conecte-se conosco


Você Repórter

Primeiro dia de ação do Mutirão Socioassistencial atende mais de 700 pessoas da região Sul

Avatar

Publicado

Ampliando o acesso à educação, saúde e à informação de qualidade, as equipes da Prefeitura de Cuiabá e Governo do Estado, em conjunto com uma série de parceiros, atenderam mais de 700 pessoas da região Sul da Capital, no primeiro dia do Mutirão Socioassistencial de Serviços de Cidadania. Os atendimentos do mutirão aconteceram ao longo desta sexta-feira (31), das 10h às 16h, na unidade do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Getúlio Vargas.

 A população contou – gratuitamente -, com serviços de emissão e plastificação de documentos como RG, 1ª e 2ª vias de CPF, 2ª via de certidões de nascimento e casamento e foto 3×4. Além destes serviços, também tiveram acesso aos atendimentos da Justiça Comunitária, orientação jurídica, realização do Cadastro Único para programas sociais do governo federal, encaminhamento ao mercado de trabalho e Seguro Desemprego, informações sobre os cursos do “Qualifica Cuiabá – 300 anos” e, ainda, aferição de pressão.

Presente na abertura da ação, o secretário de Assistência Social e Desenvolvimento Humano, Wilton Coelho, ressaltou sobre a relevância de se oportunizar os serviços de cidadania à população mais carente e de o quanto a união de forças entre os poderes facilita o processo. Wilton também afirmou que ampliar esse acesso de forma digna eleva a autoestima dessas pessoas e, por consequência, estimula-as na construção de uma nova vida, mais reestruturada e de qualidade.  “Esse evento é mais uma ação que ajuda a consolidar as diretrizes do prefeito Emanuel Pinheiro de uma administração participativa, que dê voz a todos, em uma proposta de união de forças, para a construção de pilares sólidos, pela transformação de Cuiabá. Sabemos que sozinhos não chegaremos aos resultados positivos e não alcançaremos os mais necessitados. Diante dessa conscientização e sensibilidade, nossos parceiros, como o Governo do Estado, sempre estão abraçando nossas iniciativas. Isso só nos impulsiona a buscar, a cada dia mais, novas ferramentas e canais, para incentivar as pessoas e mostrar a elas que a mudança é possível”, lembra.

Para a secretária de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas), Mônica Camolezi, a força-tarefa em prol da população menos favorecida é um dever dos poderes e que traz grandes ensinamentos para os gestores.” Desenvolver essas ações leva o gestor a um envolvimento mais próximo da realidade dessas pessoas, pois saímos dos gabinetes e nos juntamos às comunidades. Isso nos traz uma melhor dimensão dessa realidade e nos ajuda na construção de políticas públicas de qualidade ao cidadão. Quero, em nome de todo o governo, parabenizar a todos os envolvimentos nessa importante ação, e dizer que esses momentos são muito gratificantes. Vamos, unidos, avançar na buscar por uma prestação de serviços de qualidade aos cidadãos de todo estado, hoje, em especial, aos cuiabanos”, reiterou a secretária de Estado.

Mãe de seis filhos e grávida do sétimo, a jovem Ana Paula da Silva, de 28 anos, estava entre a população beneficiada com a ação. Ela acordou cedo para aproveitar os serviços de emissão e plastificarão de documentos e também buscar uma vaga nos cursos de qualificação oferecidos pelo município, em parceria do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

“Vim de uma família muito humilde e meus pais não tinham muito a oferecer. Diante disso, não tive muitas oportunidades. Hoje, mesmo em meio às dificuldades, sendo mãe de sete filhos, me sinto mais acolhida e com força para mudar minha realidade. E essas ações, assim com as demais que acontecem aqui no Cras, vêm me ajudando nessas mudanças. Só tenho a agradecer pelo cuidado que estão tendo com nossas comunidades”, concluiu Ana.

O mutirão continua na próxima semana, com atendimentos no Cras Doutor Fábio, na segunda-feira (3/9), Cras Osmar Cabral, na terça-feira (4/9), Cras do bairro Praeiro, na quarta-feira (5/9) e, encerrando, na unidade do Cras Pedra 90, na quinta-feira (6/9).

Participam da ação, além das Secretarias Municipais de Assistência Social e Desenvolvimento Humano e de Saúde; a de Estado de Trabalho e Assistencial Social (Setas), o Sistema Nacional de Emprego (Sine), a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), a Defensoria Pública e o Tribunal de Justiça Estado de Mato Grosso.

 

 

Comentários Facebook

Você Repórter

Através do site LAPADA moradores se reúnem com poder Público para debater melhorias do bairro Salgadeira em Várzea Grande

Avatar

Publicado

Moradores do Bairro Salgadeira em Várzea Grande, estiveram reunidos na noite desta quarta feira (03), com representantes do DAE, Serviços Públicos e Segurança Pública através da Polícia Militar.

Na oportunidades a comunidade pode expor suas reivindicações como a falta de segurança, iluminação pública, e principalmente segundo os moradores, a falta de abastecimento de água.

A pauta da reunião sera encaminha para prefeitura de Várzea Grande, para providencia no patrolamento das ruas do bairro.

Comentários Facebook
Continue lendo

Você Repórter

23 milhões de brasileiros possuem transtornos mentais

Avatar

Publicado

Transtornos como depressão, ansiedade e bipolaridade assombram 12% da população

Dados recentes divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que 23 milhões de brasileiros, ou seja, 12% da população, apresentam os sintomas de transtornos mentais. Ainda de acordo com a pesquisa, ao menos 5 milhões, 3% dos cidadãos, sofrem com transtornos mentais graves e persistentes. A Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) de 2013 estimou que 7,6% (11,2 milhões) das pessoas de 18 anos ou mais de idade receberam diagnóstico de depressão por profissional de saúde mental. Mas, não é só a depressão que atinge os brasileiros, transtornos como ansiedade, bipolaridade e esquizofrenia também estão no topo da lista das doenças mais recorrentes.

O número de casos tende a aumentar em áreas urbanas, e também em mulheres, que representam dois terços dos diagnósticos para depressão, por exemplo. Por isso, é importante conscientizar todos, tanto os pacientes quanto quem convive com essas pessoas. Pensando nisso, foi lançada a recentemente campanha “Janeiro Branco”, aproveitando a simbologia do início de ano, para incentivar a cuidar da saúde mental e emocional. Segundo o Dr. Aier Adriano Costa, coordenador médico da Docway, as doenças psicológicas não são levadas a sério porque não são facilmente visíveis, como um osso quebrado por exemplo, apesar de serem doenças comuns e estrarem presentes na vida das pessoas. “Mudar depende da mobilização das pessoas para tentar combater o estigma social, evitar rotular e desqualificar pessoas que tem essas enfermidades e orientar já é um bom começo e não tem nenhum custo”, explica.

Existem, de acordo com o médico, vários sinais e sintomas que  podem identificar  uma pessoa que não está com uma boa saúde mental, por exemplo: tristeza ou irritabilidade exacerbada, confusão, desorientação, apatia e perda de interesse, preocupações excessivas, raiva, hostilidade, violência, medo ou paranoia, problemas em lidar com emoções, dificuldade de concentração, dificuldade de lidar com responsabilidades, reclusão ou isolamento social, problemas para dormir, delírios ou alucinações, ideias grandiosas ou fora da realidade, abuso de drogas ou álcool, pensamentos ou planos suicidas.

Para ajudar, inicialmente, é bom estimular o paciente a buscar atendimento especializado com um médico, psicólogo ou um psiquiatra. De acordo com o Dr. Aier, é sempre importante criar um ambiente adequado para que a pessoa que está em tratamento se sinta segura para poder compartilhar seus problemas e aceitar ajudar especializada. Outra dica importante é criar uma rede de apoio, com amigos e familiares, para entender e participar ativamente do processo de terapia. Existem, além disso, diversos outros grupos de apoio que podem auxiliar auxiliam no tratamento. A grande maioria das doenças psiquiátricas tem tratamento eficiente quando diagnosticada de maneira correta, além dos tratamentos estarem em constante melhora e evolução. “Cabe a todos nós como sociedade ajudar para o fim da discriminação e preconceito que estão presentes nas pessoas que tem pouco conhecimento sobre o assunto”, conclui o médico.

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana