conecte-se conosco


Internacional

Jovens acampam em Bogotá para pedir acordo de paz imediato na Colômbia

Avatar

Publicado

Jovens acampam no centro histórico da capital para exigir acordo de paz imediato na Colômbia

Jovens acampam no centro histórico de Bogotá para pressionar pela implementação de um acordo de paz imediato com  as  Forças  Armadas  Revolucionárias  da  Colômbia  (Farc)         Sabrina  Craide  –  Repórter  da  Agência Brasil

Cerca de 200 pessoas estão acampadas na Praça Bolívar, no centro histórico de Bogotá, para pressionar pela implementação de um acordo de paz na Colômbia. No início do mês, os colombianos foram às urnas para decidir sobre a questão, e a maioria votou contra o acordo que já havia sido assinado entre o governo e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

O acampamento começou no dia 5 deste mês com apenas algumas pessoas, mas foi ganhando adesões aos poucos. Segundo um dos líderes do grupo, John Granados, o principal objetivo do movimento é pedir a implementação de um acordo de paz imediato. “Já houve tempo suficiente de negociação, os acordos já foram aprovados. O que necessitamos é que sejam implementados. Se houver alguma modificação nos acordos, que seja já, que isso não seja uma desculpa para que os conflitos continuem.”

Os acampados também pedem a manutenção definitiva do cessar-fogo bilateral entre as Forças Armadas do país e as Farc. Apesar de comemorar a extensão do prazo para o fim do ano, anunciada recentemente pelo presidente Juan Manuel Santos, os manifestantes entendem que essa decisão tem de ser definitiva. “Queremos que o cessar-fogo seja definitivo, não queremos mais guerra”, afirmou. Granados.

Veja Também  Irã e Estados Unidos trocam prisioneiros após meses de tensão

Para a analista política brasileira Beatriz Miranda, que vive na Colômbia, esse movimento foi uma resposta positiva e inesperada dos jovens após o resultado do plebiscito. “Foi um movimento inesperado, que não está ligado a nenhum partido político, e é um movimento mais puro, é uma geração que deseja uma Colômbia diferente”, disse a professora da Universidad Externado de Colombia.

A maioria dos acampados são jovens estudantes universitários, e alguns são vítimas do conflito armado, que já dura 52 anos no país. O grupo é mantido apenas com a ajuda de civis e não recebe doações em dinheiro, apenas em alimentos e material necessário ao acampamento, como barracas e colchões.

Segundo o líder Granados, as regras de convivência dos acampados incluem a proibição do consumo de álcool e drogas, a prática de sexo e rejeita manifestações violentas e a filiação a partidos políticos. “Estamos aqui, sob chuva e sol, mas daqui não vamos sair até que nos garantam a paz”, afirmou Granados.

O acordo de paz foi assinado no final de setembro entre o presidente colombiano e o líder das Farc, Rodrigo Lodoño, conhecido como Timochenko, após quatro anos de negociações. Entretanto, no dia 2 de outubro, os colombianos decidiram não referendar o acordo, com 50,2% dos votos válidos em um plebiscito realizado no país.

Veja Também  Vulcão mata pelo menos cinco pessoas na Nova Zelândia

*A repórter viajou a convite da Apex-Brasil


Comentários Facebook

Internacional

Hamilton Mourão representará o governo em posse na Argentina

Avatar

Publicado

O porta-voz do Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, disse que o vice-presidente Hamilton Mourão será o representante do governo brasileiro na posse do novo presidente da Argentina, Alberto Fernández , que ocorrerá nesta terça-feira (10), em Buenos Aires. Mourão embarca ainda hoje (9) para a capital do país vizinho. 

“Confirmamos a participação do nosso vice-presidente na posse do futuro presidente da Argentina, senhor [Alberto] Fernández. O vice-presidente deve deslocar-se para a Argentina ainda hoje”, afirmou Rêgo Barros a jornalistas, durante coletiva no Palácio do Planalto, na noite desta segunda-feira. O embarque está previsto para as 20h. 

Mais cedo, o Ministério das Relações Exteriores havia informado que o embaixador do Brasil em Buenos Aires, Sérgio Danese, era quem representaria o governo brasileiro na posse de Alberto Fernández. Seria a primeira vez em mais de 15 anos que o governo brasileiro deixaria de enviar um representante do primeiro escalão para a posse de um presidente argentino. O país vizinho é o terceiro maior parceiro comercial do Brasil, atrás de China e dos Estados Unidos, com um fluxo comercial anual de mais de quase US$ 26 bilhões, segundo dados de 2018. 

Veja Também  Vulcão mata pelo menos cinco pessoas na Nova Zelândia

Segundo Rêgo Barros, a decisão de Bolsonaro de enviar o vice-presidente foi uma forma de valorizar a relação entre os dois países, especialmente em relação às questões comerciais. “Com relação à decisão do presidente, ele vem, ao longo do dia, e mesmo ontem, fazendo análises continuadas, discutindo com vários ministros, e a partir dessas discussões, entendendo que se faria necessária a presença de uma autoridade lá […] para valorizar o relacionamento com a Argentina, em especial, nos aspectos comerciais”.

Alberto Fernández venceu as eleições argentinas pela coalizão de esquerda Frente de Todos. Ele tem como vice a senadora Cristina Kirchner, ex-presidente do país. Bolsonaro é crítico do kirchnerismo e apoiou a reeleição do presidente Maurício Macri, derrotado nas urnas nas eleições realizadas em outubro no país vizinho.

Há pouco, em seu Twitter, o vice-presidente disse que, a decisão de Jair Bolsonaro de designá-lo para representá-lo na posso de Fernández foi um “gesto polílitico”.

Saiba mais

Veja Também  Incêndios florestais atingem a Austrália e elevam poluição urbana
Edição: Fábio Massalli
Fonte: EBC
Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Homem invade hospital e mata seis pessoas na República Tcheca

Avatar

Publicado

Seis pessoas morreram hoje (10) depois de terem sido alvejadas a tiros numa sala de espera de um hospital da cidade checa de Ostrava por um homem que ainda não foi identificado.

O primeiro-ministro Andrje Babis disse que os disparos foram efetuados por um homem, cuja identidade é ainda desconhecida, na sala de espera do hospital. O atirador disparou sobre pelo menos sete pessoas ao entrar no hospital.

O ministro do Interior, Jan Hamáček, confirmou que o tiroteio ocorreu no hospital universitário de Ostrava e, nas buscas para encontrar o suspeito em fuga, foram mobilizadas várias unidades especiais da polícia e um helicóptero. A operação de caça ao criminoso se estende por toda a República Tcheca.

Todos os acessos ao hospital, situado no campus da Universidade de Ostrava, estão fechados.

Em declarações à televisão checa CT24, um diretor do hospital afirmou que “o plano de emergência foi ativado. As instalações do nosso hospital estão fechadas e a polícia está no local desde o início do incidente”.

Edição:
Fonte: EBC
Comentários Facebook
Veja Também  Pelo menos 43 pessoas morrem em incêndio numa fábrica de Nova Delhi
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana