conecte-se conosco


Nacional

Em 2018, governo de MG aprovou obras da Vale que colocavam Brumadinho em risco

Avatar

Publicado


Bombeiros trabalham na busca por vítimas da tragédia de Brumadinho (MG); por enquanto, foram confirmadas 157 mortes
Divulgação/Corpo de Bombeiros MG

Bombeiros trabalham na busca por vítimas da tragédia de Brumadinho (MG); por enquanto, foram confirmadas 157 mortes

O governo de Minas Gerais aprovou, pouco menos de um mês antes da tragédia provocada pelo rompimento da barregam da Vale em Brumadinho, ações da mineradora em um projeto de expansão das minas do Córrego do Feijão, onde ocorreu o desastre. A obras autorizadas colocavam a região em risco. 

Leia também: Inhotim reabriu neste sábado e prometeu ajudar na recuperação de Brumadinho

De acordo com uma reportagem da Globo News
, transmitida na manhã deste domingo (10), em dezembro do ano passado, a Vale obteve autorização do governo mineiro para fazer explosões e usar equipamento pesado nas minas de Brumadinho
. As obras previstas, no entanto, contrariavam algumas das recomendações de segurança de um relatório de julho.

No documento, elaborado pela consultora Tüv Süd a pedido da própria Vale
, ficou atestada a estabilidade da estrutura, mas com ressalvas: a estabilidade do alteamento estava no limite de segurança das normas brasileiras.

Leia também: Polícia Militar de Minas Gerais detém seis pessoas por estelionato, roubo e atrapalharem buscas em Brumadinho

Por conta disso, o estudo recomendava à Vale que tomasse providências para aumentar a segurança e evitar a liquefação, uma das possíveis causas do rompimento da barragem
. O documento ainda recomendava que não fossem feitas explosões nas redondezas da mina e que não fossem usados equipamentos pesados na estrutura – justamente o que foi, em dezembro, aprovado pela Secretaria do Meio Ambiente (Semad) de Minas Gerais.

Embora a Vale não tenha revelado se tais obras haviam sido iniciadas, elas estavam permitidas pelo governo de Minas Gerais
, em dezembro, em detrimento de um laudo técnico assinado por uma consultora em julho. 

O rompimento da barragem de Brumadinho 
deixou, até agora, um total de 157 mortos e 182 desaparecidos
, passando a ser a maior tragédia humana já ocorrida no Brasil, com envolvimento de mineradoras. Atualmente, os bombeiros fazem buscas em cerca de 45 pontos da região atingida pela lama, com especial atenção para o ITM, os vestiários e o entorno do estacionamento, onde as equipes se concentram mais. 

* Com informações da Agência Brasil.

Comentários Facebook

Nacional

Minas Gerais passará pelo pico da Covid-19 nesta semana, diz Zema

Avatar

Publicado


source
Governador de Minas Gerais Romeu Zema
Gil Leonardi / Imprensa MG

Governador de Minas Gerais Romeu Zema

O governador de Minas Gerais , Romeu Zema (Novo), disse nesta segunda-feira (13) que o estado vai passar pelo pico da Covid-19 , doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), nesta semana. O momento chega em um cenário crítico no estado, onde pacientes sofrem com a falta de remédios e insumos para testagem .

O comentário foi feito por Zema em publicação feita no Twitter. “Estou monitorando de perto, com reuniões diárias no Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública, a situação em todas as macrorregiões do estado, para que não falte atendimento a nenhum mineiro”, escreveu o governador.

De acordo com o boletim divulgado hoje pela secretaria de Saúde, Minas Gerais soma 1.615 mortes pela Covid-19 desde o início da pandemia. Já os casos confirmados são 76.822. Considerando o Brasil todo, o estado é o oitavo mais afetado pelo novo coronavírus.

Estão em acompanhamento 24.697 pacientes e outros 50.510 estão recuperados. Já os casos de internação hospitalar são 8.849. A letalidade da doença está em 2,1%.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

PGR pede soltura de ex-secretário de saúde do Rio, Edmar Santos

Avatar

Publicado


source
Edmar Santos
Reprodução

Edmar Santos é investigado por esquema de fraude em compra de respiradores no Rio

A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), nesta segunda-feira (13), a soltura de Edmar Santos, ex-secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro. O pedido da PGR foi enviado ao presidente do STJ, o ministro João Otávio Noronha.

Segundo a PGR, os fatos investigados pelo Ministério Público do Rio na operação Mercadores são iguais à investigação da operação Placebo, que está sendo conduzida pela PGR.

O pedido feito é para que os inquéritos e ações decorrentes da Mercadores do Caos sejam deslocados para o STJ, que seria o órgão competente sobre o caso.

O ex-secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Edmar Santos, foi preso na última sexta-feira (10), em uma operação do Ministério Público do Rio de Janeiro. Edmar é apontado como integrante da organização criminosa que fraudou contratos de compra de respiradores pulmonares para atendimento de pacientes com covid-19.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana