conecte-se conosco


Mato Grosso

Beneficiários do Mato Grosso Saúde já podem retirar carteirinha de identificação

Publicado

A entrega dos novos cartões aos beneficiários do Mato Grosso Saúde se iniciou nesta quarta-feira (20). Os associados já poderão buscar o documento na sede do Plano, localizado na Av. das Flores, nº 941, bairro Jardim Cuiabá, na Capital, em horário comercial, das 9h às 18h.

Para beneficiários que moram no interior do Estado, os cartões serão encaminhados para as residências via correspondência, mas para isso, é necessária a atualização cadastral junto ao Plano por meio da Central de Relacionamento com o Beneficiário no telefone (65) 3613-7700, ou pelo site www.matogrossosaude.mt.gov.br. Esta ação é necessária em virtude das devoluções ao remetente em razão dos endereços incorretos.

Para os novos beneficiários, as carteirinhas já estarão disponíveis após o desconto da primeira mensalidade. Já em relação aos beneficiários que completarão 18 anos em 2019, as carteirinhas só serão liberadas após a solicitação de permanência ao Plano pelo titular.

O visual dos novos cartões foi elaborado visando os princípios da economicidade, como a retirada da data de validade para que a durabilidade do produto seja estendido, bem como a unificação dos dados dos beneficiários em apenas um dos lados.

A presidente do Mato Grosso Saúde, Thalita Coutinho, informa que com a nova proposta do visual do cartão de identificação, o preço gasto com bobinas de impressão cai pela metade, indo ao encontro das propostas governamentais de economia.

Veja Também  ‘Jovens de Futuro’ participam de transmissão ao vivo para contar suas histórias

Mato Grosso Saúde

Está localizado na Av. das Flores, 941 – Jardim Cuiabá, em Cuiabá, das 9h às 18h. Contato para outras informações: (65) 3613-7700. Site de acesso www.matogrossosaude.mt.gov.br

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Mato Grosso

Penitenciária investe em qualificação profissional para reeducandos

Publicado

Vinte reeducandos da Penitenciária Regional Major Eldo Sá Corrêa, em Rondonópolis (214 km ao sul de Cuiabá), iniciaram nesta semana curso de qualificação profissional em panificação e confeitaria. As aulas são ministradas três vezes por semana, com orientações práticas e teóricas, na padaria instalada na unidade prisional e toda a produção é utilizada internamente.

A duração da capacitação é de dois meses e meio e foi elaborada pela equipe pedagógica da penitenciária e organizada pelos servidores que coordenam as atividades laborais do Projeto Alvorada. O curso é custeado com recursos da cantina da unidade prisional, para o pagamento do instrutor, e tem investimentos do Departamento Penitenciário Nacional, que por meio de convênio destinou verba para aquisição de equipamentos e insumos para a padaria, inaugurada na penitenciária há um ano.

Investimento em qualificação

O novo curso de panificação e confeitaria é mais uma qualificação dentro das atividades laborais ofertadas aos reeducandos na maior unidade prisional no interior do Estado. Atualmente, a penitenciária tem 1.500 presos custodiados, entre condenados e provisórios e destes, 450 estudam e trabalham em oficinas de corte e costura, serigrafia, marcenaria, padaria-escola, horta, serralheira, lavandaria e nas obras e serviços gerais.

Além disso, há seis salas de aula para oferta de educação básica e cursinho pré-vestibular, de onde já saíram reeducandos direto para cursar ensino superior em universidade pública.

Veja Também  Parceria amplia oportunidade de emprego a reeducandos dos regimes fechado e semiaberto

Coordenado por dois servidores da penitenciária, o projeto Alvorada inclui a padaria, ateliê de corte, costura e serigrafia e uma lavanderia, que somam quase 50  recuperandos trabalhando. Estas iniciativas, junto a dezenas de outros projetos laborais nas demais unidades prisionais do Estado, ajudam a colocar o Sistema Penitenciário de Mato Grosso entre os principais números de presos exercendo alguma atividade educativa ou laboral – 33,9% da população prisional do Estado está trabalhando e estudando – uma realidade bem distinta da maioria dos Estados brasileiros e da média nacional, que é de 18,9%.

O assistente penitenciário, Emmanuel Carlos Rodrigues Silva, destaca que estas atividades extras são importantes para promover a capacitação dos internos.


Ateliê de corte e costura na penitenciária de Rondonópolis 

“Atuamos em várias frentes no intuito de dar oportunidade aos reeducandos para sair daqui e ter uma profissão. Sabemos que hoje há vagas disponíveis no mercado de trabalho que exigem capacitação e é dada ao interno a possibilidade de escolher a atividade que mais interessa. Além do aprendizado, este preso tem um dia de remissão de pena a cada três dias trabalhados”, pontua Emmanuel que, em conjunto com a servidora Maria Leite, cuida das atividades do projeto Alvorada.

Veja Também  Seduc entrega materiais esportivos para escolas estaduais

No ano passado, o ateliê de corte e costura teve uma produção de quatro mil peças de roupas, entre uniformes para as unidades prisionais masculina e feminina e servidores, além de outras demandas externas. A parceria com uma empresa de uniformes da cidade também aproveita a mão de obra dos reeducandos, que são remunerados por produção. A empresa entrega as peças já cortadas e na oficina da penitenciária é feita a costura e arremate final.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Agência das Águas detalha diagnóstico realizado na Bacia do Alto Paraguai

Publicado

Representantes da Agência Nacional das Águas (ANA) estiveram na sede da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) para apresentar informações sobre o diagnóstico que está sendo realizado para avaliar o impacto dos empreendimentos energéticos que podem vir a ser instalados na Bacia Hidrográfica do Alto Paraguai (BAP). O estudo servirá de base para construção de nota técnica sobre o tema.

“Podemos garantir que formamos um grupo com os melhores pesquisadores brasileiros sobre os assuntos em pauta. Acreditamos que essa análise servirá, inclusive para nortear outras políticas públicas de desenvolvimento sustentável”, projeta o superintendente de Planejamento da ANA, Sergio Ayrimoraes.

Iniciados em novembro de 2016, os estudos são realizados em parceria com universidades e órgãos estaduais. Um dos principais resultados esperados é a delimitação e diferenciação entre as áreas consideradas prioritárias para preservação, por serem primordiais na manutenção das rotas migratórias dos peixes e aquelas consideradas menos importantes para a ictiofauna, permitindo a implementação de empreendimentos energéticos.

A pesquisa também avalia se a implementação de empreendimentos energéticos acarreta em impactos significativos no regime hidrológico dos rios da região.

“O dado científico virá para desmistificar as dúvidas que existem em relação aos impactos que esses empreendimentos podem causar tanto no regime das águas, quanto no comportamento dos peixes”, explica a secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti.

Veja Também  TCE fiscaliza aplicação dos recursos do Fundo de Erradicação do Trabalho Escravo

De acordo com o diretor da ANA, Marcelo Cruz, o mesmo trabalho de apresentação será feito com o Governo de Mato Grosso do Sul unificando os entendimentos sobre a dinâmica da bacia que abrange as duas unidades da federação. 

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana