conecte-se conosco

Economia

CNI: 19,3% das empresas brasileiras promovem exportações temporárias

Avatar

Publicado

Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) revela que 19,3% das empresas exportadoras realizam exportações temporárias. Essa modalidade de exportação é feita, principalmente, para apoiar a participação das empresas em feiras, exposições e congressos e para o envio de amostras comerciais.

Segundo a pesquisa, 83,5% das empresas não conhece a modalidade denominada ATA Carnet, destinada a exportações temporárias. Das instituições que conhecem o documento, 3,9% o utilizam. O documento ATA Carnet, que suspende a incidência de impostos sobre a permanência temporária de produtos e equipamentos, foi implementado no Brasil em outubro de 2016.

Com apenas um documento, empresas podem entrar com bens em 77 países durante 12 meses. Esse documento reúne todas as informações que devem ser apresentadas na aduana de saída e de entrada, reduzindo a burocracia, tornando mais rápidos os trâmites aduaneiros e pode ser usado tanto por pessoa física quanto jurídica.

A CNI é a entidade credenciada junto à Receita Federal para emitir o documento por meio da Rede Brasileira de Centros Internacionais de Negócios (Rede CIN), presente nas federações das indústrias de todo o país.

Análise

O diretor de Desenvolvimento Industrial da CNI, Carlos Eduardo Abijaodi, disse que, diferentemente do que ocorre em países concorrentes, as empresas brasileiras não têm a cultura de levar seus produtos para demonstrar no exterior. Segundo ele, o costume é comum na Alemanha, nos Estados Unidos e na Suíça.

“As empresas precisam ver a modalidade de exportação temporária como um instrumento do processo de internacionalização e como um diferencial de competitividade”, disse o diretor da CNI. “Quando uma empresa leva o produto para ser experimentado lá fora, isso aumenta a possibilidade de ela exportar mais e se internacionalizar. A internacionalização, por sua vez, contribui para tornar nossa indústria mais inovadora.”

Desafios

A pesquisa Desafios à Competitividade das Exportações Brasileiras de 2018 ouviu 589 empresas exportadoras entre outubro de 2017 e março de 2018 e apresenta um raio-X dos problemas que os empresários brasileiros enfrentam para poder vender bens e serviços para o exterior.

A nova edição da pesquisa busca apontar os principais entraves do processo de exportação e avaliar mudanças ocorridas nos desafios enfrentados pelos exportadores nos últimos dois anos.

A edição anterior, publicada em 2016, mostrou que as empresas brasileiras enfrentam muita dificuldade para exportar, apresentando dificuldades, como morosidade e burocracia aduaneira e alfandegária, além da complexidade dos documentos exigidos e do arcabouço legal que regulamenta as exportações, assim como o elevado custo do transporte.

Edição: Fábio Massalli
Comentários Facebook

Economia

Mais usuários entram no Tinder, mas rentabilidade do app registra queda

Avatar

Publicado


source
Tinder
Forbes/Divulgação

Para chefe-executivo do Tinder, relacionamentos nunca mais serão os mesmos após a quarentena

Os relacionamentos mudaram drasticamente durante a quarentena , segundo o executivo-chefe do Tinder, Elie Seidman. Com encontros desestimulados por praticamente todos os países do mundo, além do fechamento de bares, restaurantes e casas noturnas, as pessoas estão utilizando plataformas online para flertar. Mas isso não chega a ser uma boa notícia para o app de paquera.

LEIA MAIS: iFood dobra taxa de entrega em plena quarentena

“O envolvimento dos usuários aumentou. É uma tendência reportada por outros aplicativos de namoro”, ressalta Seidman. Durante a quarentena, o Tinder bateu recorde de matches em apenas um dia. No dia 29 de março, o app reportou mais de 3 milhões de matches e aumento de 12% na quantidade de conversas diárias.

No entanto, o executivo-chefe afirma que os números positivos não revelam a real situação. “Dependemos da rentabilidade das 6 milhões de assinaturas premium. A proporção desses usuários diminuiu na quarentena”, afirma Seidman.

O desemprego também preocupa Seidman, que teme o cancelamento de mais assinaturas. “Estou preocupado com o que pode acontecer na economia, e o impacto que isso terá sobre os usuários premium do Tinder”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Auxílio de R$ 600: pagamentos voltam segunda e vão até sexta; veja calendários

Avatar

Publicado


source
app auxílio de 600
Divulgação/Agência Senado

Pagamentos do auxílio de R$ 600 são retomados nesta segunda para todos os que têm direito

Os pagamentos referentes ao auxílio emergencial de R$ 600, que já beneficiaram mais de 55 milhões de brasileiros, segundo a Caixa Econômica Federal, quem faz os depósitos e libera os saques, voltam a ser feitos nesta segunda-feira (25). O calendário prevê que a segunda parcela termine de ser pagos na sexta-feira (29), e que a liberação dos saques e transferências para os que receberem pelo aplicativo Caixa Tem comecem no sábado (30). Para quem foi aprovado a receber o auxílio depois do calendário original, os saques da primeira parcela também vão até sexta.

Leia também: Bolsonaro diz que haverá 4ª e 5ª parcelas de auxílio emergencial, mas menores

Mais espaçado, o pagamento da segunda parcela do auxílio começou na última segunda-feira (18) para os beneficiários do Bolsa Família e na quarta (20) para os que receberam ou ainda vão receber pela poupança digital da Caixa e vai durar, respectivamente, até 29 e 26 de maio.

Enquanto os inscritos no programa de transferência de renda já podem movimentar os recursos e sacá-los com o cartão do próprio Bolsa Família, os demais ainda não podem fazer o saque dos R$ 600 ou realizar transferências referentes à segunda parcela. Até o próximo dia 30, o ‘coronavoucher’ só poderá ser movimentado pelo próprio Caixa Tem , que permite que o usuário emita um cartão de débito digital . Por todo o Brasil, muitos estabelecimentos, como supermercados, já aceitam pagamentos por esse meio. Saiba como usá-lo aqui .

Portanto, os trabalhadores que recebem o auxílio e não são beneficiários do Bolsa Família já podem usar os recursos recebidos, mas não devem ir até as agências neste momento. A etapa presencial para esse grupo só começa no dia 30, reforça a Caixa, relembrando que, ainda assim, os trabalhadores precisarão ter paciência, porque o calendário é mais longo do que o da primeira parcela, buscando evitar filas e aglomerações, cenas que foram recorrentes no início do pagamento do coronavoucher . Nascidos em dezembro, por exemplo, só poderão sacar e transferir a segunda parcela a partir de 13 de junho.

Quem pode sacar e transferir os recursos até 29 de maio são os que receberam a primeira parcela com atraso. O novo lote de aprovados pela Dataprev começou em 19 de maio e vai até a próxima sexta, um dia antes da liberação dos saques e transferências para os que receberam a primeira parcela anteriormente, no calendário “normal”, que já estão recebendo a segunda parcela.

Segundo o presidente da Caixa , 30,4 milhões de brasileiros já receberam tanto a primeira quanto a segunda parcela do auxílio até este sábado, número que ainda vai subir com o complemento dos depósitos, que será retomado na segunda e vai até terça-feira (26). Ao todo, 55,1 milhões já receberam pelo menos a primeira parcela, montante que também vai subir, já que muitos estão no calendário atrasado da primeira parcela, ainda em vigor. O balanço aponta que o banco público já pagou R$ 60 bilhões em auxílio até este sábado (23), incluindo a primeira parcela, a segunda e os que receberam a primeira depois.

Leia também: Auxílio: quase 10 milhões ainda aguardam análise; R$ 60 bilhões já foram pagos

Confira os diferentes calendários do auxílio

Primeira parcela “atrasada” para quem foi aprovado depois:

  • Nascidos em janeiro: saques a partir de 19 de maio;
  • Fevereiro: 20 de maio;
  • Março: 21 de maio;
  • Abril: 22 de maio;
  • Maio, junho e julho: 23 de maio;
  • Agosto: 25 de maio;
  • Setembro: 26 de maio;
  • Outubro: 27 de maio;
  • Novembro: 28 de maio; e
  • Dezembro: 29 de maio.

Segunda parcela para beneficiários do Bolsa Família:

  • 18 de maio: NIS final 1;
  • 19 de maio: NIS final 2;
  • 20 de maio: NIS final 3;
  • 21 de maio: NIS final 4;
  • 22 de maio: NIS final 5;
  • 25 de maio: NIS final 6;
  • 26 de maio: NIS final 7;
  • 27 de maio: NIS final 8;
  • 28 de maio: NIS final 9; e
  • 29 de maio: NIS final 0.

Depósito da segunda parcela em poupança social:

  • Nascidos em janeiro e fevereiro: 20 de maio;
  • Nascidos em março e abril: 21 de maio;
  • Nascidos em maio e junho: 22 de maio;
  • Nascidos em julho e agosto: 23 de maio;
  • Nascidos em setembro e outubro: 25 de maio; e
  • Nascidos em novembro e dezembro: 26 de maio.

Liberação de saques e transferências da poupança social da segunda parcela:

  • Nascidos em janeiro: liberação em 30 de maio;
  • Fevereiro: 1º de junho;
  • Março: 2 de junho;
  • Abril: 3 de junho;
  • Maio: 4 de junho;
  • Junho: 5 de junho;
  • Julho: 6 de junho;
  • Agosto: 8 de junho;
  • Setembro: 9 de junho;
  • Outubro: 10 de junho;
  • Novembro: 12 de junho; e
  • Dezembro: 13 de junho.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana