conecte-se conosco


Entretenimento

Animação para adultos, “Love, Death & Robots” radicaliza conceito seriado

Publicado

Revolucionária na forma, é uma animação para adultos antológica, e na estética, os 18 episódios têm entre 5 e 18 minutos, “Love, Death & Robots” é forte candidata a série do ano. Criada por David Fincher, que já colaborara com a Netflix nas séries “House of Cards” e “Mindhunters”, e Tim Miller, o diretor do primeiro “Deadpool”, a produção é um deleite visual e empolgante tematicamente.

Leia também: Entre o humor e o pesar, “After Life” analisa o que nos motiva a viver


Cenas de Love, Death and Robots
Divulgação
Cenas de Love, Death and Robots

Todos os episódios dessa primeira temporada de “Love Death & Robots”
, como entrega o nome, tratam de amor, morte e robôs. Uma comparação válida, ainda que pobre, é com “Black Mirror”, já que muitos dos episódios são chapados, lisérgicos e provocam surtos existenciais e reflexivos.

Há outros em que a viagem filosófica vai além da pertinência contemporânea. É o caso de “Zima Blue”, que flagra uma artista animatrônico – uma espécie de inteligência artificial que revolucionou o mundo das artes – que prepara o seu último grande trabalho. Trata-se de uma avaliação sobre o sentido da vida de tirar o fôlego, ainda que o episódio seja de dez minutos e fundamentalmente narrado em 1ª pessoa. É para se pensar em Kubrick!

Há, ainda, a sátira política “When the Yogurt Took Over”, que mostra como fica o mundo depois que o Yogurt desenvolve inteligência e sana a dívida pública. Já em “Alternate Histories”, um computador imagina realidades alternativas a partir de seis tipos de mortes diferentes para Hitler. É impagável!

Veja Também  No “Programa da Maisa”, Christina Rocha se irrita com piada de Oscar Filho

Leia também: “American Gods” funciona porque não tem medo das polêmicas, diz Ricky Whittle


Montagem com cenas dos episódios de Love, Death and Robots
Divulgação
Montagem com cenas dos episódios de Love, Death and Robots

Todos os episódios são dirigidos por diretores diferentes e de diversos cantos do globo, sempre com a supervisão de Tim Miller
. A produção radicaliza a maneira de contar histórias seriadas e o faz com indefectível assombro estético.

Há a ficção científica casca-grossa como “Beyond the Aquila Rift”, que tem uma das melhores cenas de sexo da história da animação, e o inusitado drama de ação em que lobisomens são instrumentalizados pelos militares em “Shape-Shifters”.

Todos esses são episódios ressonantes, mas há aqueles que visam o mero entretenimento, ainda que com boas piadas, tramas ou personagens como no tenro “Three Robots”, sobre três robôs em excursão por uma Terra pós-desastre nuclear, ou no esperto “The Dumb”, sobre um sujeito que mora no lixão e recebe a visita da Prefeitura.

O estilo da animação
varia do mais rudimentar 2D ao mais avançado CGI, com direito a Performance Capture.

Veja Também  Os cinco melhores momentos do segundo episódio de “Game ofThrones”

Leia também: Longa argentino traz sexo de verdade em road movie erótico com viés feminista

“Love, Death & Robots”
é um triunfo da Netflix por todos os ângulos que se observe. É uma produção criativamente voraz (a pulga não vai sair da sua cabeça após assistir ao 3º episódio denominado “The Witness”), sutil, elétrica, inteligente, divertida e essencialmente humana em suas divagações.


Love, Death and Robots
Divulgação
Love, Death and Robots

Fonte: IG Gente

Comentários Facebook

Entretenimento

Temas polêmicos e figuras populares geram hype para documentários em 2019

Publicado

Filmes e séries deixaram de ter exclusividade entre os queridinhos do público. Em 2019, o gênero documentário
que, até então, não costumava ter tanta força, caiu no gosto e se consolidou no streaming.

Leia também: “Game of Thrones” ganhará documentário com duas horas de duração


documentários
Divulgação
Gênero documentário ganha popularidade em 2019

A onda de documentário pop está tão grande que, com grande frequência, faz parte das listas “Em Alta” e “Populares”  da Netflix e se mantém entre os comentários das redes sociais.

Leia também: HBO exibe documentário polêmico sobre Michael Jackson e abusos sexuais

Assuntos variados e até acontecimentos antigos voltaram à tona com a inesperada popularidade deste gênero. Narrativas profundas e detalhadas, na maioria das vezes com viés jornalístico, dão olhares diferenciados sobre determinados temas e são capazes de despertar interesse e curiosidade do público.

Casos, fatos e histórias criminais
são os que mais chamam atenção e prendem os telespectadores. Em seguida, temas sobre grandes artistas populares na música
também ganham destaques na lista dos docs favoritos.

Veja os títulos que estão entre os pops do momento:

“Sequestrada à luz do dia”


“Sequestrada à luz do dia”
Divulgação
Documentário “Sequestrada à luz do dia”

“Sequestrada à luz do dia” conta a história verídica de Jan Broberg Felt, que na década de 70, quando era adolescente, foi sequestrada duas vezes pelo mesmo homem, vizinho de sua família.

“Gênio Diabólico”


“Gênio Diabólico”
Divulgação
Documentário “Gênio Diabólico”

A série documental “Gênio Diabólico”, uma das mais populares entre os títulos crinimaisa narra um caso famoso de 2003, quando um entregador de pizza dos EUA assaltou um banco com uma bomba em seu pescoço e, consequente, morreu com a explosão.

Veja Também  Após sequestro de Laila, Jamil a encontra e os dois fogem em “Órfãos da Terra”

A história, no entanto, vai além do assalto seguido de suicídio, já que o ocorrido intrigou ao deixar muitas perguntas sem respostas depois de muita investigação e acontecimentos bizarros.

“O Desaparecimento de Madeleine McCann”


“O Desaparecimento de Madeleine McCann”
Divulgação
Documentário “O Desaparecimento de Madeleine McCann”

“O Desaparecimento de Madeleine McCann” traz detalhes do intrigante caso de Madeleine, uma inglesa de 3 anos que desapareceu durante as férias em família em Portugal, em 2007.

“Deixando Neverland”


“Deixando Neverland”
Divulgação
Documentário “Deixando Neverland”

Produção da HBO, “Deixando Neverland” acompanha a história vivida por dois homens que, ainda crianças, conquistaram a amizade de Michael Jackson e 30 anos mais tarde alegaram terem sido abusados sexualmente pelo Rei do Pop quando tinham apenas 7 anos e 10 anos.

“Conversando com um serial killer: Ted Bundy”


“Conversando com um serial killer: Ted Bundy”
Divulgação
Documentário “Conversando com um serial killer: Ted Bundy”

Ted Bundy foi um dos serial killers mais emblemáticos dos Estados Unidos. Responsável por uma série de assassinatos de mulheres nos anos 1970, em diferentes estados do país, o criminoso ganhou um título original da Netflix. 

Com entrevistas recentes, materiais de arquivo e gravações de áudios feitas no corredor da morte, “Conversando com um serial killer: Ted Bundy” traz um mergulho profundo na mente do famoso assassino em série.

“Por dentro das prisões mais severas do mundo”


“Por dentro das prisões mais severas do mundo”
Divulgação
Documentário “Por dentro das prisões mais severas do mundo”

“Por dentro das prisões mais severas do mundo”, que já conta com três temporadas na Netflix, mostra jornalistas investigativos que aceitam o desafio de ficarem presos nos presídios mais perigosos do mundo, para mostrar com detalhes o que acontece nesses lugares, onde a intimidação e a violência imperam.

Veja Também  Gracyanne Barbosa capricha no textão para parabenizar Belo: “Meu tudão”

“Gaga: Five foot two”


“Gaga: Five foot two”
Divulgação
Documentário “Gaga: Five foot two”

Quando o assunto é doc musical, “Gaga: Five foot two” é um dos principais destaques. O título, também considerado biográfico, traz um olhar intimista sobre Lady Gaga fora dos palcos, com foco nos altos e baixos de sua vida pessoal, os problemas de saúde, relacionamentos e muito mais. 

“The Beatles: Eight Days a Week”


“The Beatles: Eight Days a Week”
Divulgação
Documentário “The Beatles: Eight Days a Week”

Com entrevistas e arquivos antigos, “The Beatles: Eight Days a Week” mostra o início dos icônica banda Beatles e como a turnê internacional do grupo revolucionou o mundo da música e da cultura pop.

“Fyre Festival: Fiasco no Caribe”


“Fyre Festival: Fiasco no Caribe”
Divulgação
Documentário “Fyre Festival: Fiasco no Caribe”

O que era pra ser um festival luxuoso realizado durante dois fins de semana em abril/maio de 2017, em uma ilha paradisíaca nas Bahamas, com pacotes que custaram de 10 a 100 mil dólares, foi na verdade uma farsa e o público acabou ficando preso na ilha deserta com condições instáveis e mudanças climáticas agressivas. O fato, que repercutiu na época, ganhou a produção da Netflix intitulada de “Fyre Festival: Fiasco no Caribe”.

“Homecoming: A Film by Beyoncé”



Divulgação
Documentário “Homecoming: A Film by Beyoncé”

Na última quarta-feira (17), “Homecoming: A Film by Beyoncé”  estreou na Netflix
e já um dos queridinhos do momento.

O documentário
, fruto da apresentação de Beyoncé no festival de Coachella de 2018, mescla momentos da apresentação, narração sobre a força negra e os meses de ensaio e preparação. No título Bey também comenta a dificuldade de retomar a rotina após a gravidez dos gêmeos Sir e Rumi, que nasceram dez meses antes da apresentação da cantora.

Fonte: IG Gente
Comentários Facebook
Continue lendo

Entretenimento

Aziz revela a Dalila que ela se casará com Youssef em “Órfãos da Terra”

Publicado

Todo mundo sabe que Dalila (Alice Wegmann) é completamente louca (em todos os sentidos da palavra) por Jamil (Renato Góes) e que seu amor pelo muçulmano não é correspondido. O sonho da vida da víbora é casar com o amado, mas é claro que isso não se tornará realidade (pelo menos não tão cedo, já que tudo pode acontecer), uma vez que o rapaz é apaixonado por Laila (Julia Dalavia), a mocinha de “Órfãos da Terra”.

Leia também: Após sequestro de Laila, Jamil a encontra e os dois fogem em “Órfãos da Terra”


Youssef, com olhar observador
Reprodução/TV Globo
Youssef (Allan Souza Lima)


No entanto, uma notícia inesperada deixará a moça em desespero. Aziz (Herson Capri), seu pai e grande vilão de “ Órfãos da Terra
”, dirá que a filha se casará com Youssef (Allan Souza Lima), por quem ela nutre um ódio (ou paixão escondida?) inexplicável.

Leia também: Aposta da Globo em novos protagonistas traz frescor para “Órfãos da Terra”

Consternada, Dalila
ficará em pânico com a possibilidade de não se casar com Jamil, já que a palavra de Aziz
, em “ Órfãos da Terra
”, é lei. Será que a jovem mimada conseguirá fazer com que o pai desista dessa ideia?

Fonte: IG Gente
Comentários Facebook
Veja Também  Episódio de “Game of Thrones” vaza antes da hora na Alemanha
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana