conecte-se conosco


Policial

População auxilia investigações criminais pelo disque-denúncia

Publicado

Policial

Número de denúncias anônimas feitas pelo 197 e 181 aumentou 4,7% em 2017, em comparação com ano anterior

Nara Assis | Sesp-MT 

A atividade investigativa requer atenção redobrada e minuciosa, para que nenhum detalhe seja ignorado. Informações muitas vezes consideradas irrelevantes podem ser cruciais para a resolução de um crime. A população parece estar cada vez mais ciente disso, já que o número de denúncias anônimas feitas pelo 197 (Cuiabá e Várzea Grande) e 181 (Todo o estado) aumentou 4,7% em 2017, quando houve 8.329 registros, em comparação com o ano anterior, que registrou 7.932 chamadas.

Os dados são referentes ao período de janeiro e dezembro dos últimos dois anos e integram o relatório consolidado de denúncia, do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp). O tráfico de drogas lidera o tipo de crime denunciado tanto em 2017, que contou com 3.409 denúncias (quase metade do total), quanto em 2016, que somou 2.440. As denúncias relacionadas ao tráfico de drogas contribuíram com ações policiais que resultaram, em 2017, na apreensão de mais de 11 toneladas de entorpecentes em Mato Grosso.

O roubo também apresenta grande volume de denúncias anônimas: foram 623 no ano passado, contra 580 no ano anterior. O porte ilegal de armas (445 denúncias), homicídio (322), e informações sobre fugitivo (337) também estão entre os maiores registros de ligações ao 197/181 em 2017. O aumento da participação da sociedade, na avaliação da gerente administrativa de denúncias do Ciosp, Daise Luck, é motivado pela credibilidade das forças de segurança. “O cidadão tem a certeza de que o anonimato será mantido e, muitas vezes, vê que aquela informação fornecida por ele foi muito importante para a resolução de um crime e punição dos envolvidos”.

Uma equipe de policiais civis da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) é responsável por filtrar as denúncias recebidas e encaminhá-las às delegacias para investigação. Nos casos em que a ocorrência é referente a um fato imediato ou prestes a acontecer, também é necessário acionar a Polícia Militar (PM-MT), que se desloca ao local que consta na denúncia. Além disso, também são recebidas algumas chamadas que envolvem casos da jurisdição do Ministério do Trabalho, Polícia Federal, Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) ou Executivo Municipal, e recebem o devido encaminhamento.

Um exemplo recente do resultado do disque-denúncia foi a prisão em flagrante de uma mulher, feita pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande (Derf-VG), por receptação de produtos roubados/furtados no bairro São Mateus. No dia 02 deste mês, a Polícia Civil apurou denúncia informando que a jovem Ketima Lorrayne Dias Boaventura, de 21 anos, traficava drogas e também expunha o filho de dois anos de idade e outras crianças e adolescentes que vivem na mesma casa à situação de risco. Inclusive, de acordo com a investigação, permitia que os menores fizessem a entrega do entorpecente aos usuários.

Informações determinantes

Outro caso que ganhou repercussão e contou com a ajuda do disque-denúncia foi o sequestro da empresária Milene Falcão Eubank, ocorrido em novembro do ano passado, em Cuiabá. O policial civil Sidney Ribeiro dos Santos, de 40 anos, que participava do resgate e buscas pelos suspeitos, foi atingido no rosto. Com a ajuda de denúncias anônimas, duas pessoas que estavam foragidas foram presas suspeitas de envolvimento no crime. Segundo o titular da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos Automotores (Derfva), Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, que conduz esta investigação, afirma que a participação da sociedade é fundamental para a resolução dos casos. “Não só neste fato, mas em muitos outros contamos com a ajuda do disque-denúncia. Em alguns casos, por exemplo, as informações que recebemos são determinantes e contribuem muito para a recuperação de veículos e prisão de envolvidos”.

Apenas um dos suspeitos em participar do sequestro da empresária, Kelves Gonçalves da Silva (vulgo “Kelvinho), de 28 anos, continua foragido. Ele possui extensa ficha criminal por roubo e sequestro. A população que tiver qualquer informação sobre ele ou qualquer outra ocorrência pode entrar em contato pelo 197 ou 181, ou ainda pelo e-mail [email protected] Também é possível complementar a denúncia com foto ou vídeo pelo whats app (65) 99991-1197. A PM também possui dois canais para a população denunciar: 0800 65 3939 (ligação gratuita) e (65) 99987-0349 (whats app).
 

Comentários Facebook

Policial

Réu pela morte da ex-convivente tem prisão cumprida pela Polícia Civil

Publicado


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT 

Um homem de 53 anos, réu pelo feminicídio da ex-convivente, ocorrido em 2018 na cidade de Castanheira, noroeste do estado, foi preso nesta segunda-feira (18.10) pela Polícia Civil, em Nova Lacerda. O mandado de prisão preventiva foi cumprido pela equipe do delegado Ricardo Marques Sarto.

O réu foi preso em sua residência, localizada no centro da cidade, e estava aguardando o julgamento em prisão domiciliar.
Contudo, a decisão foi revogada e um novo mandado foi expedido pela 3a Vara Criminal da Comarca de Juína, onde tramita o processo do feminicídio. Agora, ele aguardará o júri em regime fechado.

A vítima, Rosana Borges das Neves, 31 anos, foi morta pelo réu que invadiu a residência de familiares dela, em Castanheira, e a atingiu com vários disparos de arma de fogo. Conforme o registro da ocorrência, a vítima ainda gritou por socorro e tentou fugir do autor do crime, mas foi atingida pelas costas.

Após os trâmites legais de formalização do mandado de prisão na Delegacia de Comodoro, o preso foi encaminhado à unidade prisional, onde permanece à disposição da Justiça.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Suspeito de tentativa de homicídio, que age como disciplina de facção, é preso pela Polícia Civil

Publicado


Assessoria/Polícia Civil-MT 

A Polícia Civil cumpriu nesta segunda-feira (18.10), em Paranatinga, um mandado de prisão preventiva contra um rapaz de 21 anos investigado por tentativa de homicídio qualificado, ocorrida na última semana, na cidade.

O suspeito foi identificado como “disciplina” de uma facção criminosa e é investigado pela prática de diversos crimes realizados em Paranatinga, como tortura, tráfico de drogas, associação para o tráfico e porte ilegal de arma de fogo.

No último dia 12 de outubro, a vítima de 22 anos estava em uma residência quando foi atingido por disparos de arma de fogo.

A equipe da Delegacia de Paranatinga realizou diligências e chegou à identificação do autor do crime. Com a documentação reunida sobre a ação criminosa, o delegado Hugo Abdon representou pelo pedido de prisão preventiva, deferido pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Paranatinga.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso