conecte-se conosco


Saúde

Atividades físicas e sociais protegem cérebro de danos do Alzheimer

Publicado

Atividades físicas, sociais e de lazer praticadas por idosos e pacientes com doença de Alzheimer podem ajudar a preservar funções cognitivas e a retardar a perda da memória, mostra novo estudo desenvolvido na Universidade de São Paulo (USP) e na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Os estímulos promovem mudanças morfológicas e funcionais no cérebro, que protegem o órgão de lesões que causam as perdas cognitivas.

A descoberta foi feita por meio de um experimento com camudongos transgênicos, os quais foram alterados geneticamente para ter uma super expressão das placas senis no cérebro. Essas placas são uma das características da doença de Alzheimer. Os animais foram separados em três grupos: os transgênicos que receberiam estímulos, os transgênicos que não receberiam e os animais-controle que não têm a doença.

“Quando eles estavam um pouquinho mais velhos, por volta de 8 a 10 meses, colocamos parte desses animais em um ambiente enriquecido, que é uma caixa com vários brinquedos, e fomos trocando os brinquedos a cada dois dias”, explicou Tânia Viel, professora da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP e coordenadora do projeto.

O experimento durou quatro meses e, após esse período, eles foram submetidos à avaliação de atividade motora, por meio de sensores, e de memória espacial, com um teste chamado labirinto de Barnes. Os resultados mostram que os camudongos transgênicos que foram estimulados com os brinquedos tiveram uma redução de 24,5% no tempo para cumprir o teste do labirinto, na comparação com os animais que não estiveram no ambiente enriquecido.

Também foram analisados os cérebros dos camundongos. Ao verificar as amostras do tecido cerebral, os pesquisadores constataram que os animais transgênicos que passaram pelos estímulos apresentaram uma redução de 69,2% na densidade total de placas senis, em comparação com os que não foram estimulados.

Veja Também  Pediatras pedem fim da obrigatoriedade do Teste da Linguinha

Além da diminuição das placas senis, eles tiveram aumento de uma proteína que ajuda a limpar essa placa. Trata-se do receptor SR-B1, que se expressa na célula micróglia. O receptor faz com que essa célula se ligue às placas e ajude a removê-las. “Os animais-controle, sem a doença, tinham essa proteína que ajuda a limpar a placa, inclusive todo mundo produz essa proteína. Os animais com Alzheimer tiveram uma redução bem grande dessa proteína e os animais do ambiente enriquecido [que tiveram estímulos] estavam parecidos com os animais-controle”, explicou Viel.

A pesquisadora diz que o trabalho comprova hipóteses anteriores e que agora o grupo trabalha para ampliar a verificação em cães e seres humanos. Para isso, será necessário, inicialmente, descobrir marcadores no sangue que apontem a relação com a doença de Alzheimer.

“Em ratos, a gente analisa o cérebro e o sangue para ver se esses biomarcadores estão tanto no cérebro quanto no sangue. Quando a pessoa perde a memória, há algumas proteínas que aumentam no cérebro e outras que diminuem. Nos cães e nos seres humanos, a gente está vendo só no sangue”, justificou. Com a descoberta desses marcadores no sangue, será possível fazer experimentos similares ao do camundongo, com testes motores e de memória, para confirmar ou descartar as alterações em cães e seres humanos após os estímulos.

Veja Também  Campanhas buscam elevar cobertura vacinal no país

Para Tânia Viel, como não se sabe qual ser humano desenvolverá a doença, quanto mais aumentar a estimulação na vida dele, melhor vai ser para a proteção do cérebro. “É mudar a própria rotina. Muita gente fala que não teve tempo para fazer outras coisas, mas se a pessoa tiver condições e puder passear no quarteirão, já começa por aí, fazer uma atividade física e uma atividade lúdica, passear com cachorro, com filho, curso de idiomas, de dança. Isso ajuda a preservar o cérebro”, sugere.

O estudo foi publicado na revista Frontiers in Aging Neuroscience e recebeu apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

Edição: Graça Adjuto
Fonte: EBC
Comentários Facebook

Saúde

Emanuel inaugura leitos de enfermaria do HMC e ministro assina aporte financeiro de 48 milhões para custeio do hospital

Publicado

Abertura dos leitos aconteceu na tarde desta segunda-feira, 22

Emanuel inaugura leitos de enfermaria do HMC e ministro assina aporte financeiro de 48 milhões para custeio do hospital

A abertura dos 90 leitos de enfermaria clínica do Hospital Municipal Cuiabá (HMC), que aconteceu na tarde desta segunda-feira, 22, foi marcada pela presença autoridades dos âmbitos federal, estadual e municipal. Luiz Henrique Mandetta, Ministro da Saúde foi um dos convidados e aproveitou sua vinda à Cuiabá para conhecer a unidade hospitalar.

O prefeito Emanuel Pinheiro, ao saber da agenda do Ministro na capital mato-grossense, fez questão de mudar o dia da inauguração dos leitos para que Mandetta pudesse estar presente. Nem a forte chuva que caiu no horário previsto para a inauguração espantou o grande número de pessoas que foram prestigiar o evento, entre servidores da saúde, funcionários da prefeitura e população em geral.

Além de prestigiar a inauguração dos leitos de enfermaria, o ministro da Saúde trouxe uma importante novidade: assinou uma portaria para um aporte financeiro para o Hospital Municipal de Cuiabá, no montante de R$ 48 milhões, que serão usados para o custeio do HMC neste primeiro ano de funcionamento. “Tive uma série de problemas para conseguir estar em Cuiabá hoje, mas fiz questão de vir. Estamos no mundo em busca da felicidade e a população de uma cidade não consegue ser feliz sem ter um sistema de saúde organizado. Fico feliz de estar aqui hoje e ver este hospital em funcionamento, para onde brevemente os pacientes do Pronto Socorro serão direcionados também. Não podemos deixar de pensar em investir na Atenção Básica também, para diminuir a quantidade de pacientes na média e alta complexidade. Com a Atenção Básica entrando nos eixos também, Cuiabá será a capital da Saúde do Centro Oeste”.

Veja Também  Campanhas buscam elevar cobertura vacinal no país

O deputado federal Emanuel Pinheiro Neto foi um dos parlamentares que estiveram presentes à solenidade e falou sobre a vontade de seu pai, prefeito Emanuel Pinheiro de transformar a realidade da saúde pública da capital. “Sabemos que 60% dos atendimentos no Pronto Socorro Municipal são de pacientes do interior do estado, e ninguém deixa de ser atendido. O empenho do prefeito em inaugurar o Hospital Municipal de Cuiabá mostra o seu espírito republicano  e demonstra a preocupação dele com as pessoas que dependem dos serviços do SUS na capital. O prefeito Emanuel e o governador Mauro Mendes, que iniciou a construção desta unidade hospitalar estão escrevendo a história da cidade para as próximas gerações e serão lembrados por este legado”, disse o deputado.

Mauro Mendes, governador do Estado lembrou-se de quando começou a sonhar com a construção do HMC, em 2013, quando ainda era prefeito de Cuiabá. Disse que está muito feliz em ver esse sonho se concretizando. “O somatório de esforços permitiu que estivéssemos aqui hoje, inaugurando esses leitos que vão ajudar a salvar muitas vidas. Este hospital oferecerá para nossa população o tratamento com respeito e dignidade que nosso povo merece”, comentou.

Com um misto de felicidade e emoção o prefeito Emanuel Pinheiro agradeceu a todos os presentes e fez questão de lembrar que o hospital estava no programa de governo do então prefeito Mauro Mendes. “Como coordenador da sua campanha e depois como deputado estadual acompanhei de perto todas as dificuldades e limitações para o início da construção desta unidade de saúde. Quando me tornei prefeito, como um gestor bem intencionado, decidi dar continuidade a esta obra, mesmo enfrentando muitos obstáculos. Quero aqui deixar meus profundos agradecimentos a nossa Bancada Federal, que tem sido uma grande parceira da nossa capital. Agradeço também o esforço e a competência da equipe técnica da Secretaria Municipal de Saúde, bem como do Conselho Municipal de Saúde, sem os quais não teríamos conseguido terminar em tempo recorde o projeto do hospital, para ser apresentado no Ministério da Saúde e deste modo obter os recursos necessários para a conclusão da construção e aquisição dos equipamentos para o HMC. Hoje temos um hospital público que não deixa nada a desejar aos hospitais privados que temos aqui. A população merece um serviço de qualidade e isso eles vão ter no HMC. Estamos abrindo o hospital em etapas, com muita responsabilidade, porque estamos lidando com vidas humanas. Este é o começo da virada de página da saúde pública de Cuiabá, que refletirá também em todo o Estado”, afirmou Emanuel.

Veja Também  Autoexame da mama não substitui exame clínico, diz Ministério da Saúde

O evento também contou com a participação do senador Wellington Fagundes – que teve fundamental importância no aporte dos R$ 100 milhões (para conclusão da obra e compra de equipamentos), além do coordenador da bancada federal, deputado federal Neri Geller.

Além dos 90 leitos de enfermaria clínica, foram inaugurados também no HMC a farmácia satélite, o laboratório de análises clínicas e o refeitório. O ambulatório está funcionando desde fevereiro, com consultas marcadas pela Central de Regulação nas seguintes especialidades: ginecologia, mastologia e ginecologia cirúrgica, cardiologia, dermatologia, clínico em saúde mental, endocrinologia, ortopedia geral e ortopedia de quadril e joelho.

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Nutróloga do Mato Grosso Saúde orienta sobre consumo de chocolate na Páscoa

Publicado

Durante a Páscoa, os chocolates tomam conta das prateleiras dos supermercados e dos lares brasileiros. Como o consumo deste doce aumenta nesta época do ano, o Mato Grosso Saúde orienta sobre as melhores formas de consumir o alimento e ainda aproveitar os benefícios provenientes do cacau.

A nutróloga credenciado do Plano, Ana Flávia Von Eicheendorff, lembra que o chocolate, quando consumido de forma moderada, auxilia o organismo na prevenção dos problemas cardiovasculares. “O cacau é uma fonte rica de flavonóides, substância que, além de ser antioxidante, ajuda no controle da pressão arterial, reduz o colesterol ruim e aumenta o colesterol bom”, explicou.

Atualmente, há uma grande variedade de chocolates, para atender os gostos de todo o público. Desde os ao leite, passando pelos amargos, brancos, diets, funcionais e proteicos. A médica orienta que quanto maior o teor de cacau do produto, maior é a concentração dos flavonóides. “Essa substância é encontrada em maios quantidade nos chocolates amargos, com mais de 50% de teor de cacau, que são os mais indicados”.

Veja Também  Nova etapa da Campanha contra a Gripe começa nesta segunda-feira

Embora tenha seus benefícios, o consumo de chocolate deve ser moderado, por conta dos outros ingredientes que acompanham sua preparação, como açúcar e gordura. “É importante conscientizar quanto a moderação no consumo. O açúcar em grande quantidades pode prejudicar nosso corpo. Portanto, o indicado é consumir no máximo 40 gramas por dia”.

Já no caso do chocolate branco, a nutróloga informa que o produto não contém cacau, e por sua vez nenhuma substância que agregue valor nutricional ao organismo. O produto é constituído basicamente por açúcar e gordura.

Ana Flávia Von Eicheendorff é nutróloga e atende os beneficiários do Mato Grosso Saúde na Clínica Madre Vida.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana