conecte-se conosco


Política Nacional

Polícia Federal abre inquérito para apurar ataque a faca contra Jair Bolsonaro

Publicado


Momento exato da prisão de Adelio Bispo de Oliveira, responsável por agredir Jair Bolsonaro
Reprodução
Momento exato da prisão de Adelio Bispo de Oliveira, responsável por agredir Jair Bolsonaro

A Polícia Federal (PF) instaurou inquérito para apurar o  ataque a faca contra o candidato
à presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), ferido enquanto participava de um ato de campanha, na tarde desta quinta-feira (6), em Juiz de Fora, em Minas Gerais.

Em nota, a PF confirmou que o homem suspeito de ter esfaqueado Jair Bolsonaro
, Adélio Bispo de Oliveira
, de 40 anos, foi detido por populares e seguranças e conduzido por policiais federais para a Delegacia da Polícia Federal em Juiz de Fora.

O agressor está prestando depoimento. Antes de ser retirado do local, ele chegou a apanhar de pessoas que acompanhavam o evento.

De acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo
, a Polícia Federal
vê indícios de que o suspeito agiu sozinho. Contudo, a investigação deve apurar a motivação e se há outros envolvidos. Neste momento, a corporação está lavrando um auto de prisão em flagrante contra Oliveira.

Junto à PF, aliados do presidenciável vão entrar com uma representação solicitando que o órgão apure se houve algum mandatário.

“Estou levando esse pedido em nome do PSL para a sede da Polícia Federal em Curitiba, onde estou. Queremos saber a autoria intelectual, deve haver alguém que mandou o agressor a fazer isso”, declarou o deputado federal Fernando Francischini (PSL-PR), um dos coordenadores da campanha.

Veja Também  Grupo de trabalho debate condicionantes para concessão de licenciamento ambiental

Ataque contra Jair Bolsonaro


Candidato à Presidência, Jair Bolsonaro é visto sendo carregado após sofrer agressão durante campanha em Juiz de Fora
Reprodução/Twitter
Candidato à Presidência, Jair Bolsonaro é visto sendo carregado após sofrer agressão durante campanha em Juiz de Fora

O comício de Jair Bolsonaro foi interrompido após o incidente e o candidato foi levado por seguranças para a Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora. De acordo com o hospital, Bolsonaro foi submetido ao centro cirúrgico da unidade após exame de ultrassonografia constatar que seu fígado foi atingido. Aliados do militar da reserva do Exército informaram que ele passa por laparoscopia com anestesia geral.

Um dos filhos do candidato, Flávio Bolsonaro, informou às 18h04 que a perfuração atingiu parte do fígado, do pulmão e da alça do intestino. “Ele perdeu muito sangue, chegou no hospital com pressão de 10/3, quase morto… Seu estado agora parece estabilizado. Orem, por favor!”, escreveu Flávio em sua conta no Twitter.

Em nota, a Polícia Federal afirmou que Bolsonaro contava com escolta de agentes da corporação e que o agressor foi preso em flagrante e conduzido para delegacia da PF em Juiz de Fora. Ainda conforme a nota da Polícia Federal, já foi instaurado inquérito policial “para apurar as circunstâncias do fato”.

Veja Também  Projeto permite ampliação do prazo de validade de remédios

O autor do ataque foi identificado como Adelio Bispo de Oliveira, de 40 anos de idade. Antes de ser detido, Adelio sofreu agressões por parte de apoiadores do candidato. 

Chegaram a ser publicadas informações de que o ex-capitão do Exército estava vestindo colete à prova de balas no momento do ataque, mas Flávio Bolsonaro desmetiu isso em entrevista à  GloboNews

Vídeos publicados nas redes sociais flagraram o momento em que Bolsonaro leva facada
enquanto era carregado na rua por apoiadores.

Veja a nota da Polícia Federal na íntegra:

A Polícia Federal informa que o candidato à Presidência da República, Jair Messias Bolsonaro, contava com a escolta de policiais federais quando foi atingido por uma faca durante um ato público na cidade de Juiz de Fora/MG.

O agressor foi preso em flagrante e conduzido para a Delegacia da PF naquele município. Foi instaurado inquérito policial para apurar as circunstâncias do fato.

Leia também: Candidatos comentam ataque a faca contra Bolsonaro e pedem punição a responsável

Com o veto do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) à candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Jair Bolsonaro
é hoje o líder nas pesquisas de intenção de voto para a Presidência. De acordo com levantamento divulgado ontem pelo Ibope, o candidato do PSL reúne a preferência de 22% dos eleitores, dez pontos percentuais à frente da segunda colocada, Marina Silva (Rede).

Comentários Facebook

Política Nacional

Quebra de sigilo bancário de empresa ligada a Flávio Bolsonaro é suspensa

Publicado

Senador Flávio Bolsonaro
Jefferson Rudy/Agência Senado – 14.3.19
Senador Flávio Bolsonaro , filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro

A Justiça do Rio decidiu suspender a quebra de sigilo bancário da empresa MCA Participação e Exportações e de um de seus sócios. A firma e o empresário Marcelo Cattaneo Adorno integravam a lista dos 95 alvos da investigação do caso que envolve o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e o ex-assessor dele Fabrício Queiroz .

Leia também: Mulher de Flávio Bolsonaro pode ter sofrido ataque hacker em seu celular

Por decisão do desembargador Antônio Amado, da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), os dados das contas da MCA e de Adorno não poderão ser considerados como provas pelo Ministério Público (MP) contra Flávio Bolsonaro , de acordo com reportagem do jornal “Folha de S. Paulo”. Os termos da decisão, proferida na última sexta, estão sob sigilo.

Ainda que em caráter liminar (provisório), esse é o primeiro recurso judical com resultado favorável a investigados do caso. Flávio e Queiroz tinham entrado com pedidos de liminar para suspender a quebra de sigilo autorizada em abril, mas tiveram os requerimentos desautorizados pelo próprio magistrado Antônio Amado (eles serão avaliados também pelo plenário da 3ª Câmara Civil).

Há ainda um segundo pedido do filho do presidente Jair Bolsonaro que aguarda a análise do desembargador. No Supremo Tribunal Federal (STF), Flávio alegou foro privilegiado e pediu a transferência do caso para a Corte e também a anulação de provas, mas o pedido foi negado pelo ministro Marco Aurélio Mello .

Veja Também  Norma do Ibama sobre caça de javali é tema de debate

Leia também: Flávio Bolsonaro empregou assessores sem crachá na Alerj

A MCA Participação e Exportações faz parte do grupo de empresas e pessoas com as quais Flávio Bolsonaro fez transações imobiliárias e que entraram na mira do MP. Em 2010, a MCA comprou 12 salas comerciais do então deputado estadual em um prédio na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, onde funciona atualmente.

Flávio havia comprado sete dessas salas 45 dias antes de fechar a venda e teria lucrado mais de R$ 300 mil no negócio, segundo a “Folha de S. Paulo”. Além de Marcello Cattaneo Adorno, outro sócio da MCA também teve o sigilo quebrado pela Justiça: Delio Thompson de Carvalho Filho, que não foi incluído na decisão do desembargador Antônio Amado.

Em maio, Delio Thompson falou sobre os negócios que envolveram o senador. Ele relatou que a MCA havia sido procurada e teria enviado ao MP os cheques administrativos envolvidos na transação das salas comerciais. De acordo com o empresário, Flávio Bolsonaro realizou a venda quando a estrutura ainda estava em construção.

Veja Também  Projeto permite ampliação do prazo de validade de remédios

Leia também: Mulher de Flávio Bolsonaro pode ter sofrido ataque hacker em seu celular

“Se houve uma venda do dia pra noite, não quero nem saber. Mostra que a pessoa viu uma oportunidade e aproveitou. Prestei todas as informações para o MP, e é impossível que os dados da minha conta bancária mostrem alguma novidade. Não tem problema quebrarem o sigilo”, afirmou Delio na ocasião.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

“Nota dez pro Moro. Subiu no meu conceito”, diz Bolsonaro sobre sabatina na CCJ

Publicado

Nesta quinta-feira (20), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) avaliou com “nota dez” a participação do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, na sabatina realizada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado na quarta-feira (19). A informação é do jornal Folha de S.Paulo .

Leia também: Em meio a polêmica, Bolsonaro chama Moro de “patrimônio nacional”

bolsonaro e moro
Carolina Antunes/PR
Bolsonaro elogiou e parabenizou Sérgio Moro por seu desempenho durante a sabatina realizada na quarta-feira (19)

Durante a audiência realizada ontem , o ex-juiz federal falou a senadores sobre as mensagens supostamente trocadas entre ele e o procurador Deltan Dallagnol, do Ministério Público Federal (MPF), sobre os bastidores da Operação Lava Jato .

Entre os assuntos abordados, Moro reiterou que não pode garantir a autenticidade dos diálogos divulgados pelo site The Intercept Brasil  na última semana. O ministro ainda admitiu que, caso sejam apontadas irregularidades em sua conduta, há a possibilidade de deixar seu posto no governo.

Diante desses acontecimentos, Bolsonaro , segundo a Folha , elogiou a postura de seu ministro. “[Nota] dez pro Moro. Subiu no meu conceito. Apesar que ele não poderia crescer mais do que já cresceu”, disse. A declaração foi dada durante visita à cidade de Miracatu , no interior de São Paulo.

Veja Também  Proposta veda nepotismo em candidaturas eleitorais

O jornal ainda questionou se, com a situação atual, a indicação de Moro para uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF) estaria comprometida. Como resposta,  Bolsonaro  disse: “Quando você desconfia do seu marido, o que você faz com ele? Eu não estou desconfiando de ninguém.”

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana