conecte-se conosco


Internacional

Haiti tem situação tranquila na véspera das eleições, diz assessor da Minustah

Publicado

Internacional

Haiti (Arquivo/Agência Brasil)

População do Haiti vai às urnas para escolher novo presidente e os novos parlamentares do país Marcello Casal Jr./Arquivo/Agência Brasil

A escolha dos novos representantes do povo haitiano, marcada para ocorrer no último dia 9 de outubro, mas adiada pela passagem devastadora do Furacão Matthew no Caribe, está prevista para este domingo (20). A expectativa é que sejam eleitos o novo presidente e os novos parlamentares do país.

Em entrevista por telefone à Agência Brasil, o assessor de informações públicas do componente militar da Missão de Estabilização das Nações Unidas de Haiti (Minustah), coronel Alexandre Lima, disse que apesar da instabilidade, há um clima de relativa calma no país, sem manifestações no momento, e que tudo indica que, após serem adiadas duas vezes, as eleições vão ocorrer.

“Recebemos nota oficial do presidente provisório Jocelerme Privert solicitando que os haitianos compareçam às urnas no domingo. Nas mensagens no rádio e TV, ele salientou que não vai ser um governo provisório que vai resolver os graves problemas do Haiti, inclusive citou entre esses problemas os efeitos da passagem do Furacão Matthew e falou de problemas nacionais e internacionais que o governo provisório não vai conseguir resolver”, contou.

Veja Também  Com eficácia de 47%, vacina da CureVac contra covid-19 falha em teste

Segundo Lima, na última semana houve um grande teste de toda a máquina eleitoral, envolvendo as pessoas que vão atuar nos centros de votação, que foram aos locais de votação testar todos os equipamentos.

Área devastada no Haiti, após a passagem do furacão Matthew - Foto Logan Abassi/Minustah

Área devastada no Haiti, após a passagem do Furacão MatthewLogan Abassi/Minustah

O coronel disse que a região mais instável é a parte sul da península, a região mais atingida pela passagem no Furacão Matthew nas primeiras semanas de outubro. Ele informou que muitos centros de votação da região foram destruídos. “Agora, assim, foi aquela recuperação precária, para ter a votação. Está pronto, está em condições de ter, mas as estruturas são emergenciais e provisórias”, disse o assessor. Segundo ele, a previsão de mau tempo para este domingo na região preocupa. “Há previsão de chuva forte no norte e no sul do país, e esse pode ser um fator complicador.”

Além disso, Lima relatou que “na parte do país afetada pelo furacão tem ocorrido muita atividade de gangues que interceptam comboios de ajuda humanitária para roubar e vender as cargas, que consistem principalmente em alimentos e medicamentos”. De acordo com o assessor, há expectativa que ocorram tensões e manifestações, “mas a gente acredita que as eleições vão ocorrer porque já foram adiadas duas vezes”.

Veja Também  Biden faz apelo por vacinação; EUA não devem cumprir meta

O último presidente eleito no Haiti, Michel Martelly, terminou o mandato, em fevereiro deste ano. Ele foi substituído pelo presidente provisório Jocelerme Privert, escolhido pelo Parlamento para organizar novas eleições em três meses, mas a instabilidade política e social do país adiou os planos duas vezes.

Na sexta-feira (18), o governo haitiano também anunciou o fechamento da fronteira neste sábado e no domingo para garantir mais controle durante o pleito, de acordo com comunicado divulgado pelo Ministério de Assuntos Interiores.


Comentários Facebook

Internacional

Biden faz apelo por vacinação; EUA não devem cumprir meta

Publicado


O presidente dos Estados Unidos (EUA), Joe Biden, e a vice-presidente Kamala Harris fizeram um apelo ontem (18) aos norte-americanos para tomarem vacina contra covid-19, visto que o país provavelmente não cumprirá as metas de imunização da Casa Branca no próximo mês, em meio a preocupações sobre uma nova variante do coronavírus.

“Ajam agora, ajam agora”, disse Biden em declarações na Casa Branca, recomendando aos não vacinados a conversar com seus familiares e amigos que tomaram a vacina e com seus médicos.

Mortes e hospitalizações estão caindo “drasticamente em lugares onde as pessoas estão sendo vacinadas”, mas não em outras áreas, afirmou Biden. “Eles (índices) estão realmente subindo em alguns lugares.”

No ritmo atual, parece improvável que os Estados Unidos atinjam a meta de Biden de fazer com que 70% dos adultos recebam pelo menos uma dose da vacina contra covid-19 até 4 de julho, feriado do Dia da Independência.

Até sexta-feira, cerca de 65% das pessoas nos EUA haviam tomado pelo menos uma dose, e essa marca aumentou menos de um ponto percentual nas últimas duas semanas.

Veja Também  Guterres inicia segundo mandato como secretário-geral da ONU

Esse ritmo teria que mais que dobrar nas próximas duas semanas para os Estados Unidos atingirem a meta.

A Casa Branca não fez comentários imediatos sobre a possibilidade de não atingir a meta de 4 de julho. Atualmente, apenas 15 Estados e Washington, D.C. alcançaram esse nível.

Os dados do governo dos EUA também mostram uma divisão política, com os Estados onde o ex-presidente Donald Trump venceu ficando bem atrás nas taxas de vacinação do que daqueles onde Biden venceu.

Os Estados Unidos administraram 300 milhões de vacinas contra covid-19 em 150 dias, disse uma autoridade da Casa Branca na sexta-feira.

Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Policial é morto e 80 alunos são sequestrados em ataque na Nigéria

Publicado


Homens armados mataram um policial e sequestraram pelo menos 80 alunos e cinco professores em uma escola do estado nigeriano de Kebbi, informaram a polícia, moradores e um professor.

É o terceiro sequestro em massa em três meses no noroeste da Nigéria, e as autoridades culpam bandidos armados que buscam resgates.

Usman Aliyu, que leciona na escola, disse que os atiradores levaram mais de 80 alunos, a maioria meninas.

“Eles mataram um [dos policiais], entraram pelo portão e foram direto às salas de aula”, afirmou ele à Reuters.

O porta-voz da polícia de Kebbi, Nafiu Abubakar, disse que os bandidos mataram um policial durante uma troca de tiros e que também balearam um aluno, que estava recebendo tratamento médico.

A polícia ainda não havia comunicado o número de alunos desaparecidos na noite de quinta-feira (17), e um porta-voz do governador de Kebbi afirmou que a força está realizando uma contagem dos desaparecidos.

O ataque ocorreu em um colégio do governo federal da cidade remota de Birnin Yauri. Segundo Abubakar, forças de segurança estão vasculhando uma floresta próxima à procura dos alunos e professores raptados.

Veja Também  Espanha retira obrigação de máscaras daqui a uma semana

Atiku Aboki, um morador que foi à escola pouco depois de os disparos terminarem, informou que viu uma cena de pânico e confusão enquanto pessoas procuravam os filhos.

Bandidos em busca de resgate já sequestraram mais de 800 alunos nigerianos em escolas desde dezembro. Alguns foram libertados e outros continuam desaparecidos.

* Ardo Hazzad, Garba Muhammed, Camillus Eboh e Angela Ukomadu – Repórteres da Reuters

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana