PT encolhe e restringe força no Nordeste; com Alckmin, PSDB tem sua pior votação


Dilma Rousseff fora do Senado foi uma das consequências do cenário com o PT em queda
Roberto Stuckert Filho/PR – 02.09.2016

Dilma Rousseff fora do Senado foi uma das consequências do cenário com o PT em queda

O resultado das eleições desse domingo (7) reforça um cenário com o PT em queda, embora com nuances diferentes das notadas no pleito municipal de 2016, quando a legenda teve forte derrocada em face do impeachment de Dilma Rousseff, da Lava Jato, e da crise econômica. Nesse domingo, se por um lado o candidato Fernando Haddad conseguiu avançar ao segundo turno da disputa presidencial , por outro sua votação foi a pior alcançada por um petista nos últimos 20 anos.

Haddad perdeu para seu agora adversário no segundo turno, Jair Bolsonaro (PSL), em todas as regiões e estados do Brasil – exceto no Nordeste do País, onde a trajetória do PT em queda não se manifestou nas urnas. Dentre os nove estados da região, o petista apoiado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva venceu Bolsonaro em oito. O Ceará foi o único estado do País a fugir da polarização PT-Bolsonaro, voltando a maior parte de seus votos para o ex-governador Ciro Gomes (PDT).

Nos estados, o Partido dos Trabalhadores teve seu maior revés eleitoral. O partido não conseguiu reeleger o sucessor de Tião Viana no governo do Acre e, pior que isso, viu o governador de Minas Gerais,  Fernando Pimentel, fracassar em sua tentativa de reeleição no segundo maior colégio eleitoral do País.

Sem Minas e sem o Acre, o PT agora tem apenas governadores eleitos no Nordeste, com  Camilo Santana (Ceará),  Rui Costa (Bahia) e  Wellington Dias (Piauí). A senadora Fátima Bezerra disputará o segundo turno no Rio Grande do Norte com o candidato Carlos Eduardo (PDT).

Essa dificuldade eleitoral do PT fora do Nordeste se refletiu também nas  fracassadas candidaturas de Dilma Rousseff e de Eduardo Suplicy para o Senado Federal por Minas Gerais e por São Paulo, respectivamente. Ambos lideraram as pesquisas de intenções de voto ao longo de toda a campanha, mas caíram na reta final e acabaram derrotados.

Por outro lado, o partido terá força no Congresso nos próximos quatro anos. A legenda conseguiu eleger a maior bancada da Câmara, com 56 deputados e deputadas . Desse total, 42 já fazem parte da atual bancada petista e foram reeleitos. Outros 14 conseguiram uma vaga pela primeira vez.  Para o Senado, o PT elegeu quatro senadores. Apenas um deles não foi por um estado nordestino: Paulo Paim, no Rio Grande do Sul.

PT em queda e PSDB nanico


PT em queda e PSDB também: Alckmin encolheu 34 milhões de votos em 12 anos
Alexssandro Loyola/Lid. do PSDB na Câmara – 13.12.17

PT em queda e PSDB também: Alckmin encolheu 34 milhões de votos em 12 anos

Se o PT teve resultado eleitoral abaixo de seu desempenho histórico, também não foi diferente com o PSDB . O presidenciável Geraldo Alckmin obteve nesse domingo pouco mais de 5 milhões de votos em todo o País, número que representa a pior votação de um tucano postulante ao Planalto desde 1989.

A efeito de comparação, o mesmo Alckmin havia obtido mais de 39 milhões de votos no primeiro turno de 2006, em sua primeira vez concorrendo à Presidência.

Nos estados, o partido conseguiu levar seis candidatos para o segundo turno, mas não elegeu ninguém nesse domingo. Em São Paulo, onde João Doria enfrentará Márcio França (PSB), será a primeira vez nos últimos 16 anos em que os paulistas terão duas votações para governador.

Se Dilma Rousseff sofreu com a tendência do PT em queda , seu adversário nas eleições de 2014 foi quem melhor representou o novo quadro de dificuldades tucanas junto ao eleitorado. Aécio Neves foi apenas o 19º candidato a deputado federal mais votado em Minas Gerais.

Comentários Facebook