conecte-se conosco


Tecnologia

Conhece os chans? Autores do massacre em Suzano acessavam fóruns da deep web

Publicado


Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, foi identificado com um dos atiradores do massacre em Suzano
Reprodução
Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, foi identificado com um dos atiradores do massacre em Suzano


O Ministério Público (MP) de São Paulo está investigando o possível envolvimento de organizações criminosas e fóruns extremistas da internet no massacre em Suzano
, ocorrido nesta quarta-feira (13). Na data, dois assassinos entraram na Escola Estadual Raul Brasil e mataram, a tiros, oito pessoas, comentendo suicídio logo depois.

Leia também: O que já sabe sobre o massacre que deixou oito vítimas fatais em Suzano?

Os atiradores Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25, autores do  massacre em Suzano
, foram encontrados em diversas publicações dessas comunidades de ódio online pedindo dicas para realizar o ataque. “Muito obrigado pelos conselhos e orientações,” diz um dos assassinos em uma publicação. “Esperamos do fundo dos nossos corações não cometer esse ato em vão”, completa.


Atiradores pediram dica em fóruns extremistas na internet antes de realizar o massacre em Suzano
Reprodução
Atiradores pediram dica em fóruns extremistas na internet antes de realizar o massacre em Suzano


Desde ontem (13), alguns usuários desse tipo de fórum, conhecido na internet como  chan
, comemoram a morte das vítimas do atentado. Em um deles, Monteiro é idolatrado. “Descobriram o perfil do herói”, diz a mensagem de um membro, ao lado da foto do assassino.

As mensagens do planejamento do crime e de pessoas celebrando o tiroteio em Suzano
 foram publicadas em um dos chans mais famosos atualmente, o  Dogolachan
.

Mas afinal, o que são os chans, utilizados pelos autores do massacre em Suzano?


Uma prática comuns nos chans, como o utilizado pelos autores do massacre em Suzano, é incentivar o assassinato de outras pessoas antes do suicídio
Reprodução
Uma prática comuns nos chans, como o utilizado pelos autores do massacre em Suzano, é incentivar o assassinato de outras pessoas antes do suicídio


Chans, também chamados de imageboard
, são comunidades completamente anônimas em que o politicamente incorreto é amplamente pregado. Protegidos pela falta de identificação, nesses locais são permitidos e comumente vistos o ódio contra mulheres, população LGBT, negros e outras minorias.

Veja Também  Novo iPhone com mais uma câmera? Fotos do novo molde indicam que sim

Para se comunicar, os membros desses fóruns
desenvolveram uma linguagem com palavras e gírias próprias, como newfag
e oldfag
, para fazer referência à membros novos e antigos, por exemplo. Há também uma série de menções chulas às mulheres, que são vistas pelos membros apenas como um objeto envolta de suas partes íntimas – o que explica, também, o amplo conteúdo pornográfico presente nessas plataformas. 

Os usuários desses sites, também chamado de chaneros
, se autointitulam “falhos”, ou seja, pessoas que falharam na vida. As “falhas” citadas podem ser profissionais ou acadêmicas, mas são mais utilizadas para se referir a uma pessoa antisocial, que não consegue conviver com outras ou se relacionar amorosamente.

Outra característica importante desses grupos que pregam o ódio e a violência extremas é a adoração à morte. Sempre que algum membro avisa que decidiu optar pelo suicídio, os outros respondem “leve a escória
junto”, o que, para eles, significa matar mais pessoas antes de morrer – de preferência, em grande número. Dessa forma, eles incentivam planos de massacres e atentados
.


Deep Web

Para não serem rastreados, os chans ficam alocados na  deep web
, um segmento da internet que não pode ser encontrado por buscadores tradicionais, como o Google, e nem por navegadores comuns. O acesso é difícil e feito apenas com a instalação de um software e programas específicos no computador.

Leia também: Atiradores de Suzano planejavam ação há um ano e teriam pedido dicas na deep web

A deep web, que quer dizer “web profunda”,  em português, abriga e redes e sites anônimos, que podemser utilizados para fins legítimos, como o uso de ativistas políticos ou o armazenamento de documentos do governo, como para abrigar conteúdo questionável e, muitas vezes, ilegal.

Veja Também  Veja como apagar o Tinder definitivamente em 7 etapas

Livre de rastreios e identificações, é comum encontrar, nessa parte da rede conhecida como ” dark web
” (web escura), conteúdos de zoofilia e pedofilia, hackers e criminosos. Alguns chans famosos globalmente, como 55chan
e o próprio Dogolachan, podem ser encontrados lá.

Casos similiares foram incentivados por chans


Marcelo Valle Silveira Mello é o criador de chans como o Dogolachan, que auxiliaram os autores do massacre em Suzano e outros atentados
Reprodução
Marcelo Valle Silveira Mello é o criador de chans como o Dogolachan, que auxiliaram os autores do massacre em Suzano e outros atentados

Em 7 de abril de 2011, um atentado similar aconteceu na Escola Municipal Tasso da Silveira, no bairro de Realengo
, Rio de Janeiro. Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos, entrou no local  matando 12 crianças e deixando 22 pessoas feridas
. Quando foi encontrado pela Polícia Militar (PM), também se matou. Um ano após o atentado, durante investigação, a Polícia Federal (PF) descobriu que o assassino havia sido influenciado e incentivado nesses fóruns da internet
.

Leia também: Tragédia de Suzano é o sétimo ataque ocorrido no Brasil; relembre outros casos 

Em 2012, Emerson Eduardo Rodrigues Setim e Marcelo Valle Silveira Mello, criadores de grupos como o Dogolachan
, foram presos na Operação Intolerância, da PF, por incitar crimes graves e violência na internet. Seus alvos eram, em maioria, negros, homossexuais, mulheres, nordestinos e judeus, além de incentivarem, também, o abuso sexual de menores. No meio dos conteúdos publicados por eles, foram encontradas referências do apoio prestado pelo chan ao atirador Wellington.

Colocados em liberdade em maio de 2015 por um indulto judicial, Marcelo Valle Silveira Mello voltou a ser preso em maio do ano passado, na deflagração da Operação Bravata e, em dezembro, ele foi condenado a 41 anos, seis meses e 20 dias de prisão por associação criminosa, divulgação de imagens de pedofilia, racismo, coação, incitação ao cometimento de crimes e terrorismo cometidos na internet.

Leia também: Atirador se inspirou em massacres de Realengo e Columbine, diz delegado em GO

Nos fóruns promovidos por esses criminosos, os autores do massacre em Suzano
 procuravam inspiração em casos antigos, como o de Realengo e o de Columbine, nos Estados Unidos, em 1999.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook

Tecnologia

Veja como apagar o Tinder definitivamente em 7 etapas

Publicado

Você decidiu sair do Tinder e só apagou o aplicativo do seu celular achando que isso resolveria todos os seus problemas? Errado! Para que ninguém mais encontre seu perfil e dê match com você, é preciso, de fato, apagar a sua conta no Tinder. 

Leia também: Tinder disponibilizará opção de somente mulheres iniciarem conversa após o match


Dedo sobre o ícone do Tinder no celular
shutterstock
Não sabe como apagar o Tinder? Estas 7 etapas devem solucionar o problema para você de uma vez por todas

O jeito mais simples para quem procura como apagar o Tinder
é excluir a conta pelo próprio aplicativo do celular ou tablet. Depois de fazer isso, você perderá todas as informações que compartilhou e matches que fez – então avalie bem se é isso que quer.

Como apagar o Tinder definitivamente

Excluir sua conta no aplicativo de relacionamento
é possível tanto se você tiver se cadastrado com Facebook como se tiver se cadastrado com um e-mail ou o número do seu celular. O procedimento também é o mesmo, e é o seguinte.

1. Na página inicial, vá em “Meu Perfil”


Seta indicando o botão de perfil do Tinder, no canto superior direito da página inicial
Reprodução/Tinder
Como apagar o Tinder #1: na página que serve para dar match, clique no ícone de perfil do canto superior direito

Na mesma página em que você pode dar match
com alguém, há um ícone no canto superior esquerdo com um avatar. Ele corresponde ao seu perfil e é nele que você deve clicar.

Veja Também  Saiba o que você faz que pode comprometer a saúde da bateria do seu celular

2. Em seguida, clique em configurações


Seta indicando o ícone de configurações na página do perfil do Tinder
Reprodução/Tinder
Como apagar o Tinder #2: no seu perfil, clique no ícone de configurações, que fica do lado esquerdo

Quando estiver no seu perfil do Tinder
, basta clicar no botão de configurações, que mostra a ilustração de uma engrenagem, do lado esquerdo da tela.

3. Vá até o final da página e clique em “Excluir Conta”


Seta indicando o botão
Reprodução/Tinder
Como apagar o Tinder #3: o Tinder está cheio de configurações, e o botão “Excluir Conta” fica bem no final da página

O Tinder tem muitas opções de configuração, mas a única que te interessa no momento é a que fica no final da página: o botão “Excluir Conta”, que te levará para o próximo passo.

Leia também: Happn cria opção para quem deseja ter um primeiro encontro enquanto corre

4. Clique em “Excluir minha conta”


Setas indicando o botão
Reprodução/Tinder
Como apagar o Tinder #4: A opção de excluir definitivamente a conta fica discreta abaixo do botão de pausar a conta

Aqui, tome muito cuidado para não clicar no botão errado. Isso porque o aplicativo de relacionamento te dará a opção de “Pausar a conta” – na qual você continuará com todos os seus dados, só ocultará sua conta dos outros usuários.

Veja Também  Quais fotos a galera não aguenta mais ver no Instagram?

Se você quer excluir definitivamente sua conta, deve clicar em “Excluir minha conta”, escrito em cinza escuro discretamente abaixo do botão de pausa.

5. Justifique por que quer apagar a conta no Tinder


Imagem mostrando as seis opções de justificativa para a exclusão da conta do Tinder
Reprodução/Tinder
Como apagar o Tinder #5: em seguida, o aplicativo irá te dar seis opções de justificativa para a sua saída

Depois disso, você será levado a uma janela perguntando por que você vai sair do Tinder. Basta selecionar qual a razão por trás da sua decisão e seguir para o próximo passo. Caso escolha a opção “Eu preciso dar um tempo do Tinder”, em cinza, você deve ir direto para o passo 7.

6. Escolha qual a explicação mais adequada para a sua situação


Imagem mostrando as possíveis explicações para quem escolher a opção
Reprodução/Tinder
Como apagar o Tinder #6: em seguida, diga por que escolheu determinado motivo – a não ser que clique no botão cinza

Além de escolher um motivo amplo para sua partida, você deve explicar a decisão em maiores detalhes. Para cada resposta as alternativas serão diferentes, embora algumas possam se repetir.

7. Confirme a exclusão da sua conta no Tinder


Setas indicando o botão para excluir a conta definitivamente na janela de confirmação da exclusão
Reprodução/Tinder
Como apagar o Tinder #7: esta é sua última chance de desistir – se confirmar a exclusão da conta, não tem volta

Novamente, o Tinder te dará mais de uma opção: esconder seu perfil do Tinder, apagá-lo ou cancelar o procedimento. Se você já chegou a este ponto, deve estar decidido de que é a hora de dar adeus ao aplicativo – então clique em “Excluir minha conta”.

Leia também: Facebook lança ferramenta de paquera no Brasil; saiba como achar seus crushes

Estes são os passos que você deve saber se procura como apagar o Tinder
de uma vez por todas. Ainda é possível voltar para o serviço se quiser – mas lembre-se de que terá de começar do zero, mesmo que use as mesmas informações de cadastro.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Os perigos do Wi-Fi aberto: saiba como navegar de maneira segura

Publicado

Quando se está fora de casa, e principalmente durante viagens, uma das primeiras coisas a fazer é procurar por um Wi-Fi aberto. No entanto, a maioria das pessoas não imagina que a conexão por esse meio passa longe de ser inofensiva.


Pessoa com o celular em mãos, conectando no WiFi
shutterstock
Conectar-se por meio de um Wi-Fi aberto pode trazer algumas consequências a seu dispositivo

Leia também: Sinal de alerta: Chromecast pirata pode levar vírus a outros aparelhos por WiFi

Quando uma pessoa se conecta a uma rede de  Wi-Fi aberto
, como as de cafés e hostels, você passa a compartilhar a rede com estranhos. Com conhecimento e equipamentos técnicos básicos, esses desconhecidos podem monitorar ou até mesmo modificar o seu tráfego de internet.

Diferente das redes domésticas, que geralmente são protegidas com protocolos de segurança, as redes públicas de Wi-Fi são muito mais fáceis de invadir. 

De acordo com Harold Li, vice-presidente da empresa ExpressVPN, é possível que hackers usem uma técnica para enganá-lo de modo que você pense que esteja em uma conexão segura
quando, na realidade, eles têm acesso a seus dados, inclusive senhas.

“Pense como se você estivesse compartilhando uma caixa postal com estranhos. É difícil saber se seus envelopes foram abertos com vapor, por exemplo, se o conteúdo foi lido e até mesmo modificado”, explica Harold.

Leia também: Saiba como encontrar internet Wi-Fi com a ajuda do aplicativo do Facebook

Veja Também  Mantenha o celular seguro! Aprenda como se proteger de golpes no WhatsApp

Soluções para uma navegação mais segura no Wi-Fi aberto


Pessoa conectada com segurança
shutterstock
Existem alguns cuidados para manter uma navegação segura e preservar o seu dispositivo

Com esse perigo em mente, existem algumas formas de se conectar sem passar pelo risco de ter o seu aparelho invadido. Igor Rincon, especialista em segurança da informação na empresa Flipside (empresa de conscientização em segurança cibernética), dá algumas dicas do que fazer para navegar da maneira mais segura possível:

  • usar anti malware preferencialmente pagos;
  • sempre desconfiar de promoções ou mensagens que algum hacker pode usar para chegar até você;
  • usar cofre de senhas em todas redes sociais ou sites que você usa

O especialista ainda completa: “Grande parte das ameaças em torno de uso da rede pública de Wi-Fi envolvem interceptações de dados. Então a primeira coisa ser feita é trocar suas senhas com a opção desconectar de outros dispositivos”.

Por outro lado, Harold Li ressalta que usar senhas fortes
podem ajudar a manter a segurança dos seus dados e de suas contas: “As pessoas ainda utilizam senhas fáceis de serem quebradas (aquelas que são curtas e usam palavras do cotidiano) em diversos sites. As senhas devem ser longas, incluir números e símbolos e não conter palavras comuns”.

Veja Também  Saiba o que você faz que pode comprometer a saúde da bateria do seu celular

Harold também afirma: “Se você não pode criar uma senha única para cada site e serviço, você deve pelo menos usar uma senha específica para cada uma de suas contas mais sensíveis como e-mail e conta de banco. A melhor maneira de gerenciar diversas senhas é utilizando ferramentas de gerenciamento de senhas confiáveis”.

Criptografia e VPN


Conexão segura
shutterstock
A criptografia garante que apenas você e o destinatário possam ver as informações enviadas e recebidas

Outra forma de evitar que seus dados sejam colhidos pelos invasores é a denominada criptografia, que consiste numa técnica utilizada  para impedir que um hacker compreenda ou modifique suas informações.

“A criptografia protege sua privacidade e segurança não só dos que utilizam a mesma conexão Wi-Fi, mas também do seu provedor de internet
e até mesmo do governo”, Harold Li aponta. “É como usar uma linguagem secreta de códigos que somente você e o destinatário entendem”.

Um método que as empresas usam para manter a segurança da navegeção é a VPN (Rede Virtual Privada). Funciona como um  túnel seguro entre dois ou mais dispositivos. 

Leia também: Aplicativo democratiza acesso à conexão Wi-Fi de forma gratuita

Sendo assim, é recomendável que o internauta tome cuidado ao se conectar por meio de um Wi-Fi aberto.
“A dica principal que eu dou é: Pense como um atacante iria usar suas informações para te chantagear ou usá-las contra você. Dessa forma todo o seu comportamento passa por um filtro antes de ser feito”, destaca Igor Rincon.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana