministro da Cidadania apresenta prioridades à Comissão de Cultura

Sabe-se que quando ainda era servidora da Alerj, entre 2011 e 2012, Nathalia também trabalhava como recepcionista numa academia que fica em um shopping no Rio de Janeiro e foi contratada para participar de eventos de fitness também em horário comercial de dias úteis.

Leia também: STF nega pedido de Flávio Bolsonaro para suspender investigação sobre Queiroz

Contratada pelo gabinete de Jair Bolsonaro no final de 2016, Nathalia mudou de cargo duas vezes, e nos seus últimos meses como secretária, recebeu um salário bruto de R$ 10.088,42. Ela trabalhou com o agora presidente da República até o final de 2018.

Apesar de ter sido contratada em dezembro de 2016 com regime de 40 horas semanais, clientes que contratavam a educadora física certificada em eletroestimulação como personal trainer relataram que ela prestava atendimento rotineiramente em dias úteis e horário comercial, no Rio de Janeiro.  O registro de frequência dos secretários é administrado pelos próprios parlamentares.

Em um relatório prévio do Coaf, o nome de Nathalia já estava associado a uma transferência de R$ 84 mil para a conta de Fabrício Queiroz.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook

Política Nacional

Maia mostra otimismo por reformas, mas diz que Bolsonaro precisa aumentar base

Publicado


Rodrigo Maia
Marcelo Camargo/ Agência Brasil
Rodrigo Maia mostrou otimismo em relação às reformas

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), falou sobre a possibilidade de aprovação da reforma da Previdência na CCJ, da possibilidade de uma reforma tributária e das articulações da base do governo Bolsonaro com o legislativo.

Leia também: Maia sugere “corujão” na CCJ pela Nova Previdência e volta a alfinetar governo

Rodrigo Maia
está em Portugal para palestrar no VII Fórum Jurídico de Lisboa, evento organizado pelo Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

 “Acho que amanhã vai passar e a gente vai terminar este processo na CCJ, que levou tempo demais, infelizmente. A partir da semana que vem, a gente começa o trabalho na comissão especial”, disse, sobre a reforma da Previdência
. “Está bem encaminhado e tem mais apoio do que no passado.”

Sobre o sigilo em torno da proposta, Maia disse que havia sido “uma decisão de curto prazo”. – Não sei se foi a melhor decisão, mas quando a reforma chegar na comissão especial não tem jeito. Os dados vão estar abertos, senão não tem como começar a trabalhar.

Veja Também  Audiência discute mudanças no financiamento de projetos culturais

“A Câmara precisa entender que há uma grande crise fiscal. O custo previdenciário é muito alto e aumenta rapidamente. Se não tiver uma solução para a previdência, certamente não terá uma solução de investimento para o Brasil nos próximos anos.”

Sobre a lentidão no processo, o presidente da Câmara dos Deputados disse que a reforma na Previdência divide a sociedade porque é “um tema polêmico”.

“A reforma tributária unifica a sociedade e divide a Federação, já que os interesses por uma boa reforma tributária precisa reorganizar as atribuições de cada um dos entes no sistema para que a gente possa ter de fato um sistema mais simples”, opinou.

Para Rodrigo Maia, o presidente Jair Bolsonaro
precisa ter mais partidos em sua base, além do próprio PSL, que publicamente “pactuem com uma agenda de quatro anos”.

“Esta questão de discutir espaço solto no governo é a pior fórmula possível. É importante que cada partido consiga construir uma relação com o governo baseada em uma agenda e que não pode se limitar na previdência”, afirmou o presidente da Câmara.”Acho que o governo agora nessa reta final já está atrasado e deveria organizar essa agenda, trazendo o maior número de partidos possível para sua base. Hoje, o governo tem apenas o PSL na base, o que é ruim”, analisou.

Veja Também  Médicos discutem com parlamentares atualização da tabela do SUS

Leia também: Após troca de farpas, Bolsonaro e Maia participam de reunião com prefeitos

Além da reforma na Previdência, Rodrigo Maia diz que a Câmara
também deve seguir com a reforma tributária e outros temas importantes para a economia brasileira. – A gente pode avançar o licenciamento ambiental, coisas como a relação CADE e Banco Central, que é muito importante para destravar alguns conflitos, a própria autonomia do Banco Central – afirmou.

“Tem muitas pautas que podem tramitar independentes das pautas de emendas constitucionais que vão ajudando o ambiente econômico. São coisas assim que a gente vai trabalhando enquanto, de forma paralela, a gente trabalha as grandes reformas”, finalizou Maia
.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Reforma da Previdência é tema na reunião do Conselho de Governo no Alvorada

Publicado


Jair Bolsonaro Conselho Governo
Marcos Corrêa/PR
Bolsonaro reuniu integrantes do Governo para discutir assuntos como a reforma da Previdência

O presidente Jair Bolsonaro participa, neste momento, da 10ª Reunião do Conselho de Governo, no Palácio da Alvorada. O único ministro que não participa da reunião é o da Justiça, Sérgio Moro, que está retornando de Portugal, onde participou de um fórum jurídico. A reunião começou por volta das 8h15.

Leia também: Veja o convite para palestra de Mourão nos EUA que irritou Carlos Bolsonaro

A exemplo da reunião anterior, antes de iniciar o encontro, Bolsonaro e sua equipe ministerial participaram, às 8h, da cerimônia de hasteamento da Bandeira, na área externa do Alvorada. Estavam presentes, além dos ministros, o vice-presidente, general Hamilton Mourão, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e o advogado-geral da União, André Luiz de Almeida Mendonça. Logo após, o time ministerial do Governo
iniciou o encontro.

Entre os assuntos que deverão ser discutidos estão a reforma da Previdência
, os índices de governança do Banco Mundial, a conjuntura econômica, e o futuro da Agenda BC+, um conjunto de medidas para reduzir o custo do crédito, modernizar a legislação, ampliar a inclusão financeira e tornar o sistema financeiro mais eficiente.

Leia também: Dono do sítio de Atibaia pede autorização para vender propriedade

Veja Também  Ex-chefe da PGR diz que Dodge não foi prudente ao pedir fim do inquérito no STF

O Governo
vive a expectativa da  votação da reforma na sessão da CCJ
da Câmara, que está prevista para começar às 14h desta terça. No início da semana, o governo aceitou retirar alguns pontos do projeto para garantir que o pleito aconteça ainda nesta semana.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana