conecte-se conosco


Esportes

Futebol agita o Carnaval 2019 com diversos jogos pelo Brasil

Avatar

Publicado

Feriadão nacional terá confrontos estaduais pelo país, das regiões Norte a Sul, de sexta-feira à Quarta-Feira de Cinzas. CBF preparou lista com todas os duelos

Torcida 
Bangu 2x0 Boavista - 26 de janeiro de 2018, Estádio Moça Bonita - Campeonato Carioca, Taça Guanabara, 3ª rodada.

Créditos: JOÃO CARLOS GOMES/BANGU

De Norte a Sul do Brasil, o Carnaval é tempo de festa pelo país. Independentemente de onde você esteja, haverá uma celebração por perto – seja ela o Boi-Bumbá, danças ao som do frevo e do maracatu, os famosos trios elétricos de Salvador, marchinhas, ou até mesmo os blocos de rua e desfiles das escolas de samba.

Em meio a tantas festividades, o futebol perde um pouco de seu espaço, certo? Errado! Durante a semana de folia, a bola seguirá rolando em alguns dos principais torneios estaduais, além da Copa do Brasil e da Libertadores. Para ninguém perder nenhum confronto, a CBF preparou uma lista com todos os jogos entre os dias 1° e 6 de março (sexta-feira a Quarta-Feira de CInzas).

Confira a relação de jogos pelo país abaixo com mais detalhes:

Copa do Brasil

Sorteio da Copa do Brasil 2019

Copa do Brasil terá três confrontos na Quarta-Feira de Cinzas, todos válidos pela segunda fase
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Na Quarta-Feira de Cinzas, o torneio mais democrático do futebol nacional terá três confrontos, todos válidos pela segunda fase. Na Arena das Dunas, em Natal (RN), o Santa Cruz-RN recebe o Bahia às 19h15 (horário de Brasília). No mesmo dia, às 21h30 (Brasília), o Fluminense mede forças com o Ypiranga-RS no Maracanã, enquanto o Mixto-MT recebe a Chapecoense na Arena Pantanal.

A segunda fase da Copa do Brasil é eliminatória, mas tem um regulamento um pouco diferente da fase inicial. Se na primeira fase o empate favorecia os visitantes, nesta etapa o placar igual leva direto às disputas de pênaltis.

Libertadores

Seis clubes brasileiros atuam na competição Sul Americana durante a Folia

Seis clubes brasileiros atuam na competição Sul Americana durante a Folia
Créditos: Flickr Oficial da Conmebol

Seis clubes brasileiros têm confrontos marcados no torneio sul-americano durante o Carnaval. Na terça-feira (5), o Flamengo será a primeira equipe nacional a estrear na fase de grupos da Libertadores, diante do San José (Bolívia); a partida será às 19h15 (horário de Brasília). No mesmo dia, às 21h15 (Brasília), o Athletico Paranaense mede forças com o Tolima (Colômbia), fora de casa.

Na Quarta-Feira de Cinzas, são quatro jogos com times nacionais. O Internacional viaja ao Chile para encarar o Palestino (19h15 de Brasília), enquanto o Atlético-MG recebe o Cerro Porteño-PAR no mesmo horário. Já o Grêmio terá pela frente o Rosario Central-ARG às 21h30 (Brasília). O Palmeiras duela com o Junior Barranquilla-COL no mesmo horário.

Logo após o fim do Carnaval, o Cruzeiro fecha a rodada dos brasileiros na Libertadores na quinta-feira (7), às 19h de Brasília. O adversário dos mineiros será o Huracán (Argentina).

Estaduais

Região Norte:

A região tem um dos Carnavais mais tradicionais do país, marcado especialmente pelo Boi-Bumbá de Manaus (AM). Também chamada de Festa do Boi, a celebração acontece em paralelo ao aniversário da capital amazonense. Os festejos seguem por três dias e arrastam multidões ao Sambódromo da cidade, onde as pessoas vestem os turiris (abadás) e dançam ao som de músicas de forte influência indígena.

Acre: o Campeonato Acreano terá 6 jogos ao longo do Carnaval: dois no domingo, dois na segunda-feira e dois jogos na quarta-feira. No Domingo de Carnaval (3/3) Vasco- AC x Independência jogam às 15h30, Plácido de Castro x Rio Branco se enfrentam às 17h30, pela sexta rodada do torneio. Na segunda-feira de Carnaval, Andirá x São Francisco jogam às 18h e Humaitá duela contra o Náuas Esporte Clube às 20h. Os horários dos jogos são todos pelo horário local.

A quarta-feira de Cinzas, dia 6 de março, terá as semifinais do Campeonato Acreano. Um jogo irá acontecer às 18h e o outro às 20h, pelo horário local (20h e 22h de Brasília, respectivamente). As semifinais da primeira fase ainda não tiveram seus participantes definidos.

Amazonas: o Campeonato Amazonense terá quatro jogos de carnaval no sábado, dia 2 de Março. Além disso, todos os jogos começaram às 15h30 pelo horário local.  As partidas pela sétima rodada do torneio são: Rio Negro x Nacional, Manaus x Fast Clube, Princesa x Iranduba e Penarol x Sul América.

Rondônia: pelo Campeonato Rondoniense, os árbitros darão início às partidas às 20h, pelo horário local. Na sexta-feira de carnaval, 1º de Março,  Porto Velho x Ariquemes medem forças pela quinta rodada do torneio. Já no sábado de Carnaval, Barcelona x União Cacoalense se enfrentam no Estádio Aglair Tonelli.

Região Nordeste

Torcida do Ceará - Papai Noel - Natal

Líder da tabela, Ceará encara o Atlético-CE na Arena Castelão
Créditos: Divulgação/Ceará SC

Conhecida por sua rica variedade cultural, a região Nordeste tem duas festas de maior destaque no Carnaval: os trios elétricos de Salvador e as celebrações em Pernambuco. Na capital baiana, o axé dita o ritmo das multidões que seguem os trios em diversos circuitos (Pelourinho e Barra Ondina, entre outros) . Já em Pernambuco, a festa ganha notoriedade com o frevo e o maracatu, além dos bonecos gigantes da cidade de Olinda e o Galo da Madrugada em Recife.

Ceará: a segunda fase do Campeonato Acreano está chegando ao fim e o Carnaval não fará com que os clubes deixem de entrar em campo em busca da classificação. O Guarany de Sobral recebe o Ferroviário no sábado (2), às 16h, no Estádio do Junco. O Bugre Sobralense tenta chegar entre os quatro primeiros colocados, enquanto o Tricolor Coral quer a liderança. Na quarta-feira de cinzas (6) o Ceará defende a primeira colocação contra o Atlético-CE que, além de se manter entre os classificados para a próxima fase, quer tirar a ponta da tabela do Vozão. O duelo será realizado no Castelão, às 20h.

Rio Grande do Norte: o Campeonato Potiguar terá duas partidas agitando o sábado de Carnaval no Rio Grande do Norte. Às 15h, na Arena das Dunas, o Força e Luz enfrenta o Potiguar de Mossoró. Mais tarde, às 16h, o Santa Cruz de Natal vai até o Barretão para enfrentar o Globo.

Sergipe: no Campeonato Sergipano a oitava rodada vai pegar fogo. Duas partidas vão agitar o sábado de carnaval dos torcedores e os campos de Sergipe. No Roberto Silva, às 15h30, o Olímpico vai em busca da sua primeira vitória na competição, enquanto o Dorense quer o triunfo para continuar a busca pela ponta da tabela. Mais tarde, às 16h, o Frei Paulistano duela com o Guarany-SE no Estádio Titão. Ambas as equipes entram com o mesmo intuito: a busca pelas seis primeiras colocações e apenas a vitória na penúltima rodada deixa viva a esperança de ambos.

Região Centro-Oeste

Torcida do Goiás

Goiás mede forças com Grêmio Anápolis, no Estádio Hailé Pinheiro
Créditos: Flickr Oficial do Goiás Esporte Clube

O carnaval da região Centro-Oeste é marcado principalmente pela música sertaneja, mas mesmo assim a festa carnavalesca ganha espaço na região. O carnaval de Corumbá é um dos mais famosos, e por ser próximo da fronteira com a Bolívia, os desfile de blocos e escolas de samba atraem diversos foliões que moram do outro lado da fronteira. Um dos blocos mais tradicionais são: o  bloco Cibalena e o já consolidado arrastão da Corte de Momo.

Goiás: o Goianão é um dos campeonatos com mais jogos na semana carnavalesca. No sábado, 2 de Março, Itumbiara x Novo Horizonte, Aparecidense x Goiânia, CRAC x Vila Nova, Goiás x Grêmio Anápolis e Anapolina x Atlético-GO disputam a nona rodada do campeonato às 16 horas, pelo horário de Brasília. Na quarta-feira de cinzas, Iporá x Goianésia entram em campo às 20h30.

Mato Grosso do Sul: o Campeonato Sul-Mato-grossense terá cinco jogos na semana do Carnaval, todos no sábado, 2 de março. Às 15h (Brasília), serão três confrontos entre Novoperário x Comercial-MS, Chapadão x Sete de Dourados e Operário-AC x Operário-MS. Já às 16h, Corumbaense x URSO e Costa Rica-MS x Aquidauanense medem forças. Todas as partidas são válidas pela nona rodada da fase de grupos do torneio estadual.

Região Sudeste

Fluminense x Bangu - 22/02/2019

Fluminense recebe o Resende nesta sexta-feira (1°), no Maracanã
Créditos: Lucas Mercon

Na região Sudeste o Carnaval é uma grande festa. A Marquês de Sapucaí e o Sambódromo de Anhembi são palcos para os diversos desfiles das escolas de samba no Rio de Janeiro e em São Paulo, respectivamente, os desfiles são grandes tradições nos estados. Nas ruas, o carnaval atrai milhares de foliões para pular nos blocos de carnaval. Em Minas Gerais, o Carnaval da cidade de Ouro Preto é o mais famoso,  com diversas festas feitas por repúblicas universitárias, sendo considerado o Carnaval Universitário. Também são realizados shows ao vivo em dois palcos na cidade e o tradicional desfile das escolas de samba.

São Paulo: sete jogos agitam a semana carnavalesca no Campeonato Paulista. Na sexta-feira, serão dois jogos: São Caetano x Mirassol e Guarani x Ferroviária. O sábado (2) é o dia mais cheio, com as partidas RB Brasil x Novorizontino, São Bento x Corinthians e Santos x Oeste. No domingo, o calendário tem Bragantino x São Paulo. Por fim, Ponte Preta x Botafogo-SP será na segunda-feira. Todos os jogos são pela nona rodada.

Rio de Janeiro: Fluminense x Resende e Madureira x Bangu inauguram a rodada carnavalesca na sexta-feira. No sábado, dando sequência à segunda rodada da Taça Rio (segundo turno do Campeonato Carioca), o Vasco recebe o Boavista, além dos confrontos Americano x Cabofriense e Volta Redonda x Botafogo.

Região Sul

Chapecoense recebe o Metropolitano durante a semana do Carnaval 2019

Chapecoense irá receber o Metropolitano durante semana do Carnaval 2019
Créditos: Sirli Freitas/Chapecoense

Na região Sul, a fantasia é a grande marca. Diversos foliões capricham nas fantasias para curtir os desfile de escola de samba, concurso de marchinhas, blocos de rua, bailes nos clubes e até mesmo festas de música eletrônica em algumas praias, como acontece em Florianópolis.

Santa Catarina: o Catarinense é um dos torneios com o maior número de jogos durante o Carnaval 2019, com seis partidas, sendo cinco válidas pela 11ª rodada. No sábado (2), teremos Criciúma x Marcílio Dias, Chapecoense x Metropolitano e Atlético Tubarão x Figueirense. Já no domingo (3), os confrontos marcados são Avaí x Joinville e Brusque x Hercílio Luz. Por fim, na Quarta-Feira de Cinzas, Marcílio Dias e Figueirense medem forças (partida adiada da nona rodada).

Demais estados

Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Distrito Federal, Mato Grosso, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Sul:​ nenhum jogo durante o Carnaval (de sexta-feira à Quarta-Feira de Cinzas).

Amapá, Roraima e Tocantins: os campeonatos dos estados em questão ainda não começaram. O Amapaense terá início no dia 4 de abril. Já as disputas no Roraimense e no Tocantinense serão a partir dos dias 9 e 31 de março, respectivamente.

Comentários Facebook

Esportes

Combo Gre-Nal? Além da Copinha, dupla pode decidir Copa Santiago

Avatar

Publicado

source

A final da Copa São Paulo de Futebol Júnior deste sábado (25) pode não ser a única entre Grêmio e Internacional no fim de semana. Nesta sexta-feira (24), a dupla gaúcha também briga por vagas na decisão da 32ª Copa Santiago de Futebol Juvenil, disputada no Estádio Alceu Duarte de Carvalho, na cidade de Santiago (RS). Às 19h (horário de Brasília), o Colorado faz a primeira das semifinais com o Palmeiras, que garantiu vaga ao vencer ontem (23) o Figueirense por 3 a 0. A segunda semifinal da noite de hoje (24) terá início às 21h: o Tricolor Gaúcho encara o Juventude em partida com transmissão ao vivo pela TV Brasil. Se vencerem, os rivais fazem o clássico gaúcho na decisão do título no domingo (26), às 10h, também com transmissão ao vivo na TV Brasil e reprise às 21h.

Nos elencos que estarão no gramado do Estádio Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu) no sábado, às 10h, há vários jogadores que participaram ano passado da Copa Santiago. No Grêmio, cinco titulares e dois reservas do time da Copinha foram campeões do torneio juvenil em 2019: o goleiro Adriel, o lateral Vanderson, o zagueiro Natã, o meia Diego Rosa e os atacantes Pedro Lucas, Elias e Wesley.

No Inter, o lateral Leonardo, o meia Praxedes e o atacante Guilherme Pato faziam parte do grupo superado pelo Athletico Paranaense nas quartas de final da edição passada da competição na cidade de Santiago – o goleiro Emerson Júnior representou o Colorado na edição de 2018.

“Vejo muita tradição. Há oito, dez anos, não tinha tanto investimento [em formação] e essas competições é que seguravam a base no Brasil. Hoje, todas as equipes investem na base, mais campeonatos têm chancela da CBF [Confederação Brasileira de Futebol”, destacou Guilherme Bossle, técnico do sub-20 gremista, em entrevista coletiva nesta sexta-feira (25), no Museu do Futebol, em São Paulo.

Vantagem colorada

O histórico é favorável ao Internacional. Além de maior vencedor da Copa Santiago com 14 títulos, o Colorado conquistou quatro vezes a Copa São Paulo — a última em 1998, quando revelou o zagueiro Lúcio, pentacampeão mundial com a seleção brasileira em 2002. Já o Grêmio levantou a taça da competição juvenil sete vezes, mas nunca ganhou a Copinha. É a segunda vez que o Tricolor Gaúcho chega à final. Na única ocasião, em 1991, foi goleado pela Portuguesa do atacante Dener por 4 a 0.

Jogos da Copa Santiago

Você pode rever as partidas da Copa Santiago aqui.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues
Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Coluna – Porque um pouco de perspectiva não faz mal

Avatar

Publicado

source

Quando janeiro chegou, a realidade bateu: é ano de Olimpíada. Para muitas modalidades, isso é sinônimo de expectativas, que significam anos de resultados que servem como uma espécie de base de dados. No basquete 3×3, não é bem assim que funciona. Ele existe oficialmente como esporte organizado há pouco mais de uma década. Fará parte do programa olímpico pela primeira vez na Olimpíada deste ano. Fazer prognósticos se torna complicado. Muita coisa pode acontecer, inclusive nada. Afinal, para poder falar de planos em Tóquio, é preciso primeiro garantir presença lá. A seleção feminina não tem mais chances. A masculina ainda tem uma: o torneio Pré-Olímpico, que acontece em março, na Índia.

“Não somos favoritos (a conquistar a vaga)”, diz o técnico da seleção, Douglas Lorite. “A expectativa é chegar nas quartas de final. Se estivermos num bom momento, bem condicionados, podemos chegar à semifinal ou até à final. Mas vamos precisar ‘ralar’ muito para chegar lá.”

Em Nova Délhi (Índia) o Brasil disputará três vagas com outras 19 equipes. No final das contas, podem ser quatro, já que um dos países já classificados é a Rússia, recentemente banida de competições por causa de doping. Décima-quarta colocada no ranking da FIBA, a seleção brasileira, que está no grupo A, vai se deparar, logo de cara, com dois adversários mais bem posicionados: – Mongólia (8ª) e Polônia (13ª). Turquia e Espanha completam o grupo A. O técnico Lorite aponta Eslovênia e Estados Unidos como os mais fortes candidatos às vagas olímpicas, mas a disputa pela terceira vaga está em aberto. O jogador Jefferson Socas, um dos seis atletas que estão treinando no Rio de Janeiro em busca de uma vaga no elenco do Pré-Olímpico, concorda com o técnico.

“Sabemos que vai ser difícil. Mas se quiserem ganhar da gente, vai ter que ser dentro de quadra. Não vai ser com o histórico de outros anos. Vão ter que ganhar naquele dia, naquela hora, naquela quadra”, afirma convicto.

Segundos antes, Socas, talvez intuitivamente, explicou em poucas palavras o porquê de outras equipes estarem supostamente à frente do Brasil.

“Eles têm jogadores e equipes que jogam o ano inteiro e vivem disso”, diz.

 Basquete 3x3

Jefferson Socas busca uma vaga no elenco da seleção brasileira que vai disputar vaga no Pré-Olimpico –  Igor Santos/Agência Brasil

O próprio jogador é um exemplo peculiar disso. Em dezembro passado, Jefferson Socas recebeu do Comitê Olímpico Brasileiro o prêmio de Atleta do Ano no basquete 3×3. Acontece que nem ele pode dizer que o 3×3 é o foco único e indiscutível da carreira. Ele é atleta, mais especificamente ala-armador do Blackstar –  clube de Joinville (SC) -, equipe de basquete, digamos, convencional (a modalidade original 5×5). Em 2020, enquanto Soccas sonha com a Olimpíada na meia quadra, ele também integra o projeto do Blackstar de conquistar uma vaga no NBB. 

“Na hora que eles me contrataram, eu já falei que eu tinha um plano no 3×3. Eu gostaria de viver do 3×3 mas, infelizmente, no Brasil ainda é muito difícil. Eles entendem o meu lado e sabem que estando em alto nível no 5×5 ou no 3×3, participando de mais campeonatos estarei mais bem preparado”, revela.

Procurar a quadra maior foi a forma que Socas encontrou para dar vazão à paixão pelo esporte. Na seleção, existe um exemplo de outro caminho: jogar no exterior. Leandro Lima praticamente não atuou no Brasil, mas acumulou anos de experiência na liga japonesa e, atualmente, jogando na Suíça. Aos olhos dele, a diferença é perceptível.

“É outra organização. Estrutura de primeira linha. Nesse aspecto de profissionalismo, o Brasil ainda está bastante longe”, acredita.

 Basquete 3x3

Leandro Lima, atuamente jogando na Suiça, também acumulou anos de experiência na liga japonesa de basquete 3×3 – Igor Santos/Agência Brasil

Categorias de base trazem sangue novo e boas expectativas

Para alguns, o tom pode parecer um tanto pessimista, mas há avanços acontecendo. O técnico Douglas Lorite, que também é técnico da seleção sub-23 e assistente técnico da sub-18, relata que as categorias de base vêm alcançando um patamar que permite voos maiores. Em 2016, o Brasil foi prata na Copa do Mundo Sub-18. No ano passado, nos Jogos Mundiais de Praia, mais uma prata, desta vez com a seleção sub-23. Até por isso, a classificação ou não para Tóquio deve ser analisada num contexto de evolução dentro do que tem sido apresentado.

Igor Santos sobre Basquete 3x3

Douglas Lorite, técnico da seleção brasileira de basquete 3×3 que vai disputar o Pre-Olímpico em março, na Índia – Igor Santos/Agência Brasil

Dois dos convocados para o período de treinos no Rio estiveram na conquista da equipe sub-23 em 2019: Matheus Parcial e Fabrício Veríssimo. Fabrício também esteve na conquista da prata em 2016, quando foi nada menos que o MVP (jogador mais valioso) da competição. Os dois, com 22 e 21 anos respectivamente, são possíveis pilares para que o Brasil assuma cada vez mais protagonismo no 3×3 mundial. 

“Estamos preparando essa geração para chegar forte em busca da vaga para Paris, em 2024. É o nosso objetivo principal a longo prazo”, revela o técnico Douglas Lorite.

Fabrício admite que ainda tem a meta de ser uma estrela no 5×5. Mas uma vaga olímpica mudaria um pouco o cenário.

“Acredito que participar de uma Olimpíada é o sonho de todo atleta”, opina.

Já Matheus se considera completamente entregue ao 3×3.

“Foi a modalidade que me deu uma oportunidade e hoje em dia eu abraço com tudo”, diz.

 Basquete 3x3

 Matheus Parcial e Fabrício Veríssimo estiveram na conquista da equipe de basquete 3×3 sub-23 em 2019 – Igor Santos/Agência Brasil

Matheus assinou recentemente com o São Paulo DC, atual campeão brasileiro e uma das pouquíssimas equipes que consegue oferecer uma estrutura profissional para um atleta de 3×3 no Brasil. Mas é preciso que mais portas se abram se o objetivo é realmente criar uma cultura vencedora e, consequentemente, fortalecer também a seleção. Atualmente, a quantidade de eventos que um país organiza vale pontos no ranking, então quanto mais campeonatos acontecendo melhor para o país. Em breve, isso vai mudar e o ranking vai se tornar cada vez mais competitivo e baseado em performance. Como ser melhor? Participando do maior número possível de campeonatos. 

Talvez isso se reflita numa projeção mais otimista de classificação à Olimpíada nos próximos ciclos. É o que a nova geração espera. Se não for em 2020, que 2024 seja o ano em que eles possam mostrar que valeu a pena insistir na modalidade.

“Eu e Fabricio saímos de comunidades carentes, ele de Cachoeiras de Macacu e eu da Chatuba, em Mesquita (Baixada Fluminense). Viemos de projetos sociais. Chegar ao nível de jogar uma Olimpíada representaria muito não só para o Brasil, mas para todas essas pessoas que vêm lá de onde fomos criados”, acredita Matheus.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues
Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana