conecte-se conosco


Nacional

Corte italiana inocenta réu e diz que vítima era “muito feia para ser estuprada”

Publicado



Reprodução/Facebook
“Violência masculina contra as mulheres, até os juízes precisam de treinamento”, escreveu uma manifestante em ato contra o caso de estupro

Dois homens acusados de estupro em 2015 foram absolvidos pela Justiça italiana sob a alegação de que a vítima seria “masculina demais”, “feia” e “pouco atrativa para ser estuprada”. A decisão das três juízas que presidiam o tribunal de recursos da cidade de Ancona foi cancelada e uma nova audiência para julgar o caso de estupro foi ordenado pelo Supremo Tribunal da Itália.

Leia também: Morte de Marielle completa um ano e viúva faz homenagem; veja atos pelo País

Indignadas com a justificativa do tribunal ao considerar os acusados de estupro
inocentes, centenas de pessoas fizeram uma manifestação no início da semana diante da sede do Tribunal de Apelação. “Tremam, tremam, as bruxas estão outra vez”, gritavam os manifestantes, que ainda mostravam cartazes escritos “vergonha, indignação, a magistratura necessita de formação”.

Segundo o jornal The Washington Post
, o protesto foi organizado pelo grupo feminista Rebel Network e outras organizações de defesa dos direitos humanos, que rejeitaram que a falta de atração sexual pudesse ser usada como elemento de apoio a favor dos investigados. “Estas palavras constituem uma nova afronta para a vítima. Não têm nada a ver com a busca pela verdade”, declarou Luisa Rizzitelli, da Rebel Network.

Nas redes sociais, o grupo feminista ainda escreveu: “O estupro não satisfaz um desejo de prazer, mas o ódio e desprezo abominável pela vítima. Não depende de quanto você é feminina, mas do ódio que o estuprador carrega dentro de si”.

Leia também: Jovem sofre estupro coletivo, é morta e tem corpo jogado em cisterna, em Goiás

O caso aconteceu há quatro anos, quando uma mulher peruana de 22 anos alegou ter sido atacada por dois homens, também de nacionalidade peruana. Um deles a teria estuprado, enquanto o outro teria agido como cúmplice do crime.

Os réus foram condenados em 2016 a cinco e três anos de prisão e, segundo o laudo médico, os ferimentos sofridos pela vítima confirmavam o estupro e a presença de um tranquilizante em seu sangue, confirmando a versão da mulher
de que teria sido drogada, enquanto estava em um bar após uma aula noturna.

Porém, em 2017, o Tribunal da Apelação da Itália
decidiu revogar a condenação, após as três juízas que acompanhavam o caso verem uma foto da vítima e concordarem com os argumentos dos acusados de que a mulher era “masculina demais”. Segundo as juízas, haveria ainda a possibilidade de que os acontecimentos contados pela vítima tivessem sido inventados ou organizados pela própria mulher.

Elas afirmaram que um dos réus “nem sequer sentiu atração pela moça, tanto que havia guardado o telefone dela em seu aparelho sob o apelido ‘Viking’, uma alusão a uma figura que seria tudo menos feminina, mas sim masculina”.

Leia também: Onda de feminicídios atinge Carnaval e renova urgência de lutas no Dia da Mulher

A decisão das juízas foi divulgada somente na última semana, porém, a sentença em relação aos acusados por estupro
foi cancelada e o julgamento deverá ser realizado novamente na cidade de Perúgia, também na Itália. A advogada da vítima, Cinzia Molinaro, declarou ao jornal The Guardian
que os argumentos usados pelas juízas eram “repulsivos” e apelou contra a decisão delas junto ao Supremo.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook

Nacional

‘Bolsonaro que abra o olho com você’, diz deputada do PSL sobre Joice Hasselmann

Publicado


Joice Hasselmann
Najara Araújo/Câmara dos Deputados
Joice Hasselmann é líder do governo no Congresso Nacional

As deputadas Joice Hasselmann e Carla Zambelli, eleitas pelo PSL de São Paulo, travaram a mais recente briga pública sobre os bastidores do partido durante uma troca de acusações por meio do Twitter na noite desta sexta-feira (17). Carla utilizou a rede social para cobrar Joice, líder do governo no Congresso, por faltar com empenho na defesa dos interesses do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Justiça, Sergio Moro, durante as discussões sobre a medida provisória que o Planalto luta para aprovar junto aos parlamentares para garantir o redesenho dos ministérios. 

Leia também: Bolsonaro anistia partidos que não investiram mínimo exigido em candidatas

“O presidente disse hoje que a mudança na forma de governar não agrada aqueles grupos que no passado se beneficiavam das relações pouco republicanas. A  medida provisória 870
sofreu grave ataque na comissão e pergunto: a líder Joice Halssemann
não fala nada disso em suas redes sociais por que?”, escreveu Carla em referência ao texto enviado na sexta-feira por Bolsonaro a contatos pessoais, mensagem que classifica o país como “ingovernável fora de conchavos”.

Na série de cinco mensagens publicadas por Carla Zambelli
no início da discussão, a parlamentar afirmou que a responsável pela liderança orientou os parlamentares a votarem de acordo com o relatório aprovado na comissão especial que discutiu o tema. O parecer inclui derrotas para o governo, como a transferência do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) da pasta de Moro para a Economia ; a volta da Funai para as atribuições do Ministério da Justiça e a recriação de dois ministérios . As alterações ainda devem ser aprovadas pelo plenário.

“Por que Joice Hasselmann finge não haver um elefante na sala? Porque não defende o Coaf com Sergio Moro? É responsabilidade da líder do governo no Congresso trabalhar as Medidas Provisórias na comissão especial, onde sofreu alterações”, declarou Carla, que afirmou ainda ter procurado Joice em particular antes de tornar a discussão pública.

Leia também: Apoiadores de Bolsonaro organizam manifestação pró-governo para o dia 26

Pré-campanha

Ao responder os ataques de Carla, Joice escreveu que a colega de partido não é inteligente e “desconhece matemática básica”. Ela garantiu que é movida pelas próprias preocupações com o país e não com “curtidas em tuítes ou lives”, prioridade que ela insinuou mover as ações da interlocutora.

“Ao contrário de você, penso no bem do país e do governo Jair Bolsonaro
. Porque eu sei fazer conta, conheço matemática básica e logo sei que sem a maioria não se aprova nada. Eu estou preocupada com o país e não com curtidas em tuítes ou lives. Porque eu sou inteligente, já você…”, escreveu a líder do governo no Congresso.

Na tréplica, Carla questionou o suposto alinhamento de Joice com o centrão (que configuraria um casamento) e afirmou que a líder está em campanha antecipada para as eleições de 2022. Embora não tenha mencionado que essa corrida seria pela presidência da República, Carla afirmou que Bolsonaro deveria prestar atenção no comportamento da líder.

“Inteligente = casamento com o centrão? Bom, não sou eu quem está em tour nacional de pré-campanha (para) 2022. Jair Bolsonaro que abra o olho com você, Joice Halssemann”, defendeu-se Carla, em comentário com menção direta à conta oficial do presidente.

Viajando pelo país numa ação que ela chama de “Caravana da Previdência” (com a intenção de angariar apoio popular à reforma prioritária do governo), Joice negou inteções eleitoreiras e devolveu o ataque:

Leia também: Bolsonaro compartilha texto que chama Brasil de ‘ingovernável’

“(Você) é aquela que ninguém do PSL
queria. Que eu tive que filiar e que me arrependo profundamente. Filiei, dei meus votos e agora vejo meu erro em apostar em uma farsa”, escreveu Joice Hasselmann
.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

De surpresa, Cristina Kirchner anuncia que concorrerá à Vice-Presidência

Publicado


cristina kirchner
Administración Nacional de la Seguridad Social
“Pedi a Alberto Fernández que chefie a chapa que vamos integrar: […] e eu como candidata à vice”, disse Cristina Kirchner

Em um anúncio surpresa, a senadora e ex-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, anunciou que concorrerá à Vice-Presidência da Argentina. Kirchner era cotada para liderar a chapa, inclusive tendo aparecido em primeiro lugar em pesquisas. Segundo ela, Alberto Fernández, que foi chefe de gabinete de seu marido, Nestor Kirchner, quando este foi presidente, será o cabeça.

Leia também: Casa Rosada e Câmara dos Deputados da Argentina sofrem ameaça de bomba

“Pedi a Alberto Fernández que chefie a chapa que vamos integrar: ele como candidato a presidente e eu como candidata à vice das próximas eleições primárias, abertas, simultâneas e obrigatórias”, anunciou Kirchner
 em um vídeo em suas redes sociais.

Cristina justificou a decisão como “a melhor para o povo argentino neste momento”: “A situação do povo e do país é dramática. Estou convencida que esta chapa é a que melhor expressa o que a Argentina precisa neste momento para convocar os mais amplos setores políticos e sociais”, declarou.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana